NOSSAS REDES

Cruzeiro do Sul

Urgente: Com base em interceptação telefônica, Juiz de Feijó descobre rede de traficantes e mantém prisão de criminosos

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Comarca de Feijó: Mantida prisão preventiva de acusado de associação para o tráfico

Para Juízo Criminal da Comarca de Feijó permanecem presentes os motivos que ensejaram a custódia preventiva do acusado.

O Juízo Criminal da Comarca de Feijó decidiu negar o pedido de liberdade provisória formulado pela defesa de M. da S., mantendo, assim, a prisão preventiva do acusado pelas supostas práticas dos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

A decisão interlocutória (não definitiva), publicada na edição nº 6.268 do Diário da Justiça Eletrônico (DJE, fl. 5), considerou que não há motivos a justificar a revogação da custódia cautelar uma vez que permanecem presentes os motivos que ensejaram a medida excepcional.

Entenda o caso

De acordo com os autos, o acusado teria sido preso no dia 8 de abril de 2017 juntamente com outros três indivíduos pela suposta prática do crime de tráfico de drogas.

A denúncia do Ministério Público do Acre (MPAC) narra que a partir da quebra dos dados dos telefones celulares apreendidos com os acusados, autorizada pela Justiça, “apurou-se que existe uma grande rede de traficantes que distribuem, principalmente em Feijó/AC, (…) droga vinda de Cruzeiro do Sul”.

Ao todo, 29 pessoas foram denunciadas pelo MPAC pelas práticas dos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico após as investigações. Parte das prisões foi efetuada durante a denominada Operação Erínias.

A defesa do acusado M. da S., por sua vez, requereu a revogação da medida excepcional de segregação cautelar do réu ao argumento de “constrangimento ilegal por excesso de prazo”.

Decisão

Ao analisar o caso, o Juízo Criminal da Comarca de Feijó negou o pedido de liberdade provisória formulado pela defesa do réu M. da S., sob o fundamento de que permanecem presentes os motivos que ensejaram a custódia preventiva do acusado.

“Não houve o surgimento de elementos novos que modificassem a situação fática do preso, estão presentes, ainda, os pressupostos que autorizaram a medida extrema de segregação cautelar”, destaca o texto da decisão.

Na decisão, o Juízo Criminal da Comarca de Feijó também assinalou que a “complexidade da causa” (com um total de 29 réus denunciados pelo MPAC) justifica a extrapolação do “prazo tido como ideal para o encerramento da instrução processual, como é o presente caso”, não se configurando, como pretendido pela defesa do réu, suposto “constrangimento ilegal”.

Ainda cabe recurso da decisão junto à Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Acre. Gecom TJAC.

Cruzeiro do Sul

Terremoto de 7,7 no Equador é sentido em cidade no interior do Acre; veja

Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Um terremoto na cidade de Sucua, no Equador, localizada a 142 km distante do epicentro, registrou nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira (22), um terremoto de magnitude 7,7. O fato, acabou sendo registrado por alguns moradores do Acre, que disseram sentir a terra tremer por cerca de 6 segundos.
O tremor de terra foi registrado por volta das 5h20min. Em Cruzeiro do Sul, a pescadora Eliana Costa, que estava saindo de casa para trabalhar, conta que assustou-se, quando se deparou com os postes de energia elétrica, balançando em sua rua.
“Foi bem forte. Eu estava saindo, quando começou a balançar tudo, foi quando senti uma tontura, e quando olhei para os postes de energia do lado de fora da minha casa, eles estavam todos balançando intensamente, juntamente com os fios. No momento, preferi ficar do lado de fora, até que ele parasse e pudesse seguir ao trabalho”, finalizou.
Nas cidades de Mâncio Lima, Porto Walter, Marechal Thaumaturgo e Rodrigues Alves, moradores também informaram que foi possível sentir o tremor de terra nos locais.
do site: juruaemtempo

Continue lendo

Cruzeiro do Sul

União reconhece situação de emergência por causa da cheia em Cruzeiro do Sul, no Acre

G1 AC, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O decreto que reconhece a situação de emergência em Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade do Acre, por conta da cheia do Rio Juruá, foi publicado na edição desta terça-feira (19) do Diário Oficial da União (DOU).

Com mais de 7 mil famílias afetadas pela enchente, o município aguarda recursos do governo federal para manter a assistência aos moradores das áreas alagadas. Nesta quarta-feira (20), o manancial apresentou a marca de 13,41m, de acordo com a Defesa Civil Municipal.

Em Cruzeiro do Sul, o rio já chegou 13,88m, ultrapassando a cota de transbordo, que é de 13m. A cheia, considerada a segunda maior marca do manancial, afeta diretamente mais de 7 mil famílias, sendo que dessas, quase três mil foram desalojadas e 123 precisaram sair de casa e permanecem há mais de uma semana em abrigos coletivos por conta da prefeitura.

Para receber apoio do governo federal, o município decretou situação de emergência no dia 27 deste mês e aguardava o reconhecimento pela Defesa Civil Nacional. Com a decisão positiva do governo federal, o município, que tem quase 90 mil habitantes, deverá receber um valor de R$ 4 milhões para apoio às famílias que tiveram prejuízos com a enchente.

O prefeito do município, Ilderlei Cordeiro, que esteve em Brasília com o Secretário Nacional da Defesa Civil, disse que, além de donativos, o município deverá receber um projeto para a construção de mais de mil casas populares para atender as famílias que moram nas áreas de risco.

“Em decorrência da crise financeira que afeta o país, tivemos de renegociar e definir prioridades a serem atendidas pelo decreto de situação de emergência. Entretanto, com o ministro, reafirmei a necessidade de construção das unidades habitacionais. A boa notícia é que uma equipe já foi destaca para estudar a obra e priorizar investimento nas áreas de infraestrutura e saneamento”, anunciou Cordeiro.

Continue lendo

ACRE

Corregedoria-Geral da Justiça divulga calendário de correições

Gecom TJAC, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Procedimento é rotineiro e busca fiscalizar as tarefas nas unidades.

A Corregedoria-Geral da Justiça (Coger) divulgou o calendário oficial de correições, às quais serão submetidas unidades judiciárias da capital e do interior do Estado.

O calendário de Correição Geral Ordinária segue até o final de 2019, incluindo Serventia Extrajudicial e Serviços Notariais e Registrais do Estado do Acre. A atividade leva em consideração os princípios da transparência, da eficiência e da economia que regem a Administração Pública.

O documento ainda é assinado pela desembargadora Waldirene Cordeiro, que ocupava o cargo de corregedora-geral da Justiça, atualmente ocupado pelo desembargador Júnior Alberto, que conduzirá os procedimentos necessários, acompanhado pelo juiz-auxiliar da Corregedoria, e da equipe técnica do setor.

A Portaria nº 1, de janeiro de 2019, que traz o calendário, foi publicada na edição 6.280 do Diário da Justiça Eletrônico (fl. 74), de 23 de janeiro.

O procedimento de correição é rotineiro e busca fiscalizar as tarefas nas unidades. Durante a ação, são observadas a infraestrutura, a qualidade dos serviços, o atendimento, dentre outros pontos. Também são esclarecidas possíveis dúvidas dos juízes e é verificado o cumprimento dado às orientações emanadas pela Corregedoria-Geral da Justiça.

Continue lendo

Promoções

TOP 5 MAIS LIDAS

ACRE.COM.BR © 2017-2019 - Todos os direitos reservados. Contato: (68) 98114-3077.

Faça sua denúncia
Enviar denúncia
Fale Conosco
%d blogueiros gostam disto: