NOSSAS REDES

BRASIL

Com Daniel Alves, Jardine convoca seleção brasileira para as Olimpíadas de Tóquio

PUBLICADO

em

O técnico da seleção olímpica masculina de futebol, André Jardine, anunciou nesta quinta-feira os 18 convocados para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

O veterano Daniel Alves, de 38 anos, do São Paulo, está na lista. Ele está se recuperando de uma lesão no joelho que o tirou da disputa da Copa América. Além dele, Jardine também chamou o zagueiro Diego Carlos, de 28 anos, do Sevilla, e o goleiro Santos, de 31 anos, do Athletico-PR, entre os jogadores com mais de 24 anos da lista.

Veja a lista completa:

GOLEIROS

Santos (Athletico-PR)

Brenno (Grêmio)

LATERAIS

Daniel Alves (São Paulo)

Gabriel Menino (Palmeiras)

Guilherme Arana (Atlético-MG)

ZAGUEIROS

Gabriel Magalhães (Arsenal)

Nino (Fluminense)

Diego Carlos (Sevilla)

MEIAS

Douglas Luiz (Aston Villa)

Bruno Guimarães (Lyon)

Gerson (Flamengo)

Claudinho (Red Bull Bragantino)

Matheus Henrique (Grêmio)

ATACANTES

Matheus Cunha (Hertha Berlim)

Malcom (Zenit)

Antony (Ajax)

Paulinho (Bayer Leverkusen)

Pedro (Flamengo)

Jardine comentou sobre a presença de Daniel Alves na lista:

– Há atletas que são referência para todos nós. O Dani é um jogador que não à toa tem o currículo que tem. Um dos mais vitoriosos da história, por onde passa é campeão. Quando ele ficou fora da Copa América, já ficamos de olho. É um jogador que vai agregar demais, experiência, sabedoria, liderança. O universo quis assim. Disse a ele que a Olimpíada falta no currículo.

O atacante Pedro foi convocado, apesar da manifestação do Flamengo de vetar a presença do jogador na lista. O clube chegou a enviar um ofício à CBF informando que não liberaria atletas – Gerson já está negociado com o Olympique, de Marselha.

O vice de futebol do Flamengo, Marcos Braz, e do diretor Bruno Spindel já haviam visitado Pedro, que está em quarentena após testar positivo para Covid, para comunicar e explicar a decisão do clube de não liberá-lo para as Olimpíadas por causa do longo período que ficaria ausente. Também foi usado como argumento o alto valor da compra de seus direitos econômicos – 14 milhões de euros.

– A gente trabalha e sempre trabalhou nesse projeto visando a questão técnica. O Flamengo tem uma posição e a gente tecnicamente tem outra. O Pedro é um jogador importante no processo olímpico. Jogador que nos últimos dois jogos fez 3 gols. Jogador espetacular. Tem vontade enorme de defender o Brasil – explicou o coordenador Branco.

Alguns jogadores ficaram fora da lista por veto de suas equipes. Foi o caso de Neymar, que está com a seleção principal na Copa América e já tinha sido avisado pelo PSG que não seria liberado para os Jogos Olímpicos.

– Neymar é referência mundial, imagina pra gente. Grande líder da principal. Gostaríamos de contar com ele. Logicamente, se tornaria muito mais difícil, como se tornou, pensarmos em alguém que faria Copa América e Olimpíada. Gostaríamos muito de contar com o Ney, mas não deu por esse motivo. Que seja feliz e bicampeão da Copa América. Sorte pra ele, pro Tite, pra todo mundo. Estamos torcendo – disse Branco.

Em Tóquio, o Brasil tentará repetir o ouro conquistado pela primeira vez há quatro anos, nos Jogos do Rio, quando a Seleção bateu a Alemanha na final, disputada ano Maracanã.

Coincidentemente, os alemães serão os rivais da estreia da Seleção no torneio olímpico, em 22 de julho. No dia 25, a equipe enfrenta a Costa do Marfim e, no dia 28, fecha a fase de grupos contra a Arábia Saudita.

A programação da CBF é de que os convocados se apresentem no dia 1 de julho para uma semana de treinamentos em São Paulo, no CT do Palmeiras. A delegação viaja dia 8 de julho para Doha, no Catar, e fica lá até o dia 15, quando enfim vai ao Japão.

Área do Leitor

Receba as publicações diárias por e-mail

REDES SOCIAIS

MAIS LIDAS

WhatsApp chat