NOSSAS REDES

ACRE

Em Rio Branco, garoto de 13 anos sobrevive após cair em cisterna abandonada com 10 metros de profundidade

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Capa: Adolescente caiu dentro de cisterna com mais de 10 metros de profundidade — Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros.

Um adolescente de 13 anos sobreviveu após cair dentro de uma cisterna vazia que está abandonada e tem mais de 10 metros de profundidade. O acidente ocorreu na tarde deste domingo (19) no bairro Preventório, em Rio Branco. O adolescente ficou com várias escoriações pelo corpo e quebrou um dos braços.

A cisterna onde o jovem caiu estava aberta e faz parte de uma Estação de Tratamento de Água desativada que fica no bairro. O G1 entrou em contato com o Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento do Acre (Depasa) e foi informado que uma equipe técnica do órgão está apurando o ocorrido e vai se posicionar posteriormente.

O menino foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros que ficou aproximadamente 40 minutos para fazer o resgate por conta da dificuldade de acesso ao local. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado e levou o adolescente para o Pronto-Socorro de Rio Branco.

O menino brincava com amigos quando caiu na cisterna. “Esta cisterna em que ele caiu parte dela está com água e a outra parte não está, que foi exatamente na parte em que ele caiu”, disse o major Cláudio Falcão, dos bombeiros.

O jovem estava consciente quando foi resgatado de dentro da cisterna. “A dificuldade foi por conta da profundidade. Tivemos que usar técnicas de rapel e usar escada para fazer o resgate dele com segurança. Ele estava muito machucado, mas consciente”, finalizou.

Morte de menino

O pequeno Vilk Gabriel Andre de Lima, de 8 anos, morreu afogado após cair dentro de um bueiro aberto de uma estação de tratamento de esgoto abandonada, no 7 de fevereiro, em Rio Branco. O caso ocorreu na Rua Pequena Jéssica, no bairro Wanderlei Dantas. O menino brincava com outras crianças quando caiu e se afogou.

Ao G1, na época, a assessoria de comunicação do Depasa disse que o órgão estava apurando o caso e ia tomar as medidas necessárias no sentido de reparar o dano e possível assistência à família.

“Ele estava com os vizinhos brincando da barra, ele foi se esconder e caiu no bueiro. É aberto o bueiro, têm vários bueiros abertos lá”, contou o pai da criança, Cleigilson de Souza, muito abalado, na época do acidente.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!
WhatsApp chat