NOSSAS REDES

ACRE

Acre entra no radar da Polícia Federal em investigação sobre venda ilegal de madeira no país

Contilnet, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O Acre está, desde a manhã do último sábado (27) no radar a Polícia Federal como um dos oitos estados do país, além do Distrito Federal, alvos da Operação Arquimedes, que busca desarticular uma quadrilha responsável por extrair madeira da Amazônia de forma ilegal. A operação prendeu 26 pessoas em Manaus (AM) e outras três estão foragidas. Em Rio Branco, foram apreendidos computadores, outros equipamentos eletrônicos e documentos.

As operações deram-se na sede do Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac ), no centro de Rio Branco (AC), onde os agentes federais apreenderam farta documentação, segundo revelou o diretor-presidente do órgão, advogado André Hassem. Os agentes federais apresentaram mandados de busca e apreensão de documentos datados a partir do ano de 2015, quando o responsável pelo órgão, na administração do segundo mandato do governador Tião Viana, era o professor Edgar de Deus. “Estamos aqui para colaborar em todos os sentidos”, disse Hassem, ao ser informado de que, na segunda-feira (29), as buscas devem ser reiniciadas. Os agentes trabalharam durante todo o sábado (27) na leitura e apreensão de documentos no órgão. “A ordem do governador é para escancarar tudo”, disse

Em Manaus, entre os presos da operação há um ex-superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), José Leland. O ex-dirigente era alvo de um mandado de busca e apreensão, mas acabou preso em flagrante porque os agentes encontraram em seu poder uma arma de fogo sem autorização.

Os policiais federais encontraram com o diretor financeiro do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Fábio Rodrigues, R$ 205 mil em espécie. Ele foi preso em casa e é suspeito de emitir 35 autorizações para exploração ilegal de madeira no Amazonas.

A operação investiga possíveis casos de corrupção entre servidores, engenheiros florestais, detentores de planos de manejo do Ipaam e do Ibama e proprietários de empresas madeireiras. A corrupção ocorria entre servidores e engenheiros e madeireiros, com o objetivo de obter celeridade dentro do órgão, “passar fila”, e obter também informações sobre fiscalização nos locais de mata, informou a Polícia Federal. Alguns pagamentos eram feitos diretamente entre servidores e madeireiros, com transação bancária direta ou quantias em espécie.

Foram expedidos 23 mandados de prisão preventiva, seis de prisão temporária, 109 mandados de busca e apreensão cumpridos no Amazonas, Acre, Paraná, Mato Grosso, Minas Gerais, Rondônia, Roraima, São Paulo e Distrito Federal. Além disso, foram autorizados bloqueios de mais de R$ 50 milhões nos CNPJs das empresas investigadas e outras 18 medidas cautelares.

Os investigados responderão, dentro das suas condutas, pelos crimes de falsidade ideológica no sistema DOF, falsidade documental nos processos de concessão e fiscalização de PMFS (Plano de Manejo Florestal Sustentável), extração e comércio ilegal de madeira, lavagem de bens, direitos e valores, corrupção ativa e passiva e de constituição de organização criminosa.

A operação já apreendeu em dezembro de 2017 mais de 400 contêineres no porto em Manaus, contendo aproximadamente 8.000 m³ de madeira em tora com documentação irregular

ACRE

Empresário de Tarauacá faz entrega de mascaras para pessoas da zona rural

Radialista José Gomes - Da Amazônia para o Mundo.

PUBLICADO

em

Na manhã desta segunda-feira (01), O empresário Gilmar Torres que vem desenvolvendo atividades sociais no combate ao COVID-19 — deu continuidade as ações que já havia desenvolvendo durante a pandemia no município de Tarauacá-AC.

Depois de ajudar pessoas carentes com a distribuição de donativos , cestas básicas a pessoas de baixa renda durante o isolamento social e outras atividades, nessa manhã do dia primeiro junho, Gilmar fez uma campanha com distribuição de mascaras voltada as pessoas que residem na zona rural.

 

Segundo o empresário a maioria dos que residem na zona rural vêm nesse período do mês para receber seus benefícios , fazer compras — o que faz muitos deles virem a cidade, aumentando o fluxo de pessoas na rua. A medida de entrega de mascara é uma forma de conscientizar a população que não mora no centro urbano dos cuidados e os perigos do novo COVID-19.

 

Continue lendo

ACRE

Políticos adotam atitudes eleitoreiras durante a Covid-19 e matam a economia

Bakunin Acriano, o Eremita, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Eremita

Eis que saio de minha caverna e descubro que a população precisa seguir meu exemplo e realizar um longo isolamento. O motivo é a pandemia por coronavírus, diferente dos meus motivos que incluem a falta de paciência com político incompetente contando lorota.

Incompetência I

Falando em política incompetente, a prefeita Socorro Neri deu um tiro no próprio pé ao ter decretado rodízio. Críticas silenciosas choveram e a população que realmente move a economia de Rio Branco odiou. Agora, os eleitores precisam lembrar desse abuso de autoridade durante o pleito.

Incompetência II

Por falar em rodízio, você, meu único leitor, notou que houve uma explosão de casos notificados pela Covid-19 durante essa limitação determinada por numeração das placas dos veículos? Será que os casos aumentaram graças as aglomerações em terminais e coletivos?

“Pra-lamentar” I

Vereadores criticaram o presidente da Fecomércio, Leandro Domingos, por cobrar das “excelências” mais atitudes. Os caras engravatados ficaram de mimimi, mostrando que eles são amadores e incompetentes. Eles, durante esta crise, não fizeram nada mesmo, nem reduziram os próprios gastos e nem cortaram os próprios salários para ajudar na contenção de despesas. Isso é “pra-lamentar”.

“Pra-lamentar” II

O desaforo também vai para os deputados que também não apitam nada. Apenas jogam para o público ideias mirabolantes, principalmente o comunista Edvaldo Magalhães, que na farra defendeu a suspensão do pagamento de empréstimos consignados por servidores. É preciso lembrar que o servidor não teve suspensão e não teve a redução dos salários. O resultado é que ele empurrou uma bomba para o povo, porque a legislação permite que os bancos cobrem juros e multas pela falta do pagamento. É muita atitude eleitoreira e incompetente.

Governador “Magrim”

Nosso governador Gladson Cameli, “o magrim”, está precisando de um bom caldo de feijão, está abatido, mas continua com atitudes eleitoreiras. Ele precisa lembrar que a eleição será realizada apenas em 2022. Assim não pode, magrim.

Reabertura

Essa reabertura dos comércios é necessária e urgente. Pena que falta articulação por parte do governo em garantir a retomada da economia. É sabido que para a retomada da economia é preciso ter vagas nos hospitais, mas a promessa de um hospital de campanha vem desde fevereiro.

Estou voltando a datilografar. Aguarde novos textos e notas semanais para apimentar nossa comuna.

Conheça Bakunin Acreano.

E-mail: bakunin.acreano@protonmail.ch

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias