NOSSAS REDES

ACRE

Suspeita de participação na morte de monitorado por tornozeleira é presa no interior do AC

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Uma mulher de 21 anos foi presa durante cumprimento de mandado judicial suspeita de participação na morte do presidiário monitorado por tornozeleira eletrônica Edvaldo Costa Lima. O crime ocorreu no dia 7 de outubro do ano passado no bairro Cohab, em Mâncio Lima, no interior do Acre.

A vítima foi morta na frente da esposa, segundo informações da polícia na época do crime. A mulher de Lima contou à polícia que estava deitada com o marido quando dois homens usando capacetes arrombaram a porta de trás da casa e foram em direção ao quarto do casal.

Os dois tiros atingiram a nuca e as costas da vítima, que morreu antes mesmo de ser socorrido. O delegado responsável pelas investigações, José Obetânio, contou que além da mulher outras quatro pessoas já foram presas por participação no homicídio.

Edvaldo Costa Lima levou dois tiros e morreu dentro do quarto no bairro Cohab, em Mâncio Lima — Foto: Arquivo/Iapen-AC

Edvaldo Costa Lima levou dois tiros e morreu dentro do quarto no bairro Cohab, em Mâncio Lima — Foto: Arquivo/Iapen-AC

Ainda de acordo com o delegado, a mulher e os outros quatro presos também teriam envolvimento no sequestro, tortura, morte e ocultação de cadáver de um outro homem, identificado como Francineudo da Silva Júnior. O crime teria ocorrido dois dias antes do caso de Lima, no dia 5 de outubro do ano passado.

A informação, segundo as investigações, é que Francineudo estava sendo observado enquanto jogava bola em uma quadra da cidade de Mâncio Lima, quando, ao se deslocar para casa, foi surpreendido pelos autores do crime, que o sequestraram. O corpo dele nunca foi encontrado.

A motivação desses dois crimes, cometidos supostamente pelas mesmas pessoas, seria guerra de facção criminosa, por conta de tomada de território. O delegado informou ainda que o inquérito dos casos já está em fase de conclusão e logo deve ser remetido à Justiça.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!
WhatsApp chat