NOSSAS REDES

Eleições 2020

EXCLUSIVO: Ex-prefeito de Tarauacá não poderá candidatar-se em 2020; entenda o porquê

Bakunin Acriano, o Eremita, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Ex-prefeito Vando Torquato permanece inelegível, com direitos políticos suspensos.

‘Venerado’ por muitos eleitores, e criticado por outro tanto, Torquato fez uma gestão que passou longe da ‘ira das novas redes sociais’, como Facebook e WhatsApp, mas foi estilhaçada pela Justiça.

Erisvando Torquato do Nascimento foi vice-prefeito e prefeito por duas vezes de Tarauacá, município do interior do Acre. Sua trajetória política é constituída de inúmeras controvérsias, rivalidades, intrigas, teorias de sabotagem e conspiração.

INÍCIO DA CARREIRA

‘Vando Torquato’, seu nome popular, é natural de Envira (Amazonas), inicialmente era um proprietário de padaria, tipo classe média local, que decidiu entrar na vida política.

No início, não obteve sucesso algum. Candidatou-se como deputado, porém, fracassou. Com o tempo, adquiriu fortes aliados, eleitores e financiamento de campanha.

Aliou-se ao PT, nos primeiros anos da carreira política. Mas a aliança durou pouco. Foi vice-prefeito rejeitado e excluído durante a administração petista, porém, mais tarde conseguiria vencer a Frente Popular (comandada pelo PT) nas eleições majoritárias de 2004, pelo PSDB (45).

ASCENSÃO AO CARGO DE PREFEITO

O sucesso como candidato majoritário não demorou vir.

Em 2004, concorrendo pelo PSDB (45), numa frente de apenas três partidos (PSDB / PFL / PP), Torquato venceu os candidatos do PT e PCdoB, que disputavam as eleições em duas grandes frentes, a primeira composta pelo PT / PTB, e a segunda pelo PC do B / PSB / PMN / PV / PL. Vando venceu com 3.859 mil votos.

A referida disputa aconteceu dois anos após as eleições estaduais no Acre em 2002, ocasião em que Jorge Viana (PT) era governador do Acre.

Quatro anos depois, em 2008, Torquato candidatou-se à reeleição, e conseguiu formar uma coalizão de partidos contra o PT, onde incluía o PP / PMDB / PRP / DEM / PMN / PRB / PSC, denominada Frente Tarauacá no Caminho Certo, e venceu PT e PCdoB juntos, por uma diferença de 313 votos.

Vando venceu com 7.351 mil votos, naquele ano.

Torquato conseguiu eleitores leais, admiradores, vereadores e líderes partidários fortes. Dos nove vereadores da Câmara Municipal, o então prefeito tinha o apoio de Roberto Freire, Edmar Rodrigues, Lulu Neri e Raimundo Furtado, que eram os vereadores da ‘ponta da lança’.

Resultado de imagem para jasone e vando torquatoGladson Cameli e Vando Torquato. 2010 [reprodução]

ESCÂNDALOS

Nessa trajetória, o nome de Torquato também esteve envolvido em inúmeros problemas, escândalos e boatos. Desde boatos de distribuição de panfletos anônimos, pagamento de propina, desvio de recursos públicos, irregularidades administrativas, até comentários sobre incendiar rádio FM local, usar serviços de uma dentista durante a última campanha eleitoral, quando reelegeu-se, para fazer captação ilícita de votos, dentre outras controvérsias.

No seio familiar, Torquato teve vários problemas familiares. Na vida social, passou por altas e baixas. Perdeu aliados, e adquiriu inimigos. Entre amigos, foi esquecido pela maioria, quando os problemas vieram.

O ex-prefeito conhece, como ninguém, o sabor do sucesso e da fama, e a escuridão do esquecimento e da ingratidão.

Em Tarauacá, ficou notório que Torquato pagava até bolsas de estudos para apadrinhados políticos, com dinheiro público; noutras situações, concedendo facilidades para muitas pessoas, privilegiando-as em suas vidas particulares, em detrimento de dinheiro público. Pessoas que, atualmente, são graduadas em medicina, direito, enfermagem, formadas à custa do dinheiro público municipal, sem a devida contraprestação de serviços para o município.

Vando permaneceu em ostracismo e foi esquecido pela maioria das pessoas que ajudou.

VIDA SOCIAL

Logo após o afastamento e cassação do seu mandato pela Justiça, em março de 2011, Torquato viveu retraído e em silêncio. Sem redes sociais, sem vida pública ativa.

No meio do eleitorado humilde do município, Torquato desenvolveu alta capacidade de convencimento e persuasão. Até os dias atuais, o ex-prefeito é amado, e até ‘venerado’ por eleitores do município. Mas na Justiça, o ‘trato’ é outro.

PROBLEMAS COM A JUSTIÇA

Atualmente, na Justiça Federal, Torquato responde a 17 processos como réu, sendo os mais graves duas ações penais, quatro ações de improbidade administrativas, além de algumas ações de execução de título extrajudicial.

 

Na Justiça Estadual, tramitam em desfavor de Torquato aproximadamente 20 processos, incluindo execução de pena, execução de dívida ativa, Ação Civil de Improbidade Administrativa, dentre outras.

 

Torquato foi condenado por crime eleitoral. Responde a algumas ações penais por crime de responsabilidade no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, e ações de improbidade administrativa na Justiça Federal, e ações no Tribunal de Justiça do Acre. No Tribunal de Contas da União, havia em seu desfavor mais de 20 processos por suspeita de irregularidades na aplicação de recursos federais.

Esse acervo de processos judiciais, além de macular a trajetória de Torquato, também o torna inelegível, pela Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar nº. 135, de 2010). Por essa razão simples, o ex-prefeito, não poderá candidatar-se em 2020.

Torquato atualmente ainda cumpre pena e estar com seus direitos políticos suspensos. Não há cassação de direitos políticos, vale lembrar.

ATUALMENTE…

Em que pese os traços positivos da gestão de Torquato, muitos dos quais lembrados com saudosismo até os dias atuais, nada vale aos olhos da Justiça, que possui ‘olhos vendados’ e nada vê.

As vozes do povo que aplaudiu ou criticou não será ouvida nos tribunais. Para a Justiça, é apenas um eco vazio e oco, porque a Justiça não decide ouvindo o povo, e sim documentos. Isso na teoria, é claro.

Resultado de imagem para charge justiça Charge ‘força-tarefa’ [reprodução]

A luz no fim do túnel para o ex-prefeito, se chama Gladson Cameli e Márcio Bittar, que poderão talvez fazer uma ‘força-tarefa’ para salvar Vando Torquato.

Na política e no futebol, até o fim da partida, tudo é possível.

Até breve meus amigos, ótima quinta-feira!

Por Bakunin Acriano, via Redação do Acre.com.br

bakuninacriano@acre.com.br

COLUNA 'CARTAS COMUNISTAS E CAPITALISTAS' é escrita por Bakunin Acriano, o Eremita. Talentoso aos 80 anos de idade, dos quais mais de 30 anos reside no Acre, por isso se diz acriano, onde é conhecido por "Eremita". Foi Comandante de Galvez na guerra pelas terras do Acre. Seu maior prazer, todavia, não é pela guerra. Mas escrever crônicas e críticas sobre a mídia e a política contemporâneas. Esse velho sábio participou da Revolução Russa e Cubana. Razão pela qual ficou durante 20 anos exilado em Amesterdã. Onde aprendeu a ler e usar máquina de escrever. Não gosta de computador, nem internet. Eremita se qualifica modestamente como luso-acriano. Ele, porém, guarda documentos que provam sua identidade como um ex-agente da KGB. (Personagem fictício que faz uma crítica à sociedade)

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Deputada Mara Rocha divulga nota de repúdio a favor do vice-governador, seu irmão

Redação do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A Deputada Federal Mara Rocha, publicou uma nota de repúdio em sua página na rede social do Facebook em favor do vice – governador Major Rochaveja.

 

NOTA DE REPÚDIO PSDB-AC

Em resposta à matéria veiculada nos principais sites do estado nesta última quinta-feira, 02, o Diretório Regional do PSDB-AC vem à público repudiar os ataques proferidos pelo Vice-Prefeito de Tarauacá, Chico Batista, contra a pessoa do Presidente de Honra do PSDB e Vice-Governador do Estado do Acre, Major Rocha.

Rocha é um expoente do Partido da Social Democracia Brasileira e merece respeito ímpar por sua trajetória enquanto liderança política e personalidade pública, não fazendo jus a nenhum dos adjetivos rasteiros e de baixíssimo nível, utilizados como ataque por quem poderia, pelo contrário, vestir-se deles.

Nota-se, surpreendentemente, que as ofensas do Sr. Chico Batista se devem às negativas do partido em considerar uma aliança para a qual ele deseja levá-lo, mas que por nós não virá a ser avaliada, visto que o PSDB entende do momento e do modo como devem ser tomadas as decisões, respeitando sempre as normas partidárias, que são do conhecimento de todos os nossos líderes e correligionários.

Lamentamos que o senhor Chico Batista, tendo optado por uma atitude mesquinha e desrespeitosa contra uma autoridade pública, sinta-se ainda em condição de nos exigir o respeito com que ele exatamente nos falta.

O PSDB reafirma que todos os caminhos que entendermos como os melhores a se trilhar ainda deverão ser construídos com muita cautela, com o necessário respeito e sem quaisquer precipitações, sempre ouvindo igualmente a todos e em diálogo ativo com os demais partidos.

Entenda o caso 

Tudo começou quando o vice – prefeito Chico Batista escreveu um carta desabafando do modo como foi tratado pelo Major Rocha, relatando que o mesmo não cumpriu com os acordos firmados na eleição de 2018.

A carta do Vice – Prefeito

Amigos e amigas, observando os últimos acontecimentos políticos em Tarauacá e em especial as ações do “dono” do PSDB no Acre, Major Rocha, venho através desta, mostrar a minha indignação quanto à forma da condução desrespeitosa com que trata os aliados, aqueles que contribuíram para que o atual governo chegasse ao poder.

