NOSSAS REDES

ACRE

Bestene não duvida que Gladson fará um bom governo, mas diz que a Saúde precisa melhorar

Contilnet, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Sobre os seis primeiros meses de Gladson Cameli (Progressistas) no governo do Estado, completados nesta semana, o deputado estadual José Bestene (Progressistas) disse à reportagem do ContilNet que “está no caminho certo, mas na Saúde precisa melhorar muito.”, ponderou.

José Bestene é um dos veteranos na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) e na atual conjuntura faz parte do bloco de sustentação ao governo Gladson. “O governo está saneando as finanças públicas e honrando seus compromissos. Não tenho dúvidas que fará um grande governo.”, apostou.

O parlamentar que já foi secretário de Saúde do Estado, na gestão do governo de Orleir Cameli, avaliou que os avanços registrados no período, em outras áreas, ainda não chegaram no setor da Saúde

“Precisa melhorar muito. Há uma cobrança enorme da população. Precisamos humanizar mais, interagindo com os profissionais e servidores da saúde.”, propôs.

Indagado sobre a medida de instalar ponto eletrônico para controlar a assiduidade dos médicos nas unidades de saúde da rede pública estadual, Bestene foi cauteloso. “Será uma inovação se vai dar certo só o futuro dirá.”, respondeu.

Bestene lembrou o que considera positivo no governo de Gladson. “Está cumprindo com os repasses aos poderes, retomando e entregando as obras inacabadas, fazendo com que a construção civil gere emprego e renda. Isso é apenas em 6 meses de governo. Iniciando um trabalho de recuperação dos ramais dando oportunidades ao homem do campo a produzir e escoar suas produções de inverno e verão.”, avaliou.

ACRE

Mais de 40 casos de caxumba são registados no presídio Francisco de Oliveira Conde, em Rio Branco

Contilnet, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Circula nas redes sociais na noite desta terça-feira (16) informações dando conta que mais de 40 presos já foram diagnosticado com caxumba dentro do complexo penitenciário Francisco de Oliveira Conde (Foc), localizado em Rio Branco.

A informação foi confirmada por meio de um dos familiares dos detentos que se encontram enfermo. “Ele está doente e ainda não foi tratado para melhorar da doença To com medo de ir pra visita”, relatou.

No entanto, o que preocupa os familiares é o risco de contaminação, haja vista que a doença é contagiosa e pode ser transmitida. “Já imaginou se nas visitas a gente pega a doença? Vai causar uma epidemia”, explicou.

O diretor da unidade penitenciário, Lucas Gomes, se manifestou sobre o caso por meio das redes sociais no início da noite. Segundo o gestor, mais de um pavilhão já foi vacinado. “Ninguém está tentando esconder. Já vacinamos um pavilhão inteiro e aguardamos, há um tempo a medicação que está em falta, em decorrência do surto que deu no estado inteiro – e não só na FOC”, explicou.

Lucas fez um alerta sobre a doença. “Caxumba é contagiosa em qualquer lugar, não seria diferente na FOC”, argumentou.

O que é Caxumba

Caxumba é uma infecção viral que afeta as glândulas parótidas – um dos três pares de glândulas que produzem saliva. As parótidas estão situadas entre suas orelhas e à frente delas. Contudo, a caxumba também pode afetar as glândulas submandibulares e sublinguais, todas próximas dos ouvidos.

A doença era mais comum no Brasil antes da vacina ser inventada. Após as vacinas serem incorporadas ao calendário dos postos de saúde, o número de casos reduziu-se drasticamente

Continue lendo

ACRE

Acre é o 4° estado com mais casos de violência contra mulheres

Acrenoticias.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Dados do Tribunal de Justiça do Acre apontam que o estado é o 4°, no país, com maior número de casos de violência contra mulher. São mais de 3 mil processos em tramitação somente na comarca de Rio Branco.

Segundo dados da Delegacia Especializada de Atendimento à mulher (Deam), são registradas ao dia pelo menos 5 ocorrências de violência contra a mulher. A maioria dos casos envolve o companheiro da vítima. São 150 casos na capital por mês, 95% solicita medida protetiva como forma de defesa contra as agressões.

Para a delegada responsável pela Deam, Juliana de Angelis, o aumento de registros se deve ao fato de que as mulheres têm buscado a delegacia para denunciar as agressões.

“Eu sempre afirmo que é o número de denuncias que estão aumentando, ou seja, as mulheres estão criando coragem de ir à delegacia denunciar seus agressores, que infelizmente, a gente sabe que o número em Rio Branco é muito elevado, isso tirando os casos que não são notificados, então uma cifra negra que ainda não nos procuraram, que não buscaram romper esse ciclo de violência”, explicou a delegada.

O acolhimento é humanizado com a participação de psicólogo. Tudo para dar segurança e tranquilidade para a mulher vítima de violência. “A partir do momento que é feita a oitiva ali na delegacia, pra nosso procedimento policial, a gente também encaminha pra nossa psicóloga, pra nossa assistente social, se ela precisa de outros acompanhamentos tem a Casa Rosa Mulher , tem Casa Abrigo, então todos esses órgãos, a gente tem contato com eles e faz os devidos encaminhamentos para essa mulher essa amparada em todos os âmbitos de sua vida”, concluiu Angelis.

AGAZETA.NET

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

WhatsApp OLÁ INTERNAUTA! : )