NOSSAS REDES

ESPECIAL

Relato de um sobrevivente: Calma nos salvou, relata motorista de caminhonete levada por onda de lama

Folha de São Paulo, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Veja o vídeo:

Funcionários da Vale contam como sobreviveram a rompimento da barragem em Brumadinho (MG).

Foto de capa: Caminhonete usada por Elias e Sebastião para tentar fugir da lama.

O “pai nosso que estais no céu” começou quando Elias e Sebastião viram que não tinha mais saída. Eles até tentaram fugir, dirigindo em zigue-zague em busca de uma estrada que leva a um ponto mais alto da mina, mas àquela altura a lama já havia cercado a caminhonete em que os dois amigos estavam.

Veio um primeiro estrondo: eram os rejeitos batendo em uma das portas. Veio um segundo estrondo: eram os rejeitos batendo na outra. O carro balançava, mas a reza seguia forte, já gritada. No exato momento em que terminaram dizendo “amém”, tudo parou.

A lama havia levantado a caminhonete, que ficou na diagonal, com o lado do passageiro virado para o céu. Os poucos segundos que se seguiram até que eles saíssem do carro foram uma mistura de choque e calma. Sebastião paralisou, mas Elias se esticou e conseguiu abrir a porta do lado do amigo.

A poucos metros dali, Leandro já estava quase completamente soterrado, só com parte do rosto para fora. Respirava com dificuldade, porque seus pulmões estavam prensados entre a lama e a carregadeira que ele conduzia, mas ainda podia pedir socorro.

No alto, à esquerda, a caminhonete onde estavam Sebastião Gomes e Elias Nunes; mais ao centro, a carregadeira laranja onde estava Leandro Cândido 

https://i0.wp.com/f.i.uol.com.br/fotografia/2019/01/26/15485183445c4c83c8c90ad_1548518344_3x2_md.jpg?resize=740%2C493&ssl=1

Só estava vivo porque alguns momentos antes, quando viu a lama fazer com que vagões de trem voassem bem na sua frente “como cena de filme”, pensou rápido a ponto de tirar o cinto e quebrar o vidro lateral com o pé. 

Quando a lama chegou rompendo o para-brisa e “tomando a máquina toda”, ele teve por onde sair.
Mas não conseguiria ter saído sozinho. Elias e Sebastião andaram sobre a densa lama de rejeitos até chegarem a ele e cavaram com as mãos os escombros para arrancá-lo dali. “Pode puxar”, dizia ele mesmo, com a perna presa no maquinário. A bota ficou.

https://i0.wp.com/f.i.uol.com.br/fotografia/2019/02/02/15491362115c55f1537ef57_1549136211_3x2_md.jpg?resize=740%2C493&ssl=1

Foto: Elias de Jesus Nunes, 43, sobrevivente que estava em caminhonete.

A partir daí ele não lembra direito o que aconteceu, só viu depois na TV, já com a perna fraturada e 22 pontos no braço: um helicóptero da TV Record registrou Sebastião, que estava erguendo um colete laranja para que resgatassem Leandro. Alguns minutos depois chegou a aeronave da Polícia Militar, que o levou a uma ambulância e, finalmente, ao hospital.

Elias Nunes, 43, Sebastião Gomes, 53, e Leandro Cândido, 37, estão entre as pessoas resgatadas com vida após o rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho (região metropolitana de Belo Horizonte), naquela sexta-feira (25). Outras 121 morreram e 226 continuam desaparecidas, a maioria delas também funcionárias da Vale.

Sebastião trabalha para a companhia há nove anos; Elias, há 13. A função dos dois naquele dia era acompanhar funcionários terceirizados que prestavam serviços sanitários em uma fossa do complexo da mina do Córrego do Feijão.

“A calma nos salvou. Se tivesse me desesperado, a gente estaria ali hoje sendo achado pelos bombeiros como 80%, 90% dos amigos que eu perdi”, diz Elias, que saiu ileso, em sua casa na cidade de Mário Campos (Grande Belo Horizonte) junto das filhas.

Quando ouviu um barulho “que parecia de dinamite” da barragem ruindo, foi ele quem pensou em sair correndo para dentro da caminhonete e chamou Tião, como o colega é conhecido, para entrar no banco do passageiro.

