NOSSAS REDES

ACRE

Com convocação de peritos, polícia do AC quer reativar bases fechadas por falta de efetivo

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

 

Com a convocação dos peritos criminais aprovados no concurso da Polícia Civil do Acre, o Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) pretende reativar algumas coordenadorias fechadas por falta de efetivo no interior do Acre.

Os aprovados foram convocados, no último dia 16, para inspeção médica, entrega de documentos e posse pela Secretaria de Gestão Administração (SGA). A posse está marcada para ocorrer no dia 14 de maio, no auditório da Secretaria de Polícia Civil do Acre (Sepc).

Segundo a Polícia Técnico-Científica, há apenas 23 peritos criminais para atender a demanda de todo estado atualmente. Além disso, quatro médicos-legistas foram cedidos pela Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) para atuarem no Instituto Médico Legal (IML).

Dos aprovados, 15 são peritos criminais que vão atuar nas regiões do Alto Acre, Purus, Envira e Juruá. Oito vão ficar no interior e sete em Rio Branco. Há ainda dois médicos-legistas aprovados que devem reforçar o efetivo do IML da capital acreana.

“Hoje temos um quadro de 23 peritos criminais para atender todo o estado. Destes, três ficam em Cruzeiro do Sul, o restante na capital, mas alguns há cargos de gestão para atender tanto demandas internas com exames de informática, documentos, identificação veicular, a parte do laboratório e também no laboratório de genética”, frisou o diretor do DPTC, Pedro Gustavo Farias.

Coordenadoria

Ainda segundo o diretor, o concurso vai permitir reativar algumas coordenadorias do Instituto de Criminalística que estavam fechadas por falta de efetivo. Uma delas é da região do Alto Acre, que fica em Brasileia, e a outra do Purus, em Sena Madureira.

“Nosso organograma prevê uma regional do Alto Acre, que ficava em Brasileia, outra no Purus, em Sena Madureira, que já existiu, mas, por conta da falta de efetivo, o serviço foi descontinuado, prevê também uma base na Região do Envira, que só existiu no organograma, e uma regional no Juruá, que fica em Cruzeiro do Sul e funciona”, destacou.

Farias acrescentou que o concurso foi regionalizado, ou seja, os candidatos são moradores das cidades onde pretendem trabalhar. Dos oito do interior, três são para Brasileira, dois em Sena Madureira, dois vão atuar na base de Tarauacá, que vai ser inaugurada, e um vai reforçar o efetivo de Cruzeiro do Sul.

“Os novos peritos vão dar celeridade principalmente do interior com a reativação dessas coordenadorias de perícia. Na capital, estamos com uma escala de plantão apertada”, avaliou.

O diretor ressaltou que os peritos da capital se deslocava até o interior para atender as demandas. Mas, agora cada regional vai ficar responsável em atender os casos das cidades.

“Crimes contra o patrimônio, contra a vida e demais áreas criminalistas serão realizadas nas regionais. A celeridade e efetividade da Justiça só tem a ganhar. As vezes uma demanda de uma regional distante, que demora muito chegar na capital, acaba atrasando a conclusão do inquérito policial, uma futura oferta de denúncia do Ministério Público e até do Judiciário”, complementou.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat