NOSSAS REDES

ARTIGOS

Em 73 dias, Governo Gladson continua perdido, e para evitar críticas paga R$ 134.000,00 mil reais de mídia

Bakunin Acriano, o Eremita, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

73 dias de governo, e Gladson Cameli tem rejeição recorde em tão pouco tempo. Em Tarauacá, e interior do Acre, povo continua sem as soluções prometidas.

Quem não se lembra das promessas mirabolantes do Governador Gladon Cameli (PP) em Tarauacá? o jovem governador disse em reuniões que em sessenta dias iria asfaltar a cidade inteira e seria preciso a população bater em suas costas e dizer “caboquinho mande as máquinas parar de trabalhar que está fazendo muito barulho!

Em Tarauacá, só ouvimos zoada de grilo! e já se passaram mais de sessenta dias.

O atual Governo de Cameli, a cada dia que se passa, está recaindo, e o descrédito da população em seu governo e secretariado, aumentando.

Muitas promessas e poucas ações executadas. No Diário Oficial desta quarta-feira, o Governo Gladson comprou mídia em pelo menos seis portais de notícias, com dispensa de licitação

Ao preço de R$134.000,00 mil reais os jornais deverão fazer a publicidade das ações do governo. 

Gladson deve dar uma refletida urgente, porque seu governo em tão pouco tempo está  sobremaneira antipatizado: tanto quanto Tião Viana em oito anos de governo, diga-se de passagem!

A população não perdoa tantos erros; o povo não aguenta mais, Cameli tem tudo para dar a volta por cima, basta parar e planejar suas ações de forma estratégica, e não desgovernada, como vem fazendo. Tipo, ‘maria vai com as outras’. 

É Gladson… tu me ouves? tu estar sendo Maria vai com as outras! Até o momento, tu não é novidade, se conduz como o velho político em nova embalagem e novo rótulo.

As redes sociais é termômetro para se medir como ‘anda’ um governante, e o que vemos em tão pouco tempo são pessoas dizendo que estão arrependidas de votar no homem de jovem de Cruzeiro do Sul, sobrinho do ex-governador; isso não é bom para um governo que está iniciando agora, se continuar assim, seu final será trágico. Tanto quanto ou pior que Tião e Jorge Viana.

Eu votei em você, suas promessas me empolgaram, eu senti uma verdade nelas. Mas talvez já não voto mais.

Até breve meus amigos, ótima quinta-feira!

Por Bakunin Acriano, via Redação do Acrenoticias.com

bakuninacriano@acre.com.br

COLUNA 'CARTAS COMUNISTAS E CAPITALISTAS' é escrita por Bakunin Acriano, o Eremita. Talentoso aos 80 anos de idade, dos quais mais de 30 anos reside no Acre, por isso se diz acriano, onde é conhecido por "Eremita". Foi Comandante de Galvez na guerra pelas terras do Acre. Seu maior prazer, todavia, não é pela guerra. Mas escrever crônicas e críticas sobre a mídia e a política contemporâneas. Esse velho sábio participou da Revolução Russa e Cubana. Razão pela qual ficou durante 20 anos exilado em Amesterdã. Onde aprendeu a ler e usar máquina de escrever. Não gosta de computador, nem internet. Eremita se qualifica modestamente como luso-acriano. Ele, porém, guarda documentos que provam sua identidade como um ex-agente da KGB. (Personagem fictício que faz uma crítica à sociedade)

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Pagar impostos e cobrar retorno

Redação do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Já começo com o alerta de que o assunto de hoje assusta e irrita todo mundo. Quem nunca pagou ou paga impostos? Ninguém, por mais que tente. Sou formado em Contabilidade e desde o começo da minha vida profissional, me refiro ao período de quando comecei em um escritório do ramo, lido diariamente com impostos. Segundo uma pesquisa do Ibope de 2019, 81% dos brasileiros não sabe, de verdade, o quanto paga de imposto e para onde vai todo esse dinheiro.

Além disso, 48% dos impostos arrecadados no País vêm do consumo das famílias do dia a dia, das compras que a gente tem que fazer ou decide fazer. Sabe quanto você paga de imposto num litro de gasolina? 51%. É isso mesmo! Mais da metade do preço na bomba é imposto! Num pacote de manteiga, numa pizza e até numa caixa de fósforos que você compra, mais de um terço é imposto.

Sabe o quanto tem de taxação em um quilo de carne? 29%. 17% no feijão e no arroz de todo dia e 48% na conta de luz. Do preço de um ovo de galinha o governo fica com 20% e da cachacinha, que o povo afoga as suas mágoas para amenizar o sofrimento, o governo toma 81%. Preste bem atenção, vem aí uma tal Reforma Tributária, mas pelo que já li e vi, não querem diminuir impostos ou desburocratizar o sistema, a ideia é apenas unificar quatro ou cinco impostos em um.