Tião chegou a tropeçar antes de chegar no carro, mas conseguiu se levantar. Elias dirigiu até se ver cercado pela lama. Foi quando desligou o veículo, com medo de que ele pegasse fogo com o impacto dos rejeitos, e eles começaram a rezar.

“É uma força muito grande [a da lama], acho que nem uma bomba atômica faria aquilo. [Depois que a onda de rejeitos passa], é como se nunca tivesse existido nada ali”, descreve Elias.

Toda a cena da fuga foi filmada por uma câmera de segurança da mineradora e divulgada depois pela Band. Ele não gosta de rever as imagens, que têm passado frequentemente na televisão.

Sebastião está há sete dias quase sem dormir, chorando a todo momento.

“Não estou querendo falar muito sobre isso, o psiquiatra me deu até esses remédios pra eu tomar”, afirma ele em seu sofá ao lado da esposa, na cidade de Betim, também na Grande BH.

Cabisbaixa e com a fala lenta, Ana Gomes, 47, diz que agora tem que ser forte em dobro, por si e pelo marido. “Mexe com a mente da gente demais da conta. Ele não consegue nem conversar direito, dá desespero e choro nele, perdeu muitos amigos.” Fisicamente, porém, Sebastião só sofreu alguns arranhões nos joelhos e nos braços.

Já para o pai de Leandro, faltaram palavras na hora em que conheceu a dupla que resgatou seu filho, que trabalha há dois anos carregando os vagões do trem com minério de ferro que foi arremessado e soterrado pela lama.

“Eles disseram ‘fomos nós que salvamos o seu filho’. Eu não tive nem argumento para responder, só agradeci e chorei”, conta Antônio Cândido, 62, ainda com os olhos marejados.

A Vale até agora não trouxe a público os documentos que, diz a empresa, atestavam a estabilidade da barragem 1 da mina do Córrego do Feijão. Segundo a mineradora, os papéis foram “entregues às autoridades competentes”.

Conforme revelou a Folha, a empresa já previa em seu plano de emergência que a área da administração e o refeitório (onde morreu a maioria das pessoas) poderiam ser destruídos em menos de um minuto caso a estrutura colapsasse.

Oito dias depois, Leandro ainda se questiona sobre como tudo aconteceu. “Meia hora antes estava rindo com os amigos. Fico pensando como tudo mudou tão rápido.” Por Fabrício Lobel e Júlia Barbon. 

CIDADES

Mesmo em recesso da Assembleia, Deputado Roberto Duarte cumpre agenda proativa em Tarauacá

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Nesta quarta-feira, 17, o Deputado Estadual Roberto Duarte (MDB) cumpriu extensa agenda política no município de Tarauacá, acompanhando de sua Equipe de Gabinete, além do articulador de política institucional Marcos Vitorino (sem partido), e da ex-vereadora Maria José.

O Deputado, que é considerado um ´amigo de Tarauacá´,  proferiu uma palestra na Escola de Ensino Médio Djalma da Cunha Batista para alunos do 2º e 3º anos, sobre o tema ´´Direito e Cidadania´´. Em seguida, foi recebido, em visita de cortesia, pela Prefeita Marilete Vitorino, com quem desfruta de amizade pessoal. 

Após o encontro com os estudantes, Duarte foi entrevistado na Rádio Difusora Acreana, no Programa Gente em Debate, pelo Radialista Albanir Morais.

Na entrevista ao Programa Gente em Debate, do sistema público de comunicação, Duarte prestou contas dos seis meses de mandato. Falou da sua atuação parlamentar, dos projetos de sua autoria, e daqueles projetos já sancionados pelo Governador Gladson Cameli. ´´Sou um amigo de Tarauacá, e nosso mandato sempre estará à disposição dos munícipes de todo o Acre´´, frisou Duarte. 

No período da tarde, Duarte visitou a Farmácia Central do Município, para conhecer seu sistema de controle e distribuição de medicamentos. 

´A Prefeita Marilete Vitorino e toda equipe da Farmácia Central do Município estão de parabéns. Conheci o Coordenador Ronilson Barbosa do Ó, e o Farmacêutico Roberto Saraiva que me apresentaram o trabalho da equipe. A Farmácia é um exemplo de boa gestão no tocante ao sistema de controle e distribuição de medicamentos. Vou levar a ideia aos outros municípios do Acre´´, disse Duarte.

