NOSSAS REDES

GESTÃO BOCALOM

Bocalom exonera o empresário que controlava a limpeza de Rio Branco e nomeia amiga da senadora Mailza

PUBLICADO

em

Bocalom exonera Cícero Jean e nomeia assistente social como diretora na Secretaria de Cuidados com a Cidade – SMCCI. 

O empresário Cícero Jean de Almeida Rocha foi exonerado pelo prefeito Bocalom do cargo de diretor operacional da Secretaria Municipal de Cuidados com a Cidade nesta terça-feira, 17. A exoneração consta no Diário Oficial de hoje (clique aqui).

Em seu lugar como diretora foi nomeada Maria Magri, amiga da senadora Mailza Gomes (PP), que foi foi candidata a vereadora em 2020 pelo PP, com CEC 9 e salário de R$ 9 mil reais.



A exoneração deveria ter sido publicada no Diário oficial da semana passada. A decisão do prefeito, no entanto, é irrevogável, de acordo com uma fonte ouvida pela reportagem. 

Rocha também é empresário do ramo de restaurante e refeições prontas (marmitex) e um dos ex-sócios do antigo restaurante Maria Farinha. Ele foi nomeado em 13 de janeiro de 2021 em Decreto n° 090, e desde então realizava a gestão operacional da limpeza pública de Rio Branco.

Em fevereiro deste ano, o prefeito Tião Bocalom alterou o nome da ex-Zeladoria para Secretaria Municipal de Cuidados com a Cidade – SMCCI. Com a mudança, foram incluídos vários novos órgãos, e Rocha era o responsável pela demanda desses órgãos. São eles: Departamento de Zeladoria; Divisão de Varrição; Divisão de Desobstrução de Rede de Drenagem; Divisão de Central de Triagem; Transbordos e Aterro de Inertes; Divisão de Coletas de Resíduos Sólidos; Núcleo de Fiscalização e Monitoramento da Coleta; Departamento de Serviços Cemitérios e Funerários; Departamento de Ecossistêmico e Divisão de Controle.

O diretor chegou a ser nomeado presidente da Comissão Especial de Regularização Fundiária e Ambiental dos Cemitérios Públicos de Rio Branco, através do Decreto nº 699, de 28/04/22, publicado no Diário Oficial edição nº. 13.275, do dia 02/05/22; entretanto, não conseguiu desenvolver as atribuições.

Desde 2021, a secretaria vem sendo investigada pelo Ministério Público do Acre. No MPAC existem vários procedimentos investigativos contra a secretaria, incluindo sobre despesas realizadas com combustível, marmitex e kits de café da manhã, iluminação pública, pagamentos em contratos de coleta de lixo e manutenção da iluminação pública. Há indícios de irregularidades em despesas funerárias e cemiteriais e por possível manipulação na contratação de garis, além de investigação por possíveis desvio de ferramentas. As investigações tramitam em procedimento restrito ao público.

O secretário Joabe Lira disse que as investigações no âmbito do MP “não têm nada a ver” com a saída de Cícero. Com informações de OSERINGAL.

GESTÃO BOCALOM

Vídeo mostra briga entre vereadores, motivada por pedido de R$ 340 milhões de Bocalom

PUBLICADO

em

Vereadores de Rio Branco votam, nesta terça-feira (24), pedido de empréstimo da prefeitura de R$ 340 milhões — Foto: Andryo Amaral/Rede Amazônica

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, enviou por duas vezes à Câmara de Vereadores de Rio Branco, pedidos de empréstimo de R$ 340 milhões junto ao Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), ao Banco do Brasil e à Caixa Econômica Federal.

O pedido de Bocalom foi duramente criticado e derrotado por unanimidade. 



