NOSSAS REDES

ACRE

Preso diz que foi espancado por diretor do Iapen para incriminar advogados e agentes

Folha do Acre, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Um dos presos do Francisco de Oliveira Conde (FOC) teria sido torturado para incriminar o sindicalista Janes Peteca e declarar que o agente penitenciário comete irregularidades dentro do sistema penitenciário. A denúncia foi feita pelo próprio reeducando denominado Marcos Viera em uma carta encaminhada à juíza titular da Vara de Execuções Penais, Luana Campos.

O preso que alega ser torturado com murros nos rins, onde já possui uma enfermidade, diz que um dos diretores a quem denomina Vagner (na verdade seria o diretor do complexo penitenciário Fagner Souza) teria citado o nome de Janes Peteca.

“Começou a fazer várias perguntas e nas perguntas citou o nome de várias pessoas sendo advogados e agentes penitenciários, se eles são de facção, isso tudo me ameaçando levar para o Regime Disciplinar Diferenciado ou Antônio Amaro. Aí ele perguntou se o Janes Peteca, se ele trazia corre para a cadeia”, frisou ao referir-se em giria ao ato de levar para o presídio itens de forma ilegal.

Janes Peteca, que, segundo agentes penitenciários lotados na FOC, é considerado inimigo da nova gestão por não concordar com os modus operandis adotados por Lucas Bolzoni afirmou que o relato do preso fica evidente uma tentativa de incriminá-lo e já comunicou orgãos competentes a respeito do assunto.

“Me coloco à disposição de qualquer autoridade. Podem quebrar meu sigilo bancário e me submeto a qualquer exame toxicológico que prova que não ganho nada ilícito ou uso drogas”, diz.

Lucas Bolzoni, em uma suposta tentativa de se eximir das acusações que são feitas a ele de forma indireta, uma vez que Fagner estaria sobre suas ordens, não se manifestou sobre o caso. Limitou-se a repassar uma nota assinada pelo sindicato onde repudia as acusações feitas a Fagner.

“Esta entidade confia plenamente na lisura dos trabalhos e nas diligências direcionadas pelo diretor Fagner Souza da Silva e sua equipe, e concluímos esta missiva manifestando que este sindicato moverá instrumentos de reparação de danos morais em favor dos servidores que foram objeto destas matérias e dentro de um contexto que impere a verdade”, diz trecho da nota.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!
WhatsApp chat