Parece que é mais uma brincadeira, né? A gente precisa ficar atento e não pode ficar calado. Temos que ficar de olho em tudo e cobrar isso dos nossos representantes, que são os vereadores, deputados e senadores. Você sabia que dos 364 dias que tem no ano a gente trabalha 153 dias somente para pagar impostos? É um absurdo! Eu queria que esse assunto não assustasse e nem irritasse ninguém. Queria até pagar imposto sorrindo e ver o resultado disso.

Imposto de Renda, INSS, FGTS, PIS, COFINS, IPI, ITR, ICMS, IPVA, IPTU, ISS, Laudêmio. “Laudêmio?”, você pode estar se questionando, mas eu explico. Essa é uma taxa que vai para a Marinha. Isso mesmo, Marinha, no Acre. Acredita? E olha que tem muito mais imposto, fora as taxas disso e daquilo. O exercício da cidadania começa quando a pessoa cumpre com todas as suas obrigações e assim pode exigir do estado políticas que contemplem as suas necessidades básicas. Precisamos criar o hábito de cobrar retorno positivo dos impostos. Isso não é esmola e nem favor, é dever de quem nos representa e direito nosso!

Jebert Nascimento é empresário, advogado, administrador e contador acreano

Redes sociais: @jebertnascimento

Continue lendo

ARTIGOS

ARTIGO: Quo Vadis?

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

  Rosildo Barcellos*

  A nação clama por mudanças e refletem a insatisfação com as politicas do governo. O resultado, por enquanto, é que o dia 16 de junho, menos de um mês depois de atingir a marca de um milhão de casos confirmados, de Covid-19, o Brasil atinge a marca de mais de dois milhões de infectados no país. Atualmente, o Brasil é o segundo país com mais óbitos registrados pela Covid-19, Na sociedade atual, que sobrevaloriza o indivíduo e a capacidade de acumulação de bens materiais, o desemprego é, sem dúvida, um dos maiores medos sociais O impacto da Covid-19 fará com que o mundo passe por experiência semelhante à Grande Depressão de 1929. A recessão, na prática, engloba uma série de fatores que impactam diretamente na economia, como a redução da produtividade das indústrias, aumento do desemprego, a diminuição do poder de compra das famílias e a redução dos investimentos

   Por outro lado, é possível até que exista uma confusão para descobrir quem está com dengue, com gripe ou covid-19. A letalidade da dengue é parecida com a influenza sazonal (0,08% dos casos). Já a covid-19, apesar da letalidade não ser alta (3,5%), demanda um tratamento mais complexo, muitas com internação. Mas não há dúvidas que acúmulo dessas doenças vai pressionar o sistema de saúde. E isso sem falarmos de outros problemas, pois o hipertenso não vai deixar ser hipertenso por causa da pandemia, o mesmo ocorre com o diabético. Por isso, nesse momento, a boa gestão da saúde e dos recursos disponíveis vai ser importantíssimo. Revigora o fato de que a pauta de reivindicações é ampla, incluindo solicitações por melhorias nas mais diversas áreas, além de transparência dos gastos públicos. Em suma, são recados claros à classe política e ao poder público instituído. O governo precisa realizar com eficiência sua lição de casa, comunicar o que está fazendo e como está fazendo e ainda explicar os óbices que o impedem de fazer mais e melhor. Hoje, o Brasil tem 80.9 milhões de usuários de internet. Na zona rural, apenas 10% dos domicílios estão conectados mas também mostrou a força que outrora não existia do Facebook, Twitter, Instagram e WhatsApp. Negligenciar demandas populares e movimentos sociais é temeroso.

   É um equívoco governar perdendo a interlocução. E é preciso lembrar que existe um outro grupo da população brasileira que, neste momento, se encontra silencioso, mas que certamente seu brado será ouvido muito claramente nas urnas. Nós deixamos o país solto e acreditando ingenuamente na bondade e nos discursos doces daqueles que lideraram até aqui. Mas saibam todos que nós, articulistas, não fugimos de luta alguma. Os preços altos estão prejudicando o planejamento familiar e a vida das pessoas. Faltam médicos em 41% das cidades do nordeste, faltam remédios e comida na mesa, no próximo mês iniciam os cortes de energia por falta de pagamento. São muitos motivos mas um só objetivo: viver com um mínimo de conforto e segurança para nossas famílias.

   Quo vadis? é uma frase latina que significa “Para onde vais?” ou “Aonde vais?”. O uso moderno da frase refere-se a uma tradição cristã aonde São Pedro encontra Jesus quando fugia de uma provável crucificação em Roma. Pedro pergunta a Jesus “Quo Vadis”, e Jesus lhe responde, “Eu estou indo a Roma para ser crucificado de novo.” (Roman vado iterum crucifigi.); prontamente Pedro ganha coragem para continuar seu ministério e a partir daquele momento torna-se um mártir e se transforma na personagem mais importante para o crescimento da fé cristã na época.

*Articulista

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Obter empréstimos