NOSSAS REDES

Rio Branco

Semsa alerta para vacinação de gripe e sarampo

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A prefeitura de Rio Branco, por meio da secretaria Municipal de Saúde (SEMSA), faz um chamamento a população, que busque as unidades de saúde para garantir a imunização contra a influenza (gripe) e o sarampo, doenças que fazem vítimas em todo o Brasil. 
.
.
A população de Rio Branco – independente da idade, que não tomou ainda vacina contra a influenza, a gripe, deve procurar uma unidade de saúde para garantir a imunização. A diretora do Departamento de Vigilância Epidemiológica da secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco, Socorro Martins, faz o alerta lembrando que este ano na capital, 6 pessoas já morreram vítimas da doença. Durante todo o ano passado, a gripe causou 5 óbitos na capital acreana. 
.
Socorro cita que, por causa da baixa procura pela vacina, o Ministério da saúde prorrogou a campanha de vacinação em duas ocasiões chegando a liberar a vacina para todas as pessoas e não só para o público alvo. 
.
.
Além das doses que estão nas 55 unidades de saúde da capital, no estoque da SEMSA, ainda há 10.700 doses. “Temos as doses à disposição, já intensificamos a campanha, e mesmo assim, a procura é baixa. Mais uma vez alertamos que a gripe, a influenza mata. Os pais devem levar as crianças para a imunização”, insiste ela.
.
Sarampo 
.
Outro alerta da Vigilância Epidemiológica é com relação a vacina contra o sarampo, que também está disponível nas unidades de saúde para crianças entre 1 a menor de 5 anos de idade. 
.
.
A vacinação é a única medida de prevenção eficaz contra o sarampo. Com um ano, as crianças devem tomar a vacina tetra viral que previne contra sarampo, caxumba e rubéola. Com um ano e três meses, recebem a dose da terra valente, que além das três doenças também garante imunização contra catapora.    
.
Entre os dias 6 a 31 de agosto, será desencadeada a Campanha Nacional de Vacinação Contra o Sarampo e todas as crianças, mesmo as que já tomaram as duas doses, devem ser vacinadas novamente. “Como se trata de uma campanha nacional, mesmo as crianças vacinadas, devem ser novamente imunizadas”, informa Socorro Martins.  
.
O sarampo é uma doença infecciosa aguda, grave, transmissível e extremamente contagiosa, muito comum na infância. A viremia, causada pela infecção, pode evoluir com gravidade e causar complicações, como pneumonia e encefalite. Além disso, as complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade.
.
Transmissão
.
A transmissão do sarampo ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções respiratórias expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar, no período de quatro a seis dias antes do aparecimento do exantema até quatro dias após, sendo o período de maior transmissibilidade dois dias antes e dois dias após o início do exantema.
.
A definição de caso suspeito de sarampo adotada pelo Ministério da Saúde é: “todo paciente que, independentemente da idade e da situação vacinal apresentar:
.
Febre alta, acima de 38,5°C; e
.
Manchas vermelhas, que surgem primeiro no rosto e atrás das orelhas, e, em seguida, se espalham pelo corpo, acompanhados de um ou mais dos seguintes sinais e sintomas:
.
Tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite; ou 
.
Manchas brancas que aparecem na mucosa bucal conhecida como sinal de koplik, que antecede de 1 a 2 dias antes do aparecimento das manchas vermelhas. Da Assessoria. Fotos Assis Lima e Fagner Delgado/DECO.

ACRE

Dia C: Sicoob Acre entrega mais de dois mil kits em comunidades carentes da capital e interior do Estado

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Apesar da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no estado, a Cooperativa de Créditos e Investimentos do Acre (Sicoob Acre) participou neste sábado, 4, do Dia de Cooperar, ou Dia C, atividade desenvolvida pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). Direcionada em ações de combate à doença neste período, a instituição financeira entregou de forma gratuita mais de dois mil kits de higiene e proteção, com máscaras e álcool em comunidades carentes da capital e interior.

Celebrada sempre no segundo sábado de julho, a data este ano tem como tema “Atitude simples movem o mundo” realizada nos 26 estados brasileiros, além do Distrito Federal. No estado, a ação do Sicoob Acre atendeu diversos bairros de Rio Branco, Acrelândia, Brasileia e Cruzeiro do Sul. Para evitar aglomerações, as entregas foram feitas pelos próprios colaboradores da entidade de forma individual nos bairros em que eles moram e os próximos.

O Dia C é marcado por diversas ações focadas na responsabilidade social em áreas da saúde, educação, lazer e meio ambiente promovidas pelos sete ramos de cooperativismo atuantes no país, incluindo o cooperativismo de crédito. A ideia é transformar a realidade social de milhares de comunidades por meio da prestação de serviços. Neste ano, as iniciativas já praticadas pelo Sicoob Acre foram ligadas ao novo coronavírus com estímulo a continuidade delas mesmo após o evento.

Presidente do Sicoob Acre, José Generoso explica que duas etapas foram desenvolvidas. “Cooperação Vem à Casa” e “Pilares e Atuação com o Compromisso Social” reuniram todas as cooperativas do estado para desenvolver iniciativas como arrecadações de alimentos e doações financeiras para atender pessoas carentes, além de ajudar instituições do ramo que tenham sido afetadas e correm risco de extintas com direcionamento para os colaboradores e seus familiares.

“O maior compromisso do Sicoob Acre não é o lucro, mas sim ofertar um retorno social positivo e concreto nas comunidades onde estamos inseridos. Neste ano, distribuímos kits de proteção com álcool em gel e máscaras. Também ofertamos orientações de como prevenir a doença em casa e outros ambientes. Abraçamos a causa do Dia C desde a primeira edição como forma de contribuir com a população, isso me deixa muito realizado e feliz”, relata Generoso.

Continue lendo

ACRE

Igreja que ignorou quarentena e reuniu mais de 100 fiéis no AC é alvo de representações do MPF

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Representações cível e criminal foram enviadas para MP-AC investigar prática.

CAPA: Reunião com mais de 100 fiéis na Assembleia de Deus virou alvo de representações do MPF — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre.

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus virou alvo de uma representação do Ministério Público Federal (MPF), após ter reunido mais de 100 fiéis em uma reunião durante a quarentena, na Avenida Antônio da Rocha Viana, em Rio Branco.

O encontro de líderes religiosos foi flagrado por uma equipe da Rede Amazônica Acre, no último dia 18. Em contato com a reportagem no dia seguinte, o presidente do templo sede da Assembleia de Deus, pastor Luiz Gonzaga, confirmou que reuniu entre 100 a 120 fiéis no templo.

O G1 tentou contato com o pastor nesta segunda-feira (29), mas não obteve resposta até a última atualização desta matéria.

O MPF divulgou que enviou, por meio de uma Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão (PRDC), uma representação cível e criminal contra a igreja e também o pastor Luiz Gonzaga, por desrespeitarem o decreto governamental que proíbe encontros religiosos durante a pandemia do novo coronavírus.

O número de infectados pelo novo coronavírus passou de 13,1 mil, segundo o boletim da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) desta segunda.

Mais 360 pessoas já morreram vítima da Covid-19 no estado. Outras 7.188 mil pessoas se curaram da doença.

Em nota, o MPF destacou que além de crime, a reunião também é um ilícito contra a saúde pública.

Outro ponto detalhado é que a igreja já teria promovido dois encontros durante a quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus.

Ainda na divulgação, o órgão federal detalha que as aglomerações ajudam na propagação e proliferação do novo coronavírus. Além disso, os religiosos têm praticado encontros virtuais e cultos pela web para continuar atendendo os fieis durante a quarentena.

Devido à pandemia do novo coronavírus, cultos e outros encontros religiosos, que possam gerar aglomerações, estão proibidos desde março no estado, quando o governo publicou decreto de suspensão das atividades não essenciais.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias