NOSSAS REDES

ACRE

Delegado Valdinei Soares investiga se criança de 10 anos grávida de 5 meses foi abusada por parente

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Polícia Civil de Tarauacá não informou o parentesco do suspeito. Criança foi levada para Rio Branco para continuar tratamento e morar com irmã.

A Polícia Civil da cidade de Tarauacá, interior do Acre, passou a investigar um parente da criança de 10 anos que está grávida. O familiar é suspeito de ter abusado sexualmente da menina.

Um vizinho da família está preso desde o último dia 20, também suspeito de abusar da menina. Ele foi ouvido pela polícia e negou o crime.

O delegado responsável pelo caso, Valdinei Soares, confirmou as investigações ao G1, mas não informou o parentesco do suspeito com a menina. Segundo Soares, o caso foi colocado em segredo de Justiça.

“Não sabemos se foi abusado por ele [rapaz preso]. A suspeita maior está sobre um familiar, que não posso dizer quem é”, detalhou.

O caso surpreendeu os médicos e é acompanhado pelo Conselho Tutelar, pelo Tribunal de Justiça e pelo Ministério Público do Acre (MP-AC). A menina morava em Tarauacá com o pai e uma irmã. Já a mãe vive em um seringal na cidade de Jordão.

Revogação da prisão

Soares confirmou também que pediu a revogação da prisão do suspeito preso. O pedido foi feito no final de dezembro do ano passado e ele aguarda a decisão da Justiça. “Continua sendo suspeito, mas pedi a revogação da prisão”, resumiu.

Ainda segundo o delegado, a criança foi levada para Rio Branco para continuar o acompanhamento na gravidez e também psicológico e assistencial.

“Outras pessoas foram interrogadas, mas minha linha de investigação é mais sobre o parente”, frisou.

Mesmo com as investigações direcionadas para o parente, o delegado explicou que a paternidade do bebê só poderá ser confirmada após o nascimento. A gravidez da menina é de risco.

“Vou interrogar ele, mas acredito que tudo vá ficar para depois do nascimento da criança, até pela questão do exame de DNA. Por mais que a investigação seja forte para esse parente, não tem como afirmar porque a vítima não fala coisa com coisa”, ressaltou.

A menina foi ouvida por psicólogos da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) da capital acreana. Porém, o delegado acrescentou que ela não sabe precisar a identidade do abusador.

“Foi ouvida pela psicóloga da Delegacia da Mulher e chegou à conclusão de que ela não fidedigna quando se pergunta quem teria sido o autor do estupro. A Justiça determinou que seja acompanhada por psicólogos, assistentes sociais até mesmo em virtude da gravidez”, concluiu.

Menina tem epilepsia e recebe apoio psicológico

O Conselheiro Tutelar de Tarauacá Antônio de Souza Castro disse, na época que o caso veio à tona, que foi informado do caso pelo hospital do município, no início de dezembro. Segundo ele, a menina, que completou dez anos em março deste ano, passou a receber apoio psicológico.

“Aconteceu o fato, encaminhamos para a Justiça, MP, delegacia, o que estava à altura do Conselho Tutelar nós fizemos. Agora, ela recebe atendimento psicológico”, explicou Castro.

O conselheiro afirma que houve um pedido da Justiça para que os médicos avaliassem os riscos da gestação.

“O juiz pediu para os médicos darem um parecer, orientaram o pai sobre o risco que uma criança de dez anos corre no estado de gestação. Encaminharam para Cruzeiro do Sul para a obstetra fazer novas avaliações porque, em caso de abuso sexual, estupro, o aborto é garantido por lei”, disse.

O conselheiro diz que a criança tem epilepsia e que o hospital de Tarauacá não tem estrutura necessária para atender o caso.

“Corre o risco, porque ela tem epilepsia. Tarauacá não tem estrutura para um parto como esse. Ela será acompanhada, vai fazer o pré-natal no posto de Saúde”, explicou.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat