NOSSAS REDES

CRIME

Jovem de 15 anos é decapitada por facção criminosa em zona rural de RR

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Nove suspeitos de decapitar adolescente são detidos pela PM

Corpo da adolescente de 15 anos foi encontrado nesta segunda-feira (23). No total, 12 pessoas são suspeitas de envolvimento no crime.

Nove suspeitos de envolvimento na morte da adolescente Glória Emanuelly Dias Silva, 15, foram detidos por policiais militares em uma operação que teve início no começo da tarde desta segunda-feira (23), após a informação de que uma tia da vítima estaria em cativeiro e também seria executada. O corpo da adolescente foi encontrado pela manhã na região do Urubuzinho, zona Rural de Boa Vista, na margem da RR-205, que liga Boa Vista ao município de Alto Alegre.

O desfecho do caso ocorreu já no período da noite, quando todos os suspeitos foram conduzidos ao Plantão da Polícia Civil para que fosse adotada a medida cabível ao caso. Do total de nove suspeitos, cinco são mulheres e duas são parentes da jovem morta, sendo a própria tia e uma filha desta, prima da vítima. Segundo a acusação da polícia, a própria tia e a prima teriam feito “casinha” para a jovem ser executada.

Os outros quatro suspeitos são homens e as equipes policiais procuraram por mais três suspeitos. Foto: Nonato Sousa

Também de acordo com a apuração dos fatos feita pelas equipes policiais, a morte de Glória Silva foi mais um crime atribuído à briga que envolve duas facções criminosas que atuam em todos os estados do país, dentro e fora dos presídios, pela hegemonia do crime.

TRIBUNAL DO CRIME

A adolescente Glória Silva teria sido morta por supostamente pertencer à facção rival. Foto: Divulgação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A adolescente teria sido morta por supostamente pertencer à facção Comando Vermelho (CV), e sua execução foi decidida por um líder da facção rival, denominada Primeiro Comando da Capital (PCC), do estado do Paraná. Segundo informações do sargento PM que comandou a ação policial, após supostamente ser atraída pela tia e prima no domingo (22), Glória Silva foi levada para ser julgada pelo tribunal do crime, em um cativeiro no bairro Senador Hélio Campos, zona Oeste de Boa Vista.

Posteriormente, ao ser “condenada à morte”, a jovem foi levada para ser executada e pela manhã foi encontrada decapitada, de bruços e com a cabeça sobre as costas, no lavrado na região de balneários do Urubuzinho. A jovem foi identificada pelas impressões digitais, pela perícia papiloscopista, após o corpo ser removido ao Instituto de Medicina Legal. Também familiares reconheceram seu corpo, que ainda ontem foi liberado para o velório e sepultamento após o exame cadavérico que determina a causa da morte.

MAIS CONDENAÇÕES

Na noite de ontem, após entregar os suspeitos na delegacia, o comandante da guarnição policial que chegou ao grupo conversou com o Roraima em Tempo e revelou que apesar de ter feito “casinha” para a sobrinha ser morta, a tia também teria sido condenada à morte pelo PCC, porém ela teria pedido para matarem a filha. No entanto, segundo o policial, a facção teria decido matar as duas, mãe e filha. A execução delas ocorreria entre a noite de segunda-feira (23) e a madrugada desta terça-feira (24), porém, a ação policial abortou as execuções.

“Recebemos uma denúncia anônima de que a tia da jovem decapitada também seria morta, e que ela estava em um cativeiro no Conjunto Pérola, bairro Doutor Airton Rocha. Diante da informação, minha equipe que é do 2º Batalhão da Polícia Militar, junto com as equipes da Força Tática, Choque, e do Departamento de Inteligência e Informação (DII) da PM, foram até o local e encontraram mãe e filha, além de outros suspeitos. Durante a ação policial, descobrimos através do celular da mulher [tia da jovem decapitada], uma mensagem do comando do PCC do Paraná, que determinou a morte dela também”, relatou o policial.

Ainda de acordo com a fonte policial, a mulher inicialmente aceitou armar a emboscada para a sobrinha, com o intuito de ingressar na facção PCC, porém, o comando da facção teria decidido matá-la depois disso, por considerar que ela sabia que a sobrinha era da facção rival, considerada “lixo”, e deveria ser morta. Mas a mulher tentou se livrar da execução e teria oferecido a filha para morrer em seu lugar, no entanto, o chefe da facção teria ordenado a morte das duas.

OUTRAS PRISÕES

Durante a ação policial foram apreendidas quatro facas e os celulares dos suspeitos. Foto: Nonato Sousa.

Além da ação policial na casa no Conjunto Pérola, as equipes também estiveram em outro local usado como cativeiro da jovem decapitada, no bairro Senador Hélio Campos, onde dois dos suspeitos foram detidos. Armas brancas (facas), no total de quatro, foram apreendidas e a suspeita é que foram usadas para matar a adolescente Glória Silva.

Relógios e celulares dos suspeitos também foram apreendidos e devem passar por uma perícia da Polícia Civil. Ainda segundo o policial, todos os suspeitos confessaram participação no crime, sendo que alguns alegaram que participaram apenas do ‘tribunal do crime’, e negaram envolvimento na morte da adolescente.

ADOLESCENTES 

A reportagem apurou que entre as cinco mulheres detidas, duas seriam adolescentes. Elas e os demais suspeitos foram entregues no plantão da PC por volta das 21h, e até a saída da reportagem o interrogatório ainda estava em andamento.

OUTROS SUSPEITOS

Roraima em Tempo apurou ainda que além dos nove suspeitos detidos nessa segunda-feira, outros três indivíduos estão sendo procurados pelas equipes policiais, totalizando 12 pessoas envolvidas no julgamento e execução da adolescente.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!
WhatsApp chat