Vale destacar que antes da eleição o homem dizia que os aliados seriam tratados com respeito e que o diálogo sempre prevaleceria. No entanto, passado o período eleitoral e com a vitória conquistada, inclusive com o meu nome a disposição como candidato a deputado estadual, com o intuito de somar. O vice-governador se distanciou e o pior, não procurou as lideranças do partido local para tratar e cumprir acordos firmados.

Além do desrespeito, Major Rocha, resolveu se reunir com os petistas, os mesmos opositores das últimas eleições, para garantir abrigo no PSDB. Nada contra os novos filiados, a questão é que em momento algum fomos chamados para uma conversa e discutir as novas adesões.

Quando foi para irmos para o PSDB, houve uma conversa, que no primeiro momento pensava que seria séria, contudo, os acordos não foram cumpridos e ainda, ficamos abandonados, mesmo assim aguardamos contato, o que não houve. Pessoas que agem dessa forma não podem classifica-las de outra maneira a não ser como covardes, trapaceiros e sem escrúpulos.

Ações assim, realmente causam nojo, como o próprio citou em uma matéria, e é exatamente o que ele fez e continuará a fazer, não duvidem.

Como vice-prefeito de Tarauacá e ex-vereador por cinco mandatos, merecia ao menos uma ligação do cidadão em questão.

Assim sendo, não posso mais continuar como membro de um grupo em que seus líderes, a nível estadual, não respeitam os filiados.

Diante dos fatos, resolvemos deixar o grupo político do vice-governador Major Rocha e seguir o nosso caminho. Para os que ficam, que Deus os abençoe.

Francisco Feitosa Batista
Vice Prefeito.

Política em Tarauacá

Eleições se aproximam e os parlamentares aproveitam as janelas partidária para trocar de partido, e assim concorrer as eleições, reeleição e fazer novas alianças políticas.

Como está acontecendo em Tarauacá e em outros munícipes. Porém a discórdia começa cedo de quem tá dentro e com os quem vêem se aproximando, daí surgem os desentendimentos, ciúmes, e polêmicas. Vale ressaltar que a maioria dos refugiados é de partidos desgastados nacionalmente como PT, PCdoB… Com várias séries de escândalos e corrupção em todo o país. E por esses motivos muitos estão se desligando para concorrer as eleições em outros partidos.

Continue lendo

ACRE

Em Tarauacá, Promotora da Justiça Eleitoral opina contra extinção de urna instalada em zona rural

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O autor da ação pede o remanejamento da seção eleitoral instalada dentro de uma localidade rural. Segundo o autor, durante vários e vários anos, a urna vem servindo de meio de barganha eleitoral, cujas lideranças locais negociam os votos da comunidade. O autor juntou um conjunto farto de provas que demonstram as possíveis fraudes praticadas nas eleições de anos anteriores.

Nesse sentido, o autor da ação pede o remanejamento da seção eleitoral (localizada em comunidade rural) para dentro do perímetro urbano, para fins de evitar fraudes durante o pleito eleitoral de 2020. Ele  afirma que “há anos são praticadas várias condutas questionáveis por parte das lideranças locais durante o pleito eleitoral“.

Nesta segunda-feira, 16, a magistrada eleitoral de Tarauacá, Excelentíssima Juíza Joelma Rodrigues Nogueira determinou que a Promotora Eleitoral Dra. Manuela Canuto de Santana Farhat emitisse parecer no prazo de cinco dias. 

No mesmo dia, a Promotora Eleitoral emitiu parecer opinando contrária ao remanejamento da seção, ou seja, para manter a seção eleitoral dentro da comunidade rural, mesmo diante dos possíveis ilícitos eleitorais praticados em anos anteriores, conforme afirma o autor.

“[…] Noutro espeque, consigna-se, por fim, que o petitório foi apresentado em ano eleitoral, período no qual, conquanto inexista vedação legal para implementação de rezoneamento, é consabido que é deveras tumultuado, com um calendário exíguo implantado pela Justiça Eleitoral, e uma alteração dessa envergadura geraria diversos transtornos aos eleitores da localidade. […] Ante o exposto, o Ministério Público Eleitoral opina pelo indeferimento do pedido (…), sem prejuízo de o mesmo ser analisado por equipe técnica do Tribunal Regional Eleitoral do Acre, em momento eleitoral diverso“, afirmou a promotora. 

À reportagem, o advogado do autor afirmou que “as evidências das possíveis ilicitudes que ocorrem dentro da comunidade rural em períodos eleitorais são incontroversas, causa-nos estranheza o Ministério Público Eleitoral de Tarauacá opinar desfavorável, sem ao menos requerer dados ou cotejar analiticamente estatísticas de pleitos anteriores. Foi um parecer veloz, até precipitado esse do MP. O tema será pleiteado junto ao Egrégio Tribunal Regional Eleitoral“, afirmou o advogado. 

O processo aguarda decisão do Juízo Eleitoral de Tarauacá. 

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias