NOSSAS REDES

ACRE

Em situação de ‘alerta crítico’, Acre avalia pedido da Fiocruz de restrição das atividades não essenciais por 14 dias

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Inserido na lista de estados em situação de ‘alerta crítico’ da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Acre avalia a sugestão da fundação de restringir o funcionamento das atividades não essenciais por 14 dias. Essa avaliação é feita pelo Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 do estado acreano.

O Acre está com um decreto, que suspendeu o funcionamento do comércio durante os fins de semana e feriados, em vigor para tentar conter o avanço da Covid-19. A Saúde do Acre entrou em colapso e começou a transferir pacientes para Cruzeiro do Sul e Manaus, sendo que três foram para o estado vizinho na sexta (19).

Por causa da lotação de leitos de UTI para tratamentos de Covid-19, a Fiocruz sugere que os estados devem restringir todas as atividades não essenciais por 14 dias, com exceção do Amazonas e Roraima.

A recomendação foi divulgada nesta terça-feira (23) no “Boletim Extraordinário do Observatório Covid-19 Fiocruz”. Além de sugerir a restrição das atividades para buscar a “redução de cerca de 40% da transmissão”, os especialistas pedem o uso obrigatório de máscaras por pelo menos 80% da população.

Ao G1, a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) confirmou que essa possibilidade da Fiocruz é estudada pelo Comitê, mas que não há nada certo até o momento. “Existe essa possibilidade, porém, não é nada certo ainda”, resumiu o secretário de Saúde do Acre, Alysson Bestene.

Na segunda (22), o governo anunciou que a suspensão do funcionamento do comércio e demais atividades durante os fins de semana e feriados segue por tempo indeterminado no Acre. Além disso, o estado acreano segue na bandeira de emergência, representada pela cor vermelha.

Ocupação de leitos

No Pronto Socorro de Rio Branco, de todos os 30 leitos de UTI disponíveis na unidade 28 estão ocupados. Nesta quarta (24), a direção do PS bloqueou temporariamente dois leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por falta de profissionais. Ainda segundo a direção, alguns profissionais estão afastados por motivo de doença.

No Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC) dos 50 UTIs disponíveis 46 têm pacientes em tratamento.

A capital acreana tem 16 pacientes com Covid-19 na fila à espera de um leito em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Também nesta quarta, o estado acreano registrou 66.290 casos de Covid-19 e 1.210 óbitos pela doença.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!
WhatsApp chat