NOSSAS REDES

Brasileia

Com obras atrasadas, governo pode ser obrigado a devolver recursos do Huerb e do novo Hospital de Brasileia

Avatar

PUBLICADO

em

Com obras paradas há anos, o governo do Estado poderá ser obrigado a devolver recursos do novo Hospital de Brasileia e do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), seguindo o exemplo do que ocorreu com a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cruzeiro do Sul. A ameaça é motivada pela demora para entregar as unidades.

O presidente em exercício do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC), Murilo Batista, informou que por diversas vezes os representantes da entidade cobraram respostas do governo que até hoje não deram o devido encaminhamento.

O Sindicato cobrou e a população cobrou, mas até o momento existem apenas promessas e muita propaganda. Não queremos esperar que os prazos se esgotem para realizar críticas. Estamos cobrando antes que o Ministério da Saúde peça a devolução dos recursos”, afirmou o sindicalista.

Com um orçamento de mais de R$ 50 milhões, o novo Hospital de Brasileia deveria ter sido entregue em 2014. Um dos motivos para o atraso na finalização da obra teria sido a enchente de 2015.

O antigo hospital está caindo, os médicos sofrem e fazem o possível para oferecer o mínimo aos pacientes, mas não há equipamentos e medicamentos suficientes. É revoltante ver o sistema público de saúde se desintegrar nas mãos de gestores incompetentes”, alertou Murilo Batista.

Outra obra que deveria ter sido entregue em 2012 foi do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco que teve os custos de construção orçados em R$ 20 milhões e até o momento o prédio não foi disponibilizado para a população.

Daqui a pouco, o Huerb deverá passar por uma reforma e se quer foi entregue, o que demonstra o descaso com a saúde pública, uma falta de zelo com o dinheiro que deveria servir para melhorar o atendimento para a população”, protestou o presidente do Sindmed-AC.

Na semana passada, o MS anunciou que cobrará a devolução de todo o recurso da UPA de Cruzeiro do Sul, porque o governo do Estado descumpriu com o prazo para a finalização das obras.

Se o Ministério da Saúde já cobrou a devolução de recursos de uma obra, outras podem ter o mesmo fim, o que preocupa a diretoria do Sindmed-AC, pois todos os dias morrem pessoas por falta de atendimento, por falta de estrutura, falta de medicamentos”, reclamou o sindicalista. Por Assessoria.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Dia C: Sicoob Acre entrega mais de dois mil kits em comunidades carentes da capital e interior do Estado

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Apesar da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no estado, a Cooperativa de Créditos e Investimentos do Acre (Sicoob Acre) participou neste sábado, 4, do Dia de Cooperar, ou Dia C, atividade desenvolvida pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). Direcionada em ações de combate à doença neste período, a instituição financeira entregou de forma gratuita mais de dois mil kits de higiene e proteção, com máscaras e álcool em comunidades carentes da capital e interior.

Celebrada sempre no segundo sábado de julho, a data este ano tem como tema “Atitude simples movem o mundo” realizada nos 26 estados brasileiros, além do Distrito Federal. No estado, a ação do Sicoob Acre atendeu diversos bairros de Rio Branco, Acrelândia, Brasileia e Cruzeiro do Sul. Para evitar aglomerações, as entregas foram feitas pelos próprios colaboradores da entidade de forma individual nos bairros em que eles moram e os próximos.

O Dia C é marcado por diversas ações focadas na responsabilidade social em áreas da saúde, educação, lazer e meio ambiente promovidas pelos sete ramos de cooperativismo atuantes no país, incluindo o cooperativismo de crédito. A ideia é transformar a realidade social de milhares de comunidades por meio da prestação de serviços. Neste ano, as iniciativas já praticadas pelo Sicoob Acre foram ligadas ao novo coronavírus com estímulo a continuidade delas mesmo após o evento.

Presidente do Sicoob Acre, José Generoso explica que duas etapas foram desenvolvidas. “Cooperação Vem à Casa” e “Pilares e Atuação com o Compromisso Social” reuniram todas as cooperativas do estado para desenvolver iniciativas como arrecadações de alimentos e doações financeiras para atender pessoas carentes, além de ajudar instituições do ramo que tenham sido afetadas e correm risco de extintas com direcionamento para os colaboradores e seus familiares.

“O maior compromisso do Sicoob Acre não é o lucro, mas sim ofertar um retorno social positivo e concreto nas comunidades onde estamos inseridos. Neste ano, distribuímos kits de proteção com álcool em gel e máscaras. Também ofertamos orientações de como prevenir a doença em casa e outros ambientes. Abraçamos a causa do Dia C desde a primeira edição como forma de contribuir com a população, isso me deixa muito realizado e feliz”, relata Generoso.

Continue lendo

ACRE

Governo ignora empresários e parece apoiar cinco militantes do #foraBolsonaro

Bakunin Acriano, o Eremita, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Protesto

Os empresários, com razão, lutam por reabertura e a carreata é uma manifestação legítima e democrática. Claro, a reabertura só pode ser realizada quando os números de internados caírem a ponto de existirem vagas nas UTIs, mas o governo do Estado precisa ajudar, agilizando a abertura do hospital de campanha.

Pacífico

A manifestação foi pacífica, respeitando o distanciamento social e adotando o uso de máscaras, mostrando que os empresários estão preocupados com a pandemia por coronavírus, mas, também, estão preocupados com a economia.

Sem habilidade

Sem respeitar o movimento, o governo do Estado negou o protocolo do documento dos empresários pedindo reabertura de forma gradual. Isso mostra a falta de habilidade de Gladson Cameli em dialogar com a classe que garante a existência do próprio governo por meio do pagamento dos impostos.

Militantes

Cinco pessoas aglomeradas fizeram um protesto contra o pedido feito pelos empresários. Os militantes aproveitaram para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro.

Boicote I

Pior que militantes se acham no direito de anunciar boicote contra os empresários. Acredito que os militantes serão obrigados a mudar de cidade, porque todos empreendedores estão necessitando de retomar as atividades para garantir o pagamento das despesas, dos salários e dos impostos que bancam salários dos servidores e os serviços públicos.

Boicote II

Ao falar em boicote, lembro desse show ao vivo de sábado, essas lives no YouTube que meus netos assistem. Bom, gostei da apresentação promovida pelo governo do Estado, mas é triste que os governistas boicotaram a apresentação, deixando até de apoiar financeiramente o evento e a campanha solidária. O governador Gladson Cameli está sozinho, com apenas poucos apoiadores verdadeiros. Por isso que ele está apoiando a reeleição de Socorro Neri para a prefeitura de Rio Branco?

Sem apoio

Até os deputados, “representantes do povo” pouco se interessaram em apoiar a campanha para arrecadação de recursos para a aquisição de cestas básicas para doação. É triste parecer que existem poucos políticos devotados em ajudar o próximo.

Divulgação

Estava ouvindo a gloriosa rádio Difusora e Aldeia, quando ouvi uma propaganda que deveria falar do combate ao coronavírus, e uma senhora, que seria da zona rural de Brasileia, ocupa a maior parte do tempo elogiando o “maravilhoso” Gladson Cameli. Uma dúvida: é um exagero meu ou as propagandas do governo do Estado sempre colocam Gladson Cameli como personagem central, parecendo um culto à personalidade?

Fascismo

Esses militantes de esquerda, os camaradas, precisam entender que fascismo é um governo totalitário, em que defendem uma presença maior do Estado, unipartidário e que pode ser de esquerda ou de direita. Os extremos se atraem!

Conheça Bakunin Acreano.

E-mail: bakunin.acreano@protonmail.ch

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias