NOSSAS REDES

ACRE

Hitler abraçou uma menina judia; 85 anos depois, a foto foi a leilão

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Uma foto de 1933 mostra o ditador nazista ao lado de uma menina de seis anos de idade cuja avó era judia. A imagem, com uma dedicatória assinada por Hitler, foi arrematada em leilão por mais de 10 mil euros.

Foto de capa: Adolf Hitler abraça Rosa Bernile Nienau, então com 6 anos.

Uma fotografia de Adolf Hitler abraçando uma menina de origem judaica foi vendida esta semana em leilão por 11.520 dólares — cerca de 10 mil euros.

Segundo o Washington Post, a imagem em preto e branco, feita pelo fotógrafo pessoal do ditador, Heinrich Hoffmann, tem uma dedicatória de Hitler, em tinta azul escura. A imagem o retrata sorrindo enquanto abraça Rosa Bernile Nienau, então com 6 anos, em 1933 em Berghof, seu retiro nas montanhas. “À querida e apreciada Rosa Nienau. Adolf Hitler, Munique, 16 de junho de 1933“, diz a inscrição.

O jornal explica que a imagem foi usada como propaganda, em uma altura em que o líder nazista era apresentado ao mundo como uma figura gentil e simpática.

Na terça-feira passada, a casa de leilões Alexander Historical Auctions, da cidade de Chesapeake, no estado norte-americano de Maryland, leiloou a foto. Ninguém sabe de que forma a imagem chegou à posse da casa de leilões, nem a identidade do comprador.

A casa de leilões revelou que, segundo suas pesquisas, Hitler soube da origem judaica da menina, mas optou por ignorá-la. A menina, que tinha cerca de 6 anos de idade quando a foto foi tirada, tinha uma avó judia — o que, segundo as leis nazistas, fazia com que a menina fosse “um quarto judia”.

Segundo a casa de leilões, Rosa teria visitado Hitler com a mãe, para celebrar o aniversário do ditador, e provavelmente teria sido escolhida para conhecê-lo por terem nascido no mesmo dia, 20 de abril. Hitler e a menina teriam criado uma ligação, tendo-se encontrado várias vezes e trocado correspondência durante cinco anos, até 1938.

De acordo com o livro Hitler’s Alpine Headquarters, de James Wilson, um dos assistentes de Hitler descobriu as raízes judias da jovem e a proibiu de visitar o retiro.

Após algum tempo, Hitler, que não tinha sido informado sobre a proibição, perguntou o que tinha acontecido à sua criança favorita – descobrindo que Rosa tinha sido proibida de visitá-lo. Segundo o livro, Hitler não ficou nada satisfeito com o fato.

Após a ascensão de Hitler e dos nazistas ao poder, os judeus começaram a ser perseguidos. A chamada “Noite dos Cristais”, em 1938, marcou o início do Holocausto, que resultou na morte de 6 milhões de judeus. Rosa Nienau morreu de poliomelite em 1943, dez anos depois do encontro com o ditador nazista.

Essa não foi a primeira vez que a casa de leilões de Maryland negociou objetos ligados a Adof Hitler. Em fevereiro de 2017, o telefone vermelho do ditador nazista, apresentado como a “arma mais destrutiva” da história, foi vendido em leilão por 243 mil dólares. Ciberia // ZAP / Deutsche Welle

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat