NOSSAS REDES

CRIME

No AC, mulher que perdeu bebê após agressão do amante aguarda cirurgia na perna

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Mônica Conceição, de 21 anos, passou um mês na UTI do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco, mas foi transferida para a enfermaria, onde permanece desde 30 de abril. Mesmo estando fora de perigo, ela ainda não tem previsão de alta, pois ainda deve passar por mais uma cirurgia na perna que teve fratura exposta.

Mônica estava grávida de 4 meses e foi vítima de uma tentativa de feminicídio no dia 30 de março, em Cruzeiro do Sul, interior do Acre. O suspeito, amante dela, João da Silva, de 33 anos, foi preso quatro dias após o crime.

Ela levou dois cortes profundos na cabeça e perdeu parte da massa encefálica, foi atingida no abdômen e teve fraturas no braço e na perna. Ela também perdeu o filho após a agressão.

Devido à gravidade das lesões, Mônica foi transferida para a capital e perdeu o filho. Depois de passar por quatro cirurgias, o marido afirma que a mulher está fora de risco, mas aguarda mais um procedimento cirúrgico para colocar placas de platina na perna.

“Ela ainda não anda, mas já está com as cirurgias da cabeça cicatrizadas e os médicos disseram que não tem mais riscos. Ela também já não está mais sentido dores. Agora precisa fazer mais uma cirurgia na perna para, mas dizem aqui não tem o material para fazer a essa cirurgia e estamos aqui aguardando”, disse Anazildo da Silva.

CRIME

Família é sequestrada no interior do Acre e mantida refém por 9 horas

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Sequestro ocorreu por volta das 13 horas na casa. Suspeitos renderam a família de seis adultos e uma criança de 10 anos.

capa: Família é sequestrada no interior do Acre e mantida refém por 9 horas — Foto: Reprodução: Google street wiew.

Uma família de sete pessoas foi sequestrada na tarde deste domingo (9) e ficou pelo menos 9 horas mantida como refém. O sequestro ocorreu no Ramal Samaúma, no km 25 entre os municípios de Acrelândia e Plácido de Castro, no interior do Acre.

O sequestro ocorreu por volta das 13 horas quando os criminosos entraram na casa e renderam a família de seis adultos e uma criança de 10 anos, segundo o relato de um familiar que preferiu não ser identificado.

As vítimas foram colocadas em dois carros que pertenciam à família e levados pelos bandidos.

Logos após a ação, vizinhos que viram os carros saírem em alta velocidade foram até a casa e, quando não encontraram ninguém e o local revirado, entraram em contato com familiares que fizeram uma mobilização por meio das redes sociais em busca de informações.

O delegado Samuel Mendes, que investiga o caso, contou que o contato com a polícia foi feito por um familiar que mora em uma fazenda que fica perto da propriedade onde o sequestro ocorreu.

“Um dos parentes ligou para a polícia e disse que estava sentindo a falta de alguns parentes que são de uma fazenda próxima e foi comunicada à Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal (PRF). Por volta das 21 horas recebemos a informação de que a família já tinha sido liberada. Foram subtraídos os veículos e a quantia de R$1 mil”, disse o delegado.

O familiar informou que após 9 horas do sequestro as vítimas foram encontradas amarrados no mesmo ramal sobre a segunda ponte do Igarapé Santa Helena.

“Hoje, nós vamos entrar em contato e estar ouvindo, colhendo informações destas pessoas. Eles apareceram ontem à noite e, às vezes, as próprias vítimas querem primeiro esfriar a cabeça”, acrescentou Mendes.

O delegado disse que possui algumas informações sobre a suspeita de quem são os criminosos, mas não pode adiantar para não atrapalhar as investigações.

Continue lendo

ACRE

Cinco réus acusados de matar casal em Rio Branco são ouvidos em audiência de instrução

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Audiência de instrução que ocorre na 1ª Vara do Juri, na manhã desta sexta-feira (7).

capa: Casal foi morto em janeiro deste ano em bairro de Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal.

Os cinco réus acusados do assassinato do casal de namorados Tereza da Silva Santos, de 64 anos, e Cosmo Ribeiro Moura, de 43, no dia 16 janeiro deste ano são ouvidos em audiência de instrução que ocorre na 1ª Vara do Juri, na manhã desta sexta-feira (7).

A informação foi confirmada pela vara e também pelo advogado Armyson Lee, que representa Marciano de Melo Marinho. O advogado preferiu não comentar o caso e apenas afirmou que acredita da impronúncia do cliente dele.

A audiência começou por volta das 10 horas desta sexta e ocorre por meio de vídeoconferência.

Além de Marciano Marinho, os outros acusados são Antonio Eliel de Sousa Gomes, Jefersson Almeida da Silva, Alisson Souza de Olinda e Francisco Almeida da Silva. O processo está em segredo de Justiça e G1 não conseguiu contato com os advogados dos réus até última atualização desta reportagem.

Relembre o caso

A casa das vítimas, no bairro Belo Jardim, região do Segundo Distrito de Rio Branco, foi invadida e os dois foram assassinados a tiros e golpes de facão. O duplo homicídio foi descoberto quando o vizinho viu o carro do casal em cima da calçada, foi olhar, encontrou as vítimas e acionou a polícia.

Tereza era sogra da ex-secretária da Fazenda do Acre Semírames Plácido Dias. Na época do crime, o governo do Acre chegou a publicar uma nota lamentando a morte do casal e afirmou que os órgãos de segurança estariam empenhados para prender os suspeitos.

Motivação do crime

Após quase três meses de investigações, a Polícia Civil concluiu o inquérito da morte do casal.

Em entrevista exclusiva ao G1 em abril deste ano, o delegado responsável pelo caso, Martin Hessel, afirmou que a motivação do crime foi porque a vítima Cosmo Ribeiro Moura confrontava a facção que atuava no bairro por não aceitar as determinações da organização criminosa.

Inicialmente, a polícia suspeitou que o crime tinha ocorrido durante uma tentativa de assalto e que teria sido um latrocínio. Mas, essa hipótese foi descartada e ficou confirmado que o casal foi vítima de uma execução.

Suspeitos

Ao todo, seis suspeitos foram indiciados pelo crime de duplo homicídio com as qualificadoras: motivo fútil, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa das vítimas e pelo crime de integração a organização criminosa.

Entre os seis indiciados, segundo o delegado, um seria o mentor do crime, o outro teria autorizado e os outros quatro foram os executores. Cinco suspeitos estão presos e um segue foragido.

Um sétimo suspeito também estava na lista dos que seriam indiciados pelo crime, mas, ele foi morto durante uma tentativa de assalto a uma chácara no último dia 25 de março.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Obter empréstimos