O vereador Fábio Araújo já havia adiantado que o pedido de empréstimo do Poder Executivo orçado em R$ 340 milhões poderia chegar a R$ 590 milhões aos cofres públicos – um aumento de R$ 250 milhões, cerca de 73,5%

A rejeição ao PLC foi tamanha que a rejeição foi unânime, sendo esta um das maiores derrotas políticas do prefeito Tião Bocalom em seu mandato. Durante o dia, os vereadores trataram cobre diversas negociações, todas sem sucesso pelo líder da prefeitura e membros da gestão. Em meio a votação nominal, até o líder da prefeitura, vereador João Marcos Luz votou pela rejeição do pedido de empréstimo do chefe do executivo municipal.

Entre as razões pela rejeição da matéria estão os altos juros frente às instituições bancárias, além do tempo para efetuar o pagamento, cerca de 21 anos em um dos projetos.

Na tribuna, o vereador N Lima afirmou que a Câmara de Vereadores não é balcão de negócios, e criticou a postura da equipe do prefeito Tião Bocalom e do vereador João Marcos Luz.

Na tribuna, o vereador N Lima afirmou que a Câmara de Vereadores não é balcão de negócios, e criticou a postura da equipe do prefeito Tião Bocalom e do vereador João Marcos Luz.

O vereador João Marcos Luz, que representa Bocalom na Casa, foi duramente criticado por vários vereadores. O vídeo da Sessão Plenária da Câmara Municipal de Rio Branco desta quinta-feira (26/10/2023), mostra que o polêmico projeto de empréstimo gerou intrigas, acusações, insinuações e ofensas diretas entre alguns vereadores, veja o vídeo:

Continue lendo

GESTÃO BOCALOM

Garis alegam atraso de pagamentos e paralisam serviço por um dia em Rio Branco

PUBLICADO

em

Paralisação ocorreu nessa segunda-feira (11) e profissionais voltaram ao serviço nesta terça-feira (12) após receberem o auxílio. Porém, categoria ainda aguarda pagamento do salário referente a agosto e pode voltar a interromper atividades. Secretário Joabe Lira afirma que atraso se deve a bloqueio judicial nas contas da empresa que faria o pagamento.

CAPA: Garis alegam falta de pagamento e afirmam que nova paralisação pode ocorrer — Foto: Assecom/Prefeitura de Rio Branco.

Garis que atuam na zeladoria de Rio Branco paralisaram o serviço nessa segunda-feira (11) sob alegação de atraso nos pagamentos do salário e do auxílio-alimentação referentes ao mês de agosto. Um dos garis que participaram da paralisação e pediu para não ser identificado, informou ao g1 que o grupo voltou ao trabalho nesta terça-feira (12) após receber o auxílio.



Porém, segundo ele, a categoria segue no aguardo do pagamento do salário. Caso o atraso continue, eles podem voltar a interromper as atividades.

“Estamos no aguardo do salário. Caso não tenha alguma resposta, haverá a paralisação”, relata.

Ao g1, o secretário municipal de Cuidados com a Cidade, Joabe Lira, explicou que o atraso no pagamento dos servidores ocorreu por conta de um bloqueio judicial de contas de uma das empresas que fazem o pagamento dos garis. A prefeitura repassou o recurso, mas a empresa não pôde fazer o pagamento por conta do bloqueio.

Lira afirmou que a paralisação na segunda-feira foi de um grupo pequeno, de 20 servidores, e explicou que a empresa já conseguiu o desbloqueio de parte dos recursos e os pagamentos devem ser normalizados em breve.

“O que acontece agora? [A empresa] está esperando o banco ser notificado e liberar o saldo que ela tem na conta para fazer o pagamento dos garis. É importante falar que hoje já começou a pagar o vale-alimentação, e eu acredito que nas próximas horas ou até amanhã [quarta-feira, 13], ele vai concluir o pagamento dos garis. É bom falar que, na verdade, só foi uma empresa que não pagou, e dessa empresa foi conversado com os colaboradores, com os garis. O dono da empresa veio aqui, conversou com eles, ontem, na realidade, nós temos aqui mais de 700 trabalhadores, na realidade, não teve parada, não teve greve. Teve 20 pessoas que ficaram reclamando, com razão, e a gente já tinha falado para eles o que tinha acontecido. O dono da empresa veio aqui também, e explicou para eles que agora era aguardar essa liberação judicial e o pagamento ia ser feito”, diz.

Enquanto a situação não é normalizada, os garis tentam organizar as finanças de casa, e pedem agilidade na resolução do problema.

“Temos contas com prazo para pagar, ocorrendo esse atraso prejudica muito, pois tem juros, tem luz, tem a feira entre outros”, acrescenta o servidor.

Continue lendo

ACRE

Derrubada de palmeiras imperiais é alvo de críticas em Rio Branco; prefeitura diz que árvores oferecem ‘risco’

PUBLICADO

em

Vídeo gravado por populares mostra servidores da prefeitura derrubando as árvores na Via Chico Mendes, nesta terça-feira (12). MP-AC pediu explicações.

Imagens da derrubada de palmeiras imperiais na Via Chico, em Rio Branco, nesta terça-feira (12) geraram revolta na população. Um vídeo, gravado por populares, que viralizou nas redes sociais, mostra equipes da prefeitura retirandos as árvores.

Após as imagens viralizarem, o Ministério Público do Acre (MP-AC), divulgou que vai enviar um ofício à Prefeitura de Rio Branco pedindo informações sobre a retirada da árvore. “O MP-AC acompanha as obras de revitalização da Via Chico Mendes, incluindo a ciclovia. As imagens que mostram a derrubada da árvore serão anexadas ao procedimento instaurado”.

Em nota, a Prefeitura de Rio Branco explicou que a derrubada se deu por conta das condições em que as árvores se encontram. Equipes da gestão fizeram um levantamento e acompanhamento de mais de 100 palmeiras plantadas na avenida.

Durante a fiscalização, os servidores teriam identificados cupins em algumas e também uma praga chamada broca-do-olho-das-palmeiras. “A supressão dessas palmeiras está sendo substituída por outras no local. Quem passa pela Avenida Chico Mendes consegue observar que tem várias palmeiras plantadas, inclusive, estão sendo plantadas mais palmeiras do que já tinha anteriormente”, explicou o secretário de Meio Ambiente (Semeia), Carlos Nasserala.

Palmeiras estariam riscos de desabar na Via Chico Mendes — Foto: Arquivo/Prefeitura de Rio Branco

Palmeiras estariam riscos de desabar na Via Chico Mendes — Foto: Arquivo/Prefeitura de Rio Branco

Ainda segundo a prefeitura, a expectativa é de que as árvores retiradas sejam substituídas por outras em breve. A retirada das árvores seria também por conta do risco de tombamento.

“Ela pode estar tombando em cima de um veículo ou em cima de uma pessoa que passa. Então, preventivamente, a Semeia faz essas vistorias e se posiciona com base no que se encontra pela supressão dessa árvore, mas sempre pedindo pela substituição por uma espécie adequada, já que pela cidade temos inúmeras árvores plantadas sem critérios técnicos”, diz o engenheiro da prefeitura Kemmil Lima.

Investigação

Em dezembro do ano passado, a obra de revitalização da ciclovia e a Via Chico Mendes, na Rodovia AC-40, em Rio Branco, virou alvo de investigação do MP-AC. O órgão apurou se as palmeiras plantadas ao longo da via seriam retiradas durante os serviços.

O MP-AC recebeu uma denúncia em junho de 2022 alertando para a possível remoção das palmeiras que existem na região. Na época, o órgão instaurou uma notícia de fato, mas precisou estender o prazo de apuração e abriu um procedimento preparatório para seguir acompanhando os serviços executados pela prefeitura.

obra foi iniciada em junho do ano passado com previsão inicial de entrega para o mês de dezembro. Contudo, a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Seinfra) adiou esse prazo para abril do ano que vem devido à mudança na empresa responsável pelo serviço.

Continue lendo

MAIS LIDAS