NOSSAS REDES

CURIOSIDADES

6 recursos que estão a caminho do WhatsApp

Acrenoticias.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

 

O WhatsApp está constantemente mudando. Se você utiliza apenas a versão convencional do aplicativo, as novidades podem chegar de forma mais espaçada, mas o público que se aventura com a versão beta sempre recebe uma atualização experimental para conferir antes do resto dos usuários.

Neste momento, o aplicativo está testando uma série de novos recursos que devem chegar a qualquer momento. Alguns deles já estão disponíveis para os usuários do beta; outros foram confirmados, mas ainda não estão acessíveis, enquanto outros são esperados há algum tempo.

Reprodução automática de áudio no Android

Usuários do iOS já têm desde o ano passado este recurso, e ele finalmente começou a chegar para usuários do Android. A função é extremamente útil para quem já se deparou com aquele “paredão” de áudio ao abrir o WhatsApp, com várias mensagens enviadas na sequência.

O WhatsApp agora vai entender quando muitas mensagens de áudio forem enviadas em um espaço de tempo curto e engatará a reprodução da próxima assim que a execução da primeira terminar.

A função já está disponível para usuários da versão beta do WhatsApp para Android e não deve demorar muito para chegar a todos os usuários.

Modo escuro

Um pedido antigo do público, que pode ser útil em vários aspectos. O modo escuro tem a vantagem mais óbvia de tornar o uso do aplicativo mais confortável quando você está em ambientes escuros, sem precisar levar um jato de luz na cara.

Além disso, para quem usa celulares com tela AMOLED, existe uma segunda vantagem. Como cada pixel é individualmente aceso para formar a imagem na tela, o modo escuro permite que os pontos pretos se mantenham totalmente apagados, o que ajuda a economizar energia. Se você usa muito o WhatsApp, o ganho de autonomia do celular pode ser considerável.

O recurso ainda está em desenvolvimento interno e não está acessível nem mesmo na versão beta, mas ele deve começar a chegar aos primeiros usuários em breve.

Dedo-duro de spam
Assim como sua empresa-mãe, o Facebook, o WhatsApp tem lidado com seus próprios problemas com boatos, com impacto bastante negativos na sociedade. Na Índia, onde a presença do aplicativo é muito forte, houve ondas de linchamentos resultantes de correntes falsas compartilhadas sem cuidado; no Brasil, também não precisamos ir muito longe para lembrar de como o app virou uma arma para difusão de mentiras durante as eleições.

Há algum tempo, o aplicativo começou a mostrar quando uma mensagem é encaminhada em vez de redigida pelo próprio remetente. Agora, o próximo passo é mostrar quando aquela mensagem foi encaminhada muitas vezes, o que poderá ser feito olhando os dados de uma publicação. Lá haverá a informação de quantas vezes aquela mensagem foi encaminhada, o que reforça seu caráter viral e, muito provavelmente, falso.

A função ainda não foi implementada, mas deve chegar primeiro à Índia, onde a questão dos boatos é fortíssima e onde haverá eleições dentro de pouco tempo.

Bloqueio por impressões digitais

A autenticação em duas etapas do WhatsApp é útil para impedir que alguém use sua conta sem permissão, mas ela não é o método mais eficaz de bloqueio do app para impedir que alguém acesse seu perfil se tiver o celular em mãos. Em breve, será possível bloquear o WhatsApp com biometria.

No iOS, essa função foi implementada com suporte ao FaceID e TouchID, e agora está em desenvolvimento para o Android. Com ela, você poderá utilizar usar a impressão digital cadastrada no seu celular para impedir que outras pessoas leiam suas conversas.

Trata-se de mais uma função que está em desenvolvimento interno e ainda não tem previsão de lançamento, mas está a caminho.

Pagamentos

O WhatsApp já havia anunciado há algum tempo uma função de pagamentos, que permite a transferência de dinheiro entre usuários, visando inicialmente a Índia. O Brasil deve estar entre a próxima leva de países a receber a funcionalidade.

Espera-se que em algum momento seja implementado um sistema que utilize criptomoedas, mas por enquanto, no entanto, o WhatsApp Payments funciona sem depender delas. Na Índia, ele opera integrado ao UPI, o sistema unificado de pagamentos do país, que integra bancos e instituições financeiras locais, o que significa que você pode associar seu WhatsApp a uma conta bancária e transferir seu dinheiro a partir da sua conta corrente.

Na Índia, para usar o recurso é necessário fazer a verificação do número telefônico mais uma vez para fazer a associação do app a uma conta bancária. Então, basta abrir uma conversa com outro usuário habilitado a receber pagamentos, selecionar o ícone de pagamentos e definir a quantia a ser transferida.

Ainda não se sabe quando essa função pode chegar ao Brasil.

Busca avançada de mídia

O WhatsApp vai ganhar mais um recurso para facilitar a vida de quem costuma buscar por mensagens ou imagens antigas no aplicativo. O recurso, chamado de Pesquisa Avançada, está em desenvolvimento e deve dar as caras dentro de algum tempo para usuários do Android e do iOS.

A vantagem da busca avançada é que é possível filtrar as categorias de busca. Em vez de pesquisar apenas por mensagens, é possível observar também as imagens, GIFs, vídeos, documentos, links e áudio que são trocados por meio do WhatsApp. Atualmente, não há um modo simples de recuperar arquivos de mídia que são enviados ou recebidos por meio do app.

O recurso foi descoberto primeiro no iOS, ainda em desenvolvimento interno, e está inacessível, mas chegará primeiro aos celulares da Apple e, posteriormente, aos aparelhos Android.

Informações de olhar Digital 

Comentários

Comente aqui

CURIOSIDADES

Em Tarauacá, arraia gigante é captura por pescador e vira atração turística

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Neste domingo, 23, durante pescaria no Rio Tarauacá, um pescador que não quis se identificar, capturou uma imensa arraia que pesava mais de 50 quilos. 

A criatura foi levada às margens do Rio Tarauacá, onde se encontravam vários banhistas, e no local houve muita admiração e ao mesmo tempo medo, tendo em vista que o peixe se encontrava poucos metros de distância das areias onde famílias, crianças e idosos se encontravam. 

O pescador ouviu várias propostas de compra, porém informou que iria degustar o peixe com sua família, por ser considerado um ´pescado chique´.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O QUE É A ARRAIA

As arraias ou raias são peixes carnívoros, cartilaginosos, assim como os tubarões, e passam grande parte do tempo enterradas na areia. Possuem um ferrão serrilhado e pontudo na cauda, coberto por um muco venenoso. Esses animais figuram entre os animais venenosos que mais causam acidentes. Segundo o Instituto Butantã, elas lideram o ranking de ocorrências junto com picadas de jararacas e escorpiões.

Apesar de não serem consideradas ameaçadas de extinção, essas raias sofrem algumas pressões como a coleta para aquarismo, pesca, e perda e degradação de hábitat causados por atividades agrícolas, de mineração, usinas hidrelétricas, e desenvolvimento urbano.

Ferroada de arraia

O principal sintoma é dor imediata e intensa. Apesar de ser frequentemente limitada às regiões lesadas, a dor pode se disseminar rapidamente, atingindo máxima intensidade em < 90 min; na maioria dos casos, a dor diminui de maneira gradual em 6 a 48h, mas pode ocasionalmente durar dias ou semanas. São comuns síncope, fraqueza, náusea e ansiedade, podendo em parte ser decorrentes da vasodilatação periférica. São relatados casos de linfangite, vômitos, diarreia, sudorese, cãibras generalizadas, dor inguinal ou axilar e dificuldade respiratória.

Em geral, a ferida é denteada, sangra livremente e com frequência está contaminada com fragmentos da camada tegumentar. Com frequência, as bordas da ferida são descoradas, ocorrendo certa destruição tissular localizada. Geralmente, há algum edema. Feridas abertas são suscetíveis a infecções.

