NOSSAS REDES

ACRE

Paciente agoniza há três meses no Pronto Socorro, à espera de exame neurológico no Acre

Contilnet, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

 

A cabeleireira Cleia Silva, vem fazendo um apelo na internet para ajudar a irmã Vanderlandia Furtunato da Silva, que ha três meses agoniza no leito de uma cama sofrendo de convulsões constantes, aguardando uma simples exame neurológico que não vem sendo oferecido pela rede estadual de saúde pelo Sistema Único (SUS), nem no Pronto Socorro de Rio Branco (Huerb) e muitos menos na Fundação Hospitalar do Acre (Fundac).

_“Eu tô aqui pedindo um apelo pra quem pode ajudar minha irmã , ser atendida pelo neurologista na fundação . Porque ela já tá com 3 meses nessa situação! Não aguento mais ver ela sofrendo assim sem o poio de ninguém… levo ela no Pronto Socorro daqui de Rio branco os médicos não querem atender ela. Eles falam que ela tem que agendar uma consulta com o neurologista na fundação, e eu fui agendar essa consulta e na fundação não agendaram. Eles alegam que não pode agendar porque ela é do interior ! Quero ajuda de vocês que possam compartilhar . Pra ver se tem alguém que possa ajudar … Nos estamos precisando de ajuda com dinheiro pra comprar os remédios dela ! São caro e não temos condições de comprar os remédios dela e alimentação”_ apela a irmã de Vanderlandia na internet.

Cleia postou ainda um vídeo no Facebook, onde mostra o sofrimento da irmã que precisa urgentemente de ajuda.

OUTRO LADO

Procurado pela reportagem do ContilNet, a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), disse que já fizeram contato com os parentes da paciente e fizeram o agendamento para os exames na próxima segunda feira.
-Quem puder ajudar, basta ligar pelos números: WhatsApp 999841416 número pra contato 984129201

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

PAPO DE ACADEMIA

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Mesmo considerando as academias como serviço essencial, “não é o momento de reabri-las” diz empresários de Feijó e Tarauacá. (mais…)

Continue lendo

ACRE

Mantida condenação de consumidor por litigância de má-fé

Gecom TJAC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Para os membros do órgão colegiado, ficou evidenciado que o consumidor alterou a verdade dos fatos no desígnio de receber indenização.

A Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Acre negou provimento ao recurso de apelação, interposto por um consumidor, em desfavor da empresa de telefonia do qual ele tinha contrato de serviço e teve o nome no cadastro de inadimplentes por falta de pagamento.

Para os membros do órgão colegiado, ficou evidenciado que o consumidor alterou a verdade dos fatos no desígnio de receber indenização e mantiveram a condenação por litigância de má-fé.

O autor do processo interpôs recurso de apelação contra sentença de primeiro grau por ter negado indenização por danos morais a ele em um ação declaratória de inexistência de débito.

Nos autos, o consumidor alegou não ter sido informado da mudança da conta pré-paga para a modalidade pós-pago. Mesmo com algumas faturas pagas, o consumidor esclareceu que jamais pagou fatura da conta e que desconhece quem tenha efetuado o pagamento. Ele relatou ainda que a inscrição do seu nome, por outras contas sem pagamento, em cadastro de inadimplentes, se mostra ilegal e indevida.

Por outro lado, a empresa apresentou que o contrato foi efetivamente celebrado em de março de 2016 e resultou da migração do usuário de um plano para outro, que houve pagamento de algumas faturas e que as contratações ocorrem por meio virtual, tendo o recorrente fornecido todos os seus dados.

Ao decidir pela manutenção da sentença de primeiro grau, a relatora do processo, desembargadora Regina Ferrari, entendeu que os conteúdos de telas de sistema interno da operadora servem como indicativo de que o contrato foi efetivamente celebrado entre as partes e que o relatório pormenorizado de chamadas originadas da linha telefônica é elemento de prova.

“A ausência de impugnação específica na réplica – sobre os fatos impeditivos apresentados e provados pela parte ré autoriza a conclusão de que o negócio realmente foi celebrado entre as partes, cuja falta de pagamento de algumas contas mensais justifica a existência da dívida e a inserção do nome do devedor no cadastro de inadimplentes”, diz trecho do voto.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias