NOSSAS REDES

ECONOMIA

Acre em crise: Folha de pagamento aumenta rombo das contas dos estados; veja a pesquisa

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Tesouro vê risco maior à União ao garantir empréstimos a entes da Federação.

Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, estados onde os problemas fiscais são mais profundos, mantiveram as piores notas (D) na escala de capacidade de pagamento do Tesouro Nacional.

Minas não tem nota porque não apresentou dados de disponibilidade de caixa.

É preocupante que justamente os estados com os maiores problemas para pagar suas contas tenham as piores notas, pois são elas que indicam os entes que podem receber a garantia da União para obter novos empréstimos.

No geral, o número de estados que podem ter essa garantia —com nota A ou B— caiu de 14 para 13, segundo boletim de finanças do Tesouro Nacional de 2018.

O único estado com nota A na escala é o Espírito Santo, que manteve o desempenho.

Pioraram a capacidade de empréstimo Maranhão e Rio Grande do Norte, que passaram a ter nota C.

O Piauí passou a ser elegível a obter novos empréstimos com garantia da União, com nota B, mas corre o risco de cair na escala no ano que vem. Ao lado do Piauí, correm esse risco São Paulo, Acre, Amazonas, Paraíba e Paraná.

O aumento do rombo nas contas dos estados, que saiu de R$ 2,8 bilhões em 2016 para R$ 13,8 bilhões em 2017, explica o quadro ruim —bastante influenciado pela alta dos gastos com pessoal.

No geral, a despesa dos estados com funcionários da ativa e aposentados cresceu acima da inflação no ano passado.

A diferença entre os estados, porém, foi significativa. Em Mato Grosso do Sul, os gastos com pessoal tiveram crescimento de quase 20%, descontada a inflação, seguido por Roraima e Rio de Janeiro (com alta ao redor de 10%).

Mais uma vez, o Espírito Santo foi o destaque positivo, com queda real de quase 4% nos gastos com pessoal.

Além do Espírito Santo, os estados nos quais não houve crescimento real nos gastos com pessoal foram Paraíba, Amapá e Pará.

Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Sergipe, Acre, Paraíba, Roraima, Paraná, Bahia, Santa Catarina e Alagoas apresentam comprometimento de suas receitas correntes líquidas com despesas com pessoal superior ao limite permitido, de 60%.

0
Greve de servidores municipais em março, no centro de São Paulo – Eduardo Anizelli/Folhapress

 

O fato de os inativos responderam por boa parte dessas despesas reforça, segundo o Tesouro, a urgência de uma reforma da Previdência, controle de altas salariais e realização de concursos públicos.

Entre 2011 e 2017, as despesas com pessoal cresceram 31,6% na média, descontada a inflação.

O Rio de Janeiro mais do que dobrou os gastos com pessoal, mas nesse período maior se destacaram os servidores ativos. No Maranhão e em Mato Grosso do Sul, a alta ficou pouco abaixo de 80% e, em Minas, essas despesas subiram quase 60%.

Entre as cidades com nota C, destacam-se Rio de Janeiro, Campo Grande e Goiânia. Flavia Lima. Folha SP.

ACRE

Emprego cresce no Acre e saldo é de 201 novos contratados

Ac24horas, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O emprego cresceu 0,26% em julho no Acre, levando em conta que ocorreram 2.452 contratações e 2.251 demissões com estoque positivo de 201 novas vagas. No ano o saldo também é positivo, com 1,16% de aumento.

Os dados foram divulgados pelo Ministério da Economia na manhã desta sexta-feira (23). Pelo quarto mês consecutivo, o emprego formal cresceu no Brasil. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram a abertura de 43.820 vagas de trabalho com carteira assinada em julho, um crescimento de 0,11% em relação ao estoque de junho.

O governo diz que a modernização trabalhista foi em boa medida responsável pelo saldo positivo em todo o País. Do saldo total de julho, 6.286 vagas foram resultado da modernização trabalhista, número equivalente a 14,34% do total. A maior parte destes empregos veio na modalidade intermitente, que teve saldo de 5.546 postos, principalmente em ocupações como alimentador de linha de produção, servente de obras e faxineiro. Na categoria de trabalho em regime de tempo parcial, foram 740 vagas, em ocupações como faxineiro, auxiliar de escritório e operador de caixa.

Em julho de 2019, houve 18.984 desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado, envolvendo 13.918 estabelecimentos, em um universo de 12.592 empresas. Um total de 45 empregados realizou mais de um desligamento mediante acordo com o empregador.

No Acre, Tarauacá foi o município que mais empregou em julho, registrando aumento de 18,90% na oferta de novos postos de trabalho.

Continue lendo

BRASIL

Valor médio do Bolsa Família no Acre segue o maior do Brasil

Ac24horas, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Governo Federal já começou a pagar o Bolsa Família referente ao mês de agosto a 90.027 famílias com previsão de injetar R$ 24.189.761,00 na economia do Acre -pelo menos R$ 1 milhão a mais que quando o presidente Jair Bolsonaro assumiu o cargo, em janeiro. Cerca de 48% das famílias acreanas dependem do subsídio para sobreviver e o valor médio do seguro segue, com Jair Bolsonaro, com valor recorde na história do programa no Brasil, com média de R$ 268,69.
Desde que Bolsonaro assumiu o mandato, cerca de duas mil novas famílias acreanas entraram no Bolsa Família.

No país, mais de 13,8 milhões de famílias começam a receber o benefício do Bolsa Família referente ao mês de agosto nesta segunda-feira (19). No total, mais de R$ 2,6 bilhões estão sendo transferidos para famílias pobres e extremamente pobres em todo o país – e segue até o próximo dia 30. O valor médio pago é de R$ 188,63, quase R$80 a menos que a média acreana

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

WhatsApp Precisa de ajuda?