NOSSAS REDES

GESTÃO BOCALOM

Bocalom exonera o empresário que controlava a limpeza de Rio Branco e nomeia amiga da senadora Mailza

PUBLICADO

em

Bocalom exonera Cícero Jean e nomeia assistente social como diretora na Secretaria de Cuidados com a Cidade – SMCCI. 

O empresário Cícero Jean de Almeida Rocha foi exonerado pelo prefeito Bocalom do cargo de diretor operacional da Secretaria Municipal de Cuidados com a Cidade nesta terça-feira, 17. A exoneração consta no Diário Oficial de hoje (clique aqui).

Em seu lugar como diretora foi nomeada Maria Magri, amiga da senadora Mailza Gomes (PP), que foi foi candidata a vereadora em 2020 pelo PP, com CEC 9 e salário de R$ 9 mil reais.

A exoneração deveria ter sido publicada no Diário oficial da semana passada. A decisão do prefeito, no entanto, é irrevogável, de acordo com uma fonte ouvida pela reportagem. 

Rocha também é empresário do ramo de restaurante e refeições prontas (marmitex) e um dos ex-sócios do antigo restaurante Maria Farinha. Ele foi nomeado em 13 de janeiro de 2021 em Decreto n° 090, e desde então realizava a gestão operacional da limpeza pública de Rio Branco.

Em fevereiro deste ano, o prefeito Tião Bocalom alterou o nome da ex-Zeladoria para Secretaria Municipal de Cuidados com a Cidade – SMCCI. Com a mudança, foram incluídos vários novos órgãos, e Rocha era o responsável pela demanda desses órgãos. São eles: Departamento de Zeladoria; Divisão de Varrição; Divisão de Desobstrução de Rede de Drenagem; Divisão de Central de Triagem; Transbordos e Aterro de Inertes; Divisão de Coletas de Resíduos Sólidos; Núcleo de Fiscalização e Monitoramento da Coleta; Departamento de Serviços Cemitérios e Funerários; Departamento de Ecossistêmico e Divisão de Controle.

O diretor chegou a ser nomeado presidente da Comissão Especial de Regularização Fundiária e Ambiental dos Cemitérios Públicos de Rio Branco, através do Decreto nº 699, de 28/04/22, publicado no Diário Oficial edição nº. 13.275, do dia 02/05/22; entretanto, não conseguiu desenvolver as atribuições.

Desde 2021, a secretaria vem sendo investigada pelo Ministério Público do Acre. No MPAC existem vários procedimentos investigativos contra a secretaria, incluindo sobre despesas realizadas com combustível, marmitex e kits de café da manhã, iluminação pública, pagamentos em contratos de coleta de lixo e manutenção da iluminação pública. Há indícios de irregularidades em despesas funerárias e cemiteriais e por possível manipulação na contratação de garis, além de investigação por possíveis desvio de ferramentas. As investigações tramitam em procedimento restrito ao público.

O secretário Joabe Lira disse que as investigações no âmbito do MP “não têm nada a ver” com a saída de Cícero. Com informações de OSERINGAL.

Junte-se a 42.938 outros assinantes

MAIS LIDAS