NOSSAS REDES

AMAZÔNIA

Experiências de preservação ambiental do Acre, inspira projetos milionários

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Para preservar floresta, Noruega financia desde Interpol até encontros interreligiosos.

Mesmo com ações diversificadas, os esforços têm sido pouco efetivos para preservar as matas.

Na foto de capa, Vista da Torre do Museu da Amazônia (Musa) – Keiny Andrade/Folhapress.

Milhões de euros para a Interpol combater contrabando de madeira. Encontros para aproximar líderes religiosos e indígenas em torno de uma agenda ambiental. Doação para preservar florestas no Equador.

Dez anos após o acordo pioneiro para a criação do Fundo Amazônia com o Brasil, a Noruega vem diversificando as iniciativas para ajudar países tropicais a coibir o desmatamento. Os dados, porém, mostram que os esforços para deixar a floresta em pé têm sido pouco efetivos.

“Estamos próximos de perder nossas florestas. Precisamos acelerar os nossos esforços, e o tempo está acabando. Os próximos anos são fundamentais se quisermos reverter essa trajetória danosa”, afirmou Ola Elvestuen, ministro do Clima e Meio Ambiente da Noruega.

Nos últimos dois dias, Elvestuen foi o anfitrião do Fórum de Floresta Tropical de Oslo, evento bienal que reúne representantes de governo e da sociedade civil de países como Brasil, Colômbia, Equador, Indonésia e a República Democrática do Congo.

O encontro foi marcado pelo lançamento de um relatório sombrio do Observatório Global da Floresta (GFW, na sigla em inglês), segundo o qual 2017 foi segundo pior ano da história em perda da cobertura vegetal.

Ao todo, afirma o estudo, foram cortados 158 mil km2 no mundo, pouco maior do que o estado do Ceará. O critério usado, no entanto, é diferente ao do desmatamento usado em países como o Brasil, já que o GFW leva em conta a derrubada de plantações de árvore e incêndios provocados por causas naturais.

“Estamos tentando apagar um incêndio em casa como uma colher de chá”, afirmou Frances Seymour, do Instituto de Recursos Mundiais (WRI, na sigla em inglês), que coordena o GFW, na abertura do fórum.

Para reverter a marcha do desmatamento, o governo norueguês anunciou, durante o fórum, um reforço de € 2 milhões por ano (R$ 8,9 milhões) no orçamento no programa de floresta global da Interpol, voltado a coordenar e treinar polícias de países tropicais.

“A Noruega tem nos financiado durante os últimos seis anos. Hoje, foi anunciado um aumento significativo nesse suporte”, disse à Folha o australiano Davyth Stewart, coordenador do programa.

Oslo também se comprometeu, em conjunto com a Alemanha, a doar US$ 50 milhões (R$ 193 milhões) para um programa de preservação florestal em parceria com comunidades tradicionais, inspirado em experiência semelhante já implantada no Acre.

“É a primeira vez que esse programa está sendo implantado em nível nacional”, afirmou Tarsicio Granizo, ministro do Meio Ambiente do Equador.

Segundo a Folha apurou, Brasil e Noruega estão em conversa para ampliar o acordo assinado em 2008, que prevê doação para preservar a floresta amazônica baseado em resultados —quanto maior a redução no desmatamento, maior o valor da doação. O pacto atual vence em 2020.

Até agora, a Noruega já doou R$ 2,9 bilhões para o fundo, que tem financiado a fiscalização do Ibama, projetos de gestão territorial indígena e a implantação do CAR (Cadastro Ambiental Rural), entre outras ações.

Mesas

As mesas do fórum refletiram a diversificação de ações da Noruega para financiar a preservação de florestas. Um dos painéis, por exemplo, debateu oportunidades para combinar financiamento público e privado para a restauração florestal.

A mesa incluiu Juliana Santiago, chefe do Departamento de Gestão do Fundo Amazônia, e Heidi Finskas, vice-presidente da KLP, fundo de pensão norueguês, entre outros participantes.

Outra sessão, intitulada Iniciativa Interreligiosa da Floresta Tropical, retomou os debates iniciados no ano passado, também em Oslo, quando houve um encontro com representantes de 21 países.

A proposta dessa iniciativa, idealizada e patrocinada pelo governo norueguês, é engajar organizações religiosas na preservação ambiental.

“Trata-se de uma crise de proporções existenciais”, disse Elvestuen, em entrevista coletiva nesta quarta (27). “As florestas tropicais são cruciais não só para o bem estar dos países com florestas, mas para todo o mundo.”

O repórter Fabiano Maisonnave viajou a convite da Norad (Agência Norueguesa de Cooperação para o Desenvolvimento). Veja.

ACRE

Dia C: Sicoob Acre entrega mais de dois mil kits em comunidades carentes da capital e interior do Estado

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Apesar da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no estado, a Cooperativa de Créditos e Investimentos do Acre (Sicoob Acre) participou neste sábado, 4, do Dia de Cooperar, ou Dia C, atividade desenvolvida pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). Direcionada em ações de combate à doença neste período, a instituição financeira entregou de forma gratuita mais de dois mil kits de higiene e proteção, com máscaras e álcool em comunidades carentes da capital e interior.

Celebrada sempre no segundo sábado de julho, a data este ano tem como tema “Atitude simples movem o mundo” realizada nos 26 estados brasileiros, além do Distrito Federal. No estado, a ação do Sicoob Acre atendeu diversos bairros de Rio Branco, Acrelândia, Brasileia e Cruzeiro do Sul. Para evitar aglomerações, as entregas foram feitas pelos próprios colaboradores da entidade de forma individual nos bairros em que eles moram e os próximos.

O Dia C é marcado por diversas ações focadas na responsabilidade social em áreas da saúde, educação, lazer e meio ambiente promovidas pelos sete ramos de cooperativismo atuantes no país, incluindo o cooperativismo de crédito. A ideia é transformar a realidade social de milhares de comunidades por meio da prestação de serviços. Neste ano, as iniciativas já praticadas pelo Sicoob Acre foram ligadas ao novo coronavírus com estímulo a continuidade delas mesmo após o evento.

Presidente do Sicoob Acre, José Generoso explica que duas etapas foram desenvolvidas. “Cooperação Vem à Casa” e “Pilares e Atuação com o Compromisso Social” reuniram todas as cooperativas do estado para desenvolver iniciativas como arrecadações de alimentos e doações financeiras para atender pessoas carentes, além de ajudar instituições do ramo que tenham sido afetadas e correm risco de extintas com direcionamento para os colaboradores e seus familiares.

“O maior compromisso do Sicoob Acre não é o lucro, mas sim ofertar um retorno social positivo e concreto nas comunidades onde estamos inseridos. Neste ano, distribuímos kits de proteção com álcool em gel e máscaras. Também ofertamos orientações de como prevenir a doença em casa e outros ambientes. Abraçamos a causa do Dia C desde a primeira edição como forma de contribuir com a população, isso me deixa muito realizado e feliz”, relata Generoso.

Continue lendo

ACRE

Sindmed-AC reúne especialistas de renome nacional para mostrar ao governo resultados positivos com tratamento precoce

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) organizou uma teleconferência reunindo o governador do Estado em exercício, major Wherles Rocha, o secretário de Estado de Saúde (Sesacre), Alysson Bestene, e especialistas de todo o Brasil, na tarde desta terça-feira (30). O objetivo do encontro foi apresentar dados e os resultados positivos obtidos com o tratamento precoce contra o coronavírus (Covid-19).
A secretária-geral, Jacqueline Fecury, aproveitou para reforçar a necessidade de um esforço claro de todos os gestores, incluindo secretários municipais de saúde para garantir o acesso aos medicamentos.
“O que estamos reivindicando é o acesso à medicação e a importância de uma campanha maciça com os municípios sobre a necessidade do tratamento precoce para evitar que o paciente chegue em uma fase mais avançada da doença. Teve uma fala que Dr. Zeballos, na live promovida pelo jornalista Alexandre Garcia, e que repito aqui: Se todos aderissem ao tratamento precoce, em três semanas, a gente conseguiria blindar o Brasil, então vamos blindar o Acre”, afirmou a sindicalista.
Entre os médicos de renome nacional que participaram da apresentação estiveram Cássio Prado (prefeito de Porto Feliz-SP), Vania Brilhante (que enfrentou o colapso de Belém-PA), Luciana Cruz (coordenadora nacional da adoção do tratamento precoce), Zeballos (imunologista), Nise Yamaguchi (imunologista) e o representante do Ministério da Saúde, Carlos Wizard, em que puderam expor a necessidade de realizar o tratamento nas fases iniciais da Covid-19, apresentando exemplos do sucesso no tratamento adotado em Belém, no Pará, quando o sistema de saúde daquele Estado entrou em colapso.
“A Dra. Vania Brilhante apresentou os dados da Unimed Belém, mostrando a rápida disponibilidade de leitos depois da implementação do tratamento precoce, com isso os pacientes não evoluíram para as formas graves”, explicou Luciana Cruz.
Vania Brilhante informou que após a adoção do protocolo com foco no tratamento na fase 1 viu-se uma redução drástica na evolução da doença. “Abrimos um drive thru para a distribuição de medicamentos da fase 1, mediante à apresentação de receita, e após isso vimos que nossas unidades se esvaziaram quase que completamente”, explicou Vania Brilhante.
A médica Nise Yamaguchi lembrou que existiram informações falsas e dados insuficientes que prejudicaram as autoridades em saúde na adoção de medidas mais eficazes de tratamento.
“Sabemos que o tratamento precoce realmente salva vidas. Agradeço ao governador por nos atender. Sabemos que o intuito de todo o governante também é a paz da sua população, a eficiência dos tratamentos. Houve muitas dúvidas, a geração de desconforto de Fake News com relação a hidroxocloroquina. Em poucos momentos a humanidade viu coisas tão graves acontecendo e, com a supressão de informações benéficas, o exagero de situações maléficas e, com a geração de dados insuficientes, que atrapalharam a Organização Mundial de Saúde”, explicou.
O governador em exercício agradeceu ao Sindmed-AC e afirmou que o governo está aberto às experiências exitosas.
“Agradeço ao Sindicato dos Médicos pela parceria. Esse é um momento novo para a gente e estamos abertos a todas às experiências exitosas, mas temos muitas dificuldades de adquirir insumos, medicamentos e equipamentos, mas acredito que o Estado tem dado resposta”, detalhou Rocha.
O secretário de Saúde se comprometeu, perante aos médicos, de reunir todos os secretários municipais, juntamente com a comissão de especialistas que apresentaram os dados na reunião online, para apresentação do trabalho e contingência de informações para que o Acre saia da pandemia.
Roberto Zeballos elogiou a disposição do secretário de saúde de se reunir com os secretários municipais e a equipe do tratamento precoce, mostrando sua disposição para minimizar a propagação da doença.
Carlos Wizard também elogiou a proposta de reunião com os gestores municipais, prevendo um sucesso do Estado com relação ao combate a pandemia.
O prefeito de Porto Feliz alertou que os médicos que atuam na linha de frente, em Porto Feliz, são orientados a realizar o tratamento profilático.
“No Pará morreram mais de cem médicos, então os médicos do front são orientados a fazer a profilaxia. Os dois únicos médicos que adoeceram foram os que não fizeram profilaxia.Não esperamos os exames, a gente já dá [o medicamento] nos primeiros sintomas, e a evolução tem sido boa. Alguns que tratam precocemente até precisam de internação hospitalar, mas normalmente não evolem para as formas graves da doença”, explicou.
Jacqueline Fecury agradeceu a participação dos especialistas e pediu apoio na próxima reunião com os secretários municipais, em que as experiências serão compartilhadas para buscar a adesão ao tratamento que possui resultados positivos.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias