NOSSAS REDES

ACRE

Corpo de freteiro morto com tiro na cabeça no AC é exumado para passar por novos exames

PUBLICADO

em

O corpo do freteiro Francisco Alves Maia, de 56 anos, morto com tiro na cabeça após ser chamado para fazer uma mudança em maio deste ano em Rio Branco, foi exumado nessa sexta-feira (8) após ordem judicial a pedido do Ministério Público do Acre.

A exumação foi feita para que o corpo passe por novos exames de balística, com o objetivo de comparar as balas usadas no crime com duas armas apreendidas pela Delegacia Especializada de Combate a Roubos e Extorsões (Decore) com os suspeitos de participação no crime.

Participaram da ação os investigadores da Decore, peritos do Instituto de Criminalística e membros do Ministério Público. A filha do freteiro, Ana Paula Maia, disse que a família foi informada sobre o procedimento e que preferiu não participar.

Francisco Maia foi achado morto em maio deste ano após quatro dias desaparecido — Foto: Arquivo da família

Francisco Maia foi achado morto em maio deste ano após quatro dias desaparecido — Foto: Arquivo da família

“Nos comunicaram que seria feita a exumação, já estamos passando por um processo tão doloroso e ainda ter que reviver tudo, então preferimos não ir acompanhar. Continuamos em busca de uma resposta, saber o que realmente aconteceu. Até agora estamos sem entender, meu pai era uma pessoa que não fazia mal pra ninguém e de repente aconteceu isso”, disse a filha.

Achado morto após desaparecimento

O freteiro sumiu no dia 24 de maio deste ano após sair de casa para fazer um frete no Loteamento Praia do Amapá, na capital acreana. Ele recebeu a ligação de uma mulher para levar uma mudança e não deu mais notícias.

Conforme as investigações, ao chegar no local indicado pela mulher, ele foi abordado por outros criminosos, que o renderam e levaram o caminhão. Ainda segundo o delegado responsável pelo caso informou na época, Leonardo Santa Bárbara, a vítima então teria ficado amarrada até que o veículo fosse levado e depois foi morta com tiro na cabeça.

Corpo foi achado enterrado em cova rasa em área de mata no Loteamento Praia do Amapá, em Rio Branco — Foto: Lidson Almeida/Rede Amazônica

Corpo foi achado enterrado em cova rasa em área de mata no Loteamento Praia do Amapá, em Rio Branco — Foto: Lidson Almeida/Rede Amazônica

Três dias depois, o primeiro suspeito foi preso pela Decore. Ele foi quem indicou para a polícia o local onde o corpo do freteiro tinha sido enterrado. A vítima foi achada enterrada no dia 28 de maio em uma cova rasa em área de mata no Loteamento Praia do Amapá. Conforme a polícia, ele estava de bruços e com as mãos amarradas por fios.

Ao todo, quatro foram presos suspeitos de participação no crime. Entre eles, segundo informou a polícia, está tanto a pessoa que chamou a vítima para emboscada, que seria uma mulher, como quem o manteve em cárcere, além do executor e do que levou caminhão.

O veículo da vítima ainda não foi localizado pela polícia até esta segunda (11), segundo informou a filha. Para a Polícia Civil, o freteiro foi vítima de um latrocínio.

Com informações de G1Acre

Área do Leitor

Receba as publicações diárias por e-mail

REDES SOCIAIS

MAIS LIDAS