Ainda no período da tarde, Duarte se reuniu com líderes partidários locais, e participou de um bate-papo com alunos de 1º, 2º e 3º do ensino médio, onde conversaram sobre ´´Tribunal do Júri, Experiências e Vivências na Advocacia Acreana´´. No encontro, Duarte falou de suas experiências como advogado e respondeu às perguntas dos estudantes. 

Além da pauta da educação, incluindo Direito e Cidadania, Duarte também luta pela melhoria da segurança pública, e nesse sentido aproveitou a ocasião para visitar a Delegacia de Polícia de Tarauacá, sob o comando do Delegado de Polícia Civil Dr. Valdinei Soares da Costa e sua equipe de policiais civis.

A visita teve o propósito de conhecer a realidade do município e as condições de trabalho dos agentes. O parlamentar e sua equipe se comprometeram em reivindicar as melhorias necessárias ao município. 

Ainda na pauta da segurança pública, Duarte se reuniu com jovens que prestaram o concurso da polícia civil e militar, e estão no cadastro de reserva aguardando convocação por parte do Governo do Estado.

Veja o vídeo:

 

O parlamentar se comprometeu em manter sua luta à favor dos jovens que prestaram o concurso e aguardam convocação. ´´Já conversei com o Governador Gladson Cameli, e ele me garantiu que fará a convocação daqueles que estão no cadastro de reserva. Mantenho minha palavra que vamos continuar reivindicando o chamamento dos concursados´´, destacou Roberto. 

No final desta quarta-feira, Duarte caminhou pelo centro de Tarauacá, visitou a Sorveteria do Yede, e conversou com amigos e eleitores.

QUINTA-FEIRA

A partir desta quinta-feira, 18, Duarte e seu Gabinete seguem viagem para o Vale do Juruá. Mas antes, visitará o Mercado Municipal de Tarauacá, Prefeitura Municipal Hospital Dr. Sansão Gomes, além de encontro com líderes partidários. 

O propósito das atividades é manter constante contato com os munícipes, através do seu gabinete parlamentar.  

Duarte e seu Gabinete aproveitam o recesso parlamentar para visitar os municípios do Acre, e ouvir os munícipes. Já visitou Sena Madureira, Manuel Urbano e Feijó, e nesta quarta e quinta-feira foi a vez de Tarauacá. A partir desta quinta-feira, 18, Duarte segue viagem para o Vale do Juruá. 

Continue lendo

ACRE

No Jordão, Tribunal de Justiça do Acre realiza Projeto Cidadão no dia 19 de julho

Gecom TJAC, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A ação, idealizada pelo Poder Judiciário Acreano, é voltada à população mais necessitada.

O Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC) realizará na sexta-feira, dia 19, no município de Jordão, mais uma edição do Projeto Cidadão, incluindo a celebração do Casamento Coletivo para o encerramento da atividade.

A ação, solicitada pela Câmara de Vereadores do Município, será promovida na Escola Estadual Jairo de Figueiredo Melo durante todo o dia tendo como principais serviços a expedição de RG, CPF, título de eleitor e audiências judiciais para ações simples.

O município de Jordão é um dos mais isolados do Acre permitindo acesso somente fluvial e aéreo. A maioria dos moradores é de baixa renda e vive em situação de vulnerabilidade não podendo custear uma viagem até a cidade mais próxima.  A população indígena responde atualmente a 40% da comunidade pertencente a Jordão.

A prefeitura do local também estará presente com equipes para atendimentos na área da saúde, informações sobre Bolsa-Família, vacinação entre outros. Equipes do Ministério Público e Defensoria Pública também estarão prestando atendimento. A atividade conta ainda com a parceria do Governo do Estado do Acre.

Projeto Cidadão

Desde a sua criação, no ano de 1995, o Projeto Cidadão já atendeu mais de um milhão de pessoas, nos mais distantes lugares da Floresta Amazônica Acreana, a fim de democratizar os serviços públicos e fortalecer o exercício da cidadania.

A ação, idealizada pelo Poder Judiciário Acreano, é voltada à população mais necessitada, disponibilizando o direito à documentação básica, como também o acesso rápido e gratuito aos serviços públicos fundamentais.

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

WhatsApp OLÁ INTERNAUTA! : )