Tratamento

Irrigação ou debridamento

Lesões em extremidade devem ser irrigadas com água salgada para tentar remover fragmentos da espinha, tecido glandular e tegumento. A espinha deve ser removida no local somente se estiver superficialmente inserida e se não estiver penetrando no pescoço, tórax ou abdome ou criando uma lesão total de um membro. Hemorragia significativa deve ser estancada com pressão local. Imersão em água morna, embora recomendada por alguns especialistas, ainda não foi provada como sendo um tratamento precoce eficaz para lesões por arraias.

No departamento de emergência, a ferida deve ser reexaminada para verificar restos da camada e debridada; anestesia local é administrada, se necessário. Espinhas inseridas são tratadas como em outros corpos estranhos. Picadas no tronco dos pacientes precisam ser bem avaliadas para possíveis punturas nas vísceras. Nas manifestações sistêmicas, o tratamento é de suporte. Deve-se administrar profilaxia antitetânica (Profilaxia para tétano no tratamento de rotina de ferimentos) e recomenda-se elevar a extremidade lesada por vários dias. O uso de antibióticos e o fechamento cirúrgico da ferida podem ser necessários. 

Continue lendo

CURIOSIDADES

COMUNIDADE NO AC QUE LEVA NOME DE SANTO ANTÔNIO FAZ FOGUEIRA DE 13 M PARA HOMENAGEAR PADROEIRO

G1AC, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A construção de uma grande fogueira, para festejar o encerramento do novenário de Santo Antônio, já é tradição há mais de 30 anos em uma comunidade de Mâncio Lima. Os moradores da localidade, que tem o mesmo nome do padroeiro, este ano, levaram três dias para levantar a estrutura de madeira que será queimada na noite desta quinta-feira (13).

A obra envolve praticamente todos da comunidade. No primeiro dia, um grupo de mais de 20 homens retira a lenha na floresta, enquanto outra turma cuida do transporte para o local do festejo. Depois, as equipes se unem e levam mais dois dias para fazer o trabalho de montagem da fogueira.

Os organizadores do evento contam que em anos anteriores, os serviços eram mais complicados e demoravam mais por serem feitos todos de forma manual. Atualmente, a comunidade recebe o apoio da prefeitura que envia caminhões para transportar a madeira e máquinas para erguer os quatro pilares que sustentam a fogueira.

Para empilhar as hastes de lenha até chegar a altura de 13 metros, os moradores formam uma espécie de torre humana e passam as peças de mão em mão até chegar ao topo. É um trabalho demorado que eles fazem com muita atenção para evitar qualquer incidente.

A comunidade mantém a tradição para homenagear o santo protetor e com a fé de dias melhores para os que acreditam na proteção de Santo Antônio.

“A gente faz isso todo ano no dia de Santo Antônio, porque a gente pede muito a ajuda dele. Dá pra ver que é um trabalho até perigoso, mas, como temos a proteção dele, nunca aconteceu nenhum imprevisto na nossa comunidade”, diz o líder comunitário Genival Matos.

Os moradores já chegaram a construir uma fogueira de até 17 metros, mas, este ano, decidiram fazer um pouco menor, com 13 metros. A fogueira será queimada a partir das 19h e deve levar mais de 24 horas pegando fogo.

No momento da procissão de Santo Antônio, o padre faz a benção da fogueira e os devotos aproveitam para fazer seus agradecimentos e pedidos ao santo casamenteiro. A comunidade aguarda mais de mil visitantes para o encerramento do novenário.

“A gente aguarda até ela cair, que é a hora mais emocionante que tem. E na hora que a procissão passa, as pessoas fazem seus pedidos”, afirmou matos que agradece a Santo Antônio pela família que construiu durante os anos que cuida da organização da festa do padroeiro.

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

Fale Conosco