NOSSAS REDES

ACRE

Vítimas de acidente com o barco em Cruzeiro do Sul se preparam para voltar pra casa

Contilnet, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

José Francisco do Nascimento, 49 anos; Francisco Rodrigues da Rocha, 49 anos; Francisco Rodrigues de Oliveira, 60 anos; João Oliveira da Silva, 32 anos, foram transferidos para o HRAN cinco dias depois do acidente com o barco no Rio Juruá, ocorrido no dia 7 de junho.

Os pacientes seguem internados em enfermaria, recebendo curativos especiais e já se preparando para a volta ao lar. “Os pacientes estão já com curativos de longa duração, fazendo fisioterapia com a equipe e com previsão de alta para semana que vem”, informou o chefe Unidade de Queimados do HRAN, José Adorno.

Ainda se recuperando pela perda da irmã Simone Souza Rocha, 24 anos, primeira vítima fatal do acidente,   Gleidson Rocha recebeu com alegria a notícia da alta médica do pai dele, Francisco Rodrigues Rocha, também internado no HRAN.  “Lá tenho minha mãe e mais quatro irmãos esperando por nós. Aqui fomos muito bem recebidos e cuidados, só tenho a agradecer “, disse Gleidson.

Vítimas do acidente recebem atendimento no Hospital Regional da Asa Norte. (Foto: cedida)

Distante da capital federal cerca de 200 Km, em Goiânia, outro cruzeirense, Romário Lima, acompanha com atenção a recuperação de Jucicleia Ferreira da Silva, 42 anos, internada no Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol).

Ainda em estado grave, porém estável, Jucicleia tem reagido bem ao tratamento. “A paciente tem apresentado significativa melhora nos  padrões de respiração. Deve este final de semana se submeter a novo desbridamento cirúrgico (procedimento para retirada dos tecidos queimados), seguindo em tratamento que deve ainda durar de 30 a 60 dias”, informou José Adorno.

Devido à gravidade dos ferimentos que sofreu, Jucicleia foi uma das últimas a ser transferida para tratamento fora de domicílio. “Tivemos que  aguardar que o quadro clínico estabilizasse para que ela pudesse ser transportada”, explicou a coordenadora da Central de Leitos e Cirurgias da Regulação Estadual do Acre, Paula de Faria Mariano.

“Aqui chegando ela recebeu todos os cuidados. Estamos sendo muito bem atendidos, acompanhados por assistente social, psicólogo. Comparado ao estado em que chegou aqui ela já tá bem melhor, sem a necessidade de sedativos para  dormir”, informou o acompanhante de Jucicleia, Romário Lima.

Moradora do seringal Novo Horizonte, em Marechal Thaumaturgo, Jucicleia  tinha ido a Cruzeiro do Sul acompanhar o marido Valdir Torquato para exames clínicos. O casal viajava com o filho P.V. , de 4 anos. A família havia embarcado para retornar para casa, quando sofreu o acidente. Valdir Torquato e o filho, de 4 anos, foram transferidos para o tratamento especializado no Hospital João XXIII, onde continuam internados.

Centro de referência no Acre

A alta dos pacientes do HRAN está prevista para a próxima sexta-feira (28) e será acompanhada pela secretária de Saúde do Acre, Mônica Kanaan Machado. O retorno dos  pacientes ao Acre não é a única boa notícia. Além da visita ao HRAN, em Brasília, a secretária de Saúde cumpre agenda com o presidente da Sociedade Brasileira de Queimados (SBQ), José Adorno.

Durante reunião serão abordados os  procedimentos formais para viabilizar a instalação de uma unidade do centro de queimados em Rio Branco. “Com isso vamos evitar tratamento fora de domicílio, como aconteceu com os queimados da explosão no rio Juruá”, disse a secretária ao agradecer a colaboração da SBQ e unidades de Brasília, Belo Horizonte e Goiânia no atendimento às vítimas do acidente em Cruzeiro do Sul.  A implantação do centro de queimados em Rio Branco contará com o apoio e treinamento da SBQ

ACRE

Em Feijó, unidade de saúde da família não dispõe de médicos, e população aguarda ação do MP

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Segundo consta no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde – CNES, a Unidade de Saúde da Família Dulce A. A. Sena, em Feijó, interior do Acre, não dispõe de médicos.

Em Feijó, a unidade de saúde U.S.F. Dulce A. A. Sena informou no último dia 03/08/2020 que dispõe de 15 profissionais de saúde, mas nenhum é médico, dentre eles existem agentes comunitários de saúde, auxiliares em saúde bucal, técnicos de enfermagem, auxiliar de escritório e cirurgião dentista. 

No portal do Governo Federal http://cnes.datasus.gov.br/pages/estabelecimentos/consulta.jsp responsável pelo gerenciamento das unidades de saúde dos municípios e estados, não consta informação quanto à existência de médico na U.S.F. Dulce A. A. Sena.

No portal do Governo Federal http://cnes.datasus.gov.br/pages/estabelecimentos/consulta.jsp responsável pelo gerenciamento das unidades de saúde dos municípios e estados, não consta informação quanto à existência de médicos na U.S.F. Dulce A. A. Sena.

Conforme o CNES, não há médicos devidamente cadastrados ou registrados na U.S.F. Dulce A. A. Sena. Consulte clicando aqui ou veja a relação de servidores aqui

A Promotoria de Justiça de Feijó ainda não determinou instauração de diligências sobre o caso. Na internet, internautas afirmaram que o problema da falta de médicos em Feijó é do conhecimento da prefeitura municipal, e há tempos isso acontece no município.

A redação do Acre.com.br telefonou para a gerência da unidade, através do telefone (68)3463-3372, informado ao CNES, para obter informações quanto a existência de médico na unidade. No sistema do CNES, consta a Sra JORGINA DORA SILVA DA SILVEIRA como gestora responsável pela referida unidade de saúde. Porém, após inúmeras chamadas entre 08:30hs e 09:00hs, desta terça-feira, ninguém atendeu.

O contato com a redação poderá ser realizado através do e-mail: contato@acre.com.br ou WhatsApp (68) 99910-8808. 

Continue lendo

ACRE

Conselheira de 65 anos não deve assumir vaga de colega que morreu de Covid-19 no AC, recomenda MP

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Documento destaca que Maria de Jesus já atingiu idade máxima exigida para assumir cargo.

CAPA: TCE-AC encaminhou apenas um nome para indicação do governador — Foto: Reprodução/Google Street View.

O Ministério Público do Acre (MP-AC) encaminhou duas recomendações para a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) e para o Tribunal de Contas Estadual (TCE-AC) para que seja rejeitada a nomeação da conselheira Maria de Jesus Carvalho de Souza.

Segundo o MP-AC, a conselheira não pode assumir a vaga do colega José Augusto Araújo de Faria, de 71 anos, que morreu de Covid-19 no dia 12 de julho, por já ter atingido a idade máxima exigida para assumir o cargo, que é 65 anos.

A Constituição do Estado do Acre prevê que o conselheiro precisa tem mais de 35 anos e menos de 65 para assumir o cargo. Com 65 anos completos, segundo o MP-AC, Maria de Jesus não pode ocupar a vaga.

O órgão estadual deu prazo de dez dias para que a Aleac e o Governo do Acre se posicionem sobre a situação. Em caso de descumprimento, o MP-AC garante que vai tomar medidas judiciais para apurar a responsabilidade tanto nas esferas cível, administrativa e penal.

Ao G1, a assessoria de comunicação da Aleac informou que ainda não tem comissão formada para analisar. A discussão e formação da comissão deve ser feita na terça-feira (11).

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Obter empréstimos