NOSSAS REDES

ACRE

Com avanços, paralisação é suspensa

PUBLICADO

em

Após três dias de paralisação, o Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) e outros sete sindicatos da saúde conquistaram avanços nas negociações. Ao final da reunião realizada na Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), nesta terça-feira, 16, os grevistas receberam as contrapropostas que foram levadas para os presentes na mobilização e decidiram pela suspensão do movimento.

O presidente do Sindmed-AC, Guilherme Pulici, afirmou que a união de todas as categorias foi essencial para garantir o debate das pautas comuns aos trabalhadores da saúde. A decisão dos sindicatos é a manutenção do colegiado de entidades até o cumprimento de todas as reivindicações. 

“Com certeza não conseguimos tudo que merecíamos, mas lutamos com afinco, lendo cada detalhe das contrapropostas, vendo cada vírgula de nossa negociação e chegamos a conclusão de que, por hora, essa seria a melhor opção. Não vamos dissolver essa frente sindical. De fato foi uma greve histórica porque, desde que estou no Sindicato dos Médicos, é a primeira vez que estamos juntos em uma mobilização, o que foi importante. Sinto pelo não comparecimento de alguns colegas, mas a adesão foi boa, principalmente na Fundação Hospitalar. Vamos cobrar, inclusive a reposição da inflação de 2019 e 2020”, explicou o presidente.

Aqueles que participaram da paralisação terão as faltas abonadas por estarem participando da mobilização. Com a decisão dos trabalhadores presentes, os servidores retornam para os plantões a partir das 19 horas desta quarta-feira, 16.

O documento assinado pelo secretário Alysson Bestene, apresenta o pagamento da insalubridade de 20% de julho a 31 de dezembro de 2021; pagamento do auxílio Covid; o novo Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho – com cronograma e com a participação dos Sindicatos da Saúde com direito ao contraditório e para revisão até o dia 30 de setembro de 2021, além da aplicação após devidamente aprovado pelos sindicatos para encaminhamento à Aleac no primeiro trimestre de 2022; a publicação de edital do concurso público efetivo na área da Saúde até o fim deste ano; abono de faltas dos servidores que aderiram à greve; encaminhamento para a Aleac, no primeiro trimestre de 2022, da recomposição das perdas inflacionárias dos salários pelo índice do IPCA, dos períodos de 2020, 2021, 2021/2022 nos termos permitidos pela legislação em vigor e conforme disponibilidade financeira e orçamentária; a conclusão da revisão do PCCR até 30 de setembro deste ano; e etapa alimentação com os valores até 30 de setembro de 2021.

“Agradeço ao empenho de todos médicos que apoiaram as reivindicações de nossa categoria no movimento de greve nos três últimos dias e também pela compreensão da população em geral que vem sofrendo há vários anos e que anseia por melhorias na saúde do Estado. A medida que tomamos em assembleia, de paralisar em parte as atividades médicas que não eram de urgência e emergência, foi medida extrema, com amparo legal, mas serviu para mostrar a importância de nossas reivindicações ao governo do Estado”, finalizou o diretor do Sindmed-AC, Gilson Lima.

Comentários

Comente aqui

Área do Leitor

Receba as publicações diárias por e-mail

REDES SOCIAIS

MAIS LIDAS