NOSSAS REDES

ACRE

Prefeitura acusa empresa terceirizada de não pagar servidores mesmo com dinheiro em caixa

PUBLICADO

em

A reclamação de salários atrasados de quem trabalha em empresa terceirizada no Acre não é mais novidade. Mas, uma situação com uma empresa com contrato com a prefeitura de Rio Branco chama a atenção. É que a própria gestão acusa a empresa de não pagar seus funcionários, mesmo com dinheiro em caixa.

De acordo com Joabe Lira, secretário municipal de Zeladoria da Cidade, a empresa ETROPUS, contratada pela prefeitura de Rio Branco para a execução de serviços de limpeza (roçagem mecânica com roçadeiras) da cidade, se nega a pagar os salários de seus funcionários relativos ao mês de abril deste ano.

De acordo com o secretário, no dia 5 de maio, o município cumpriu sua obrigação de pagar a ETROPUS o valor de R$ 167.338,32 (Cento e sessenta e sete mil, trezentos e trinta e oito reais e trinta e dois centavos), referente a medição dos serviços prestados pela empresa, conforme reza o contrato assinado pelas duas partes.

“O dinheiro foi creditado na conta da empresa, todavia fomos comunicados pela sua direção de que a ETROPUS vai utilizar os recursos que estão em sua conta para priorizar o pagamento de débitos com encargos sociais e fornecedores, deixando de quitar os salários de seus trabalhadores, o que é prioridade, e que consideramos injustificável”, revelou Joabe Lira.

De acordo com o secretário, a ETROPUS vem quebrando sucessivamente o contrato firmado com a prefeitura, numa tentativa de utilizar seus empregados para pressionar o Município a pagar além do que lhe é devido.

“Isso é um verdadeiro absurdo e nós não aceitaremos que os trabalhadores sejam penalizados. Se a empresa acha que tem direito de receber mais, que procure a justiça, utilize os meios legais”, enfatizou Joabe Lira, acrescentando que caso a empresa deixe de pagar seus trabalhadores o município pretende recorrer aos meios legais, inclusive o Ministério Público do Trabalho para encerrar o contrato com a mesma.

“Essa situação, que é reiterada, é inadmissível e a Prefeitura não aceitará que os trabalhadores sejam penalizados e nem que a população seja prejudicada pela falta dos serviços contratados para a limpeza da cidade”, concluiu, na manhã desta sexta-feira, 7, o secretário.

A reportagem não conseguiu falar com representantes da Etropus. O espaço está aberto, caso haja interesse da empresa em se pronunciar.

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

REDES SOCIAIS

MAIS LIDAS

WhatsApp chat