NOSSAS REDES

AMAZÔNIA

Vídeo inédito: Último sobrevivente do seu povo, índio vive isolado há 22 anos na Amazônia

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O grupo em que o indígena vivia foi dizimado por madeireiros.

A Funai (Fundação Nacional do Índio) divulgou imagens inéditas de um índio que vive isolado na Terra Indígena Tanaru, em Rondônia. Conhecido como o “índio do buraco”, ele é acompanhado por técnicos há 22 anos no meio da floresta Amazônica.

As imagens são recentes, foram feitas à distância e mostram o indígena tentando cortar uma árvore. Ele sobrevive de modo rudimentar, com roças de milho, batata, cará, banana e mamão. Ele também caça animais para se alimentar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dizimados por madeireiros

O “índio do buraco” vivia em grupo até meados de 1995, em um povo que a Funai estimava em apenas seis pessoas. Segundo a fundação, eles foram atacados por madeireiros e acabaram praticamente dizimados.

Índio que vive isolado na Terra Indígena Tanaru, em Rondônia/Acervo/Funai

“Na década de 1980, a colonização desordenada, a instalação de fazendas e a exploração ilegal de madeira em Rondônia provocaram sucessivos ataques aos povos indígenas isolados que até então viviam nessas regiões, num constante processo de expulsão de suas terras e de morte. Após o último ataque de fazendeiros ocorrido no final de 1995, o grupo que provavelmente já era pequeno se tornou uma pessoa só. Os culpados jamais foram punidos”, informou a Funai. 

“Quando a Funai finalmente confirmou sua presença, já havia apenas uma pessoa. No entanto, outros indícios anteriores levaram os servidores a crer que ali residia um grupo maior”, completou o órgão.

O índio foi descoberto pela Funai em junho de 1996. Isso ocorreu a partir da localização do acampamento e outros vestígios da presença dele.

“A Funai realizou algumas tentativas de contato, mas logo recuou ao perceber que não era da vontade dele. A última tentativa ocorreu em 2005. Deste então, os servidores que o acompanham deixam apenas algumas ferramentas e sementes  para plantio em locais por onde ele passa frequentemente.”   

Acompanhamento à distância

Segundo a Funai, nos últimos dez anos foram realizadas 57 ações de monitoramento do indígena, com algo em torno de 40 viagens para ações de vigilância e proteção da terra indígena onde vive.

Casa construída pelo indígena (Foto: Divulgação/Funai)

Índio que vive isolado na Terra Indígena Tanaru, em Rondônia/Acervo/Funai.

Cabana do “Índio do Buraco”, na terra indígena Tanaru, em Rondônia.

Cabana do “Índio do Buraco”, na terra indígena Tanaru, em Rondônia. SURVIVAL INTERNATIONAL. El País.

Até hoje, foram documentadas 48 moradias por onde o indígena passou.

Quem acompanha o índio é a FPE (Frente de Proteção Etnoambiental) Guaporé. A Funai realiza ações de vigilância do território, sem trocar qualquer diálogo. O contato é feito apenas para fornecer objetos úteis para a sua sobrevivência.

A delimitação da terra onde vive o “índio do buraco” foi criada em 2015, por meio da portaria do órgão. A área demarcada possui 8.070 hectares.

Mas, antes mesmo de virar terra oficializada, a Funai fez interdições da área desde que ele foi encontrado.

Segundo a coordenação da FPE Guaporé, o monitoramento do índio é feito sempre à distância e há mais de cinco anos não se observam invasões de pessoas estranhas na área. UOL/Carlos Madeiro – Folha SP.

Veja o vídeo divulgado pela Funai:

Terra Indígena de Tanaru está localizada no estado de Rondônia

Terra Indígena de Tanaru está localizada no estado de Rondônia

Reprodução/terrasindigenas.org.br

Acompanhe em tempo real

Sindmed-AC comemora 30 anos de fundação com dois Bailes dos Médicos

Avatar

PUBLICADO

em

O Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) comemora 30 anos de fundação em 2019 e, para celebrar, a diretoria planeja, neste ano, dois Bailes dos Médicos. O evento de Rio Branco será realizado no dia 19, e o de Cruzeiro do Sul no dia 26.
Nas duas festas, os ingressos já estão se esgotando, sendo que na maior cidade do Juruá, uma comissão composta por filiados e membros da diretoria já vendeu quase 80% das mesas da festa que será realizada na Chácara Iroti, sendo animada pela banda Garotos do Sótão.
Em Rio Branco, mais de 70% dos ingressos para o Baile dos Médicos já foram vendidos. A festa será animada por Elias Sarkis e banda, além da participação especial de um DJ.
O presidente do Sindmed-AC, Murilo Batista, explicou que o sucesso da festa resultou na ampliação do evento para comemorar a fundação da entidade, buscando atender também os profissionais do Juruá.
“É um desafio, mas é gratificante, pois a festa vai reunir os médicos, os familiares, amigos e as pessoas que gostam de entretenimento. É uma forma de trazer bem-estar aos filiados que vivem a rotina desgastante de plantões de 12 horas, 24 horas, chegando a ficar 72 horas dentro de um hospital por falta de profissionais”, explicou o sindicalista.
As mesas dos Bailes dos Médicos de 2019 podem ser adquiridas na sede do Sindicato que fica na Rua Milton Matos, 225 – Bairro Bosque, ou pelos telefones: 3224-6483, 3224-2390 ou 9 8425-5280 (Whatsapp). O interessado ainda pode parcelar em até duas vezes o valor no cartão de crédito.

Continue lendo

Acompanhe em tempo real

Sindmed protocola no MPE relatório que aponta inúmeros problemas no hospital Wildy Viana

Avatar

PUBLICADO

em

A direção do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed/AC) protocolou na manhã desta quinta-feira (3), na 1ª Promotoria Especializada de Defesa da Saúde, relatório técnico a respeito da visita realizada no último dia 27 ao Hospital Regional Wildy Viana, em Brasileia.

O relatório contendo informações colhidas junto aos médicos daquele hospital dá conta que não há número suficiente de médicos e outros profissionais de apoio para o rodízio de carga horária, fazendo com que os médicos não tenham tempo suficiente de descanso. Acontece ainda sobrecarga nos profissionais por diversas atividades, pois os médicos atuam na urgência e emergência, clínica cirúrgica, maternidade e outros.
O relatório também aponta falta de médicos especialistas como cirurgiões, pediatras e ortopedista. Outro fato citado é a falta de medicamentos básicos anti hipertensivos, alopidina, nifedipina, penicilina cristalina, entre outros.

O documento assinado pelo presidente do Sindmed/AC, doutor Murilo Batista, concluiu convidando o Ministério Público a realizar visita ao Hospital Wildy Viana e demais hospitais regionais.
“É que a visita se estendeu a outros hospitais que atuam como regionais. Não se pode responsabilizar o profissional médico pela falta de planejamento e descaso com a saúde. Acreditamos que os médicos e demais profissionais de saúde que atuam naqueles hospitais se esforçam além do devido para solucionar os percalços enfrentados diariamente para poder prestar um bom serviço à população”, diz.–

Gina Menezes Jornalista

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

WhatsApp Fale conosco