NOSSAS REDES

ACRE

Feira do Peixe da Semana Santa em Rio Branco

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A Semana Santa traz a tradição do pescado na mesa. A Feira do Peixe e da Agricultura Familiar segue com a oferta do pescado na CEASA e em oito locais em diversos pontos da capital.

Nos mercados municipais: Elias Mansour, da Estação Experimental, do Bosque, da Seis de Agosto e da Cidade do Povo, além de peixarias da Avenida Amadeo Barbosa e na região do Panorama e Conjunto Universitário.

O prefeito Marcus Alexandre visitou nesta terça-feira, 27, no Mercado do Peixe na CEASA, a Feira do Peixe e Agricultura Familiar, que também é realizada em outros oito locais de Rio Branco: mercados Elias Mansour, da Estação Experimental, do Bosque, da Seis de Agosto e da Cidade do Povo, além de peixarias da Avenida Amadeo Barbosa e na região do Panorama e Conjunto Universitário.
 
Na CEASA, a venda do peixe começa às 3h30 e vai até ás 18h. Nos demais pontos, a movimentação inicia às 5h da manhã. A expectativa é de receber 90 mil visitantes e comercializar cerca de 60 toneladas de pescado e 250 toneladas de produtos hortigranjeiros, atingindo uma movimentação financeira da ordem de R$ 1,7 milhão.
FEIRA DO_PEIXE_VAI_COMERCIALIZAR_MAIS_DE_60_TONELADAS_DE_PESCADO_NA_SEMANA_SANTA_Fotos_Assis_Lima_19
 
A 8ª edição da Feira do Peixe da Semana Santa e Agricultura Familiar de Rio Branco – sexta feira da atual gestão, envolve 100 produtores rurais, 45 piscicultores e 30 empreendimentos da Economia Solidária, além da iniciativa privada. “A Feira é a vitrine dos piscicultores, que aumentam a renda neste período. E a população encontra nos oitos locais de comercialização pescado e produtos hortigranjeiros a um preço acessível”, explica o prefeito, ressaltando o grande investimento que o governo do Estado, fez na piscicultura com a construção de açudes e tanques e a assistência técnica prestada aos produtores de pescado.
 
Na CEASA e demais pontos, o preço do quilo de algumas espécies, como o tambaqui, é de R$10. Há também piau, pintado e pescado de açudes, tanques e rios da região. Seu Maurílio de Souza, o Capixaba, produtor na região do ramal Espinhara, diz que em anos anteriores já chegou a vender mais de 3 toneladas de peixe na CEASA, quantidade que quer aumentar esse ano. “A feira é excelente para nós porque em outras datas a gente vende pingado. Aqui não, é em grande quantidade. A meta este ano é chegar aos 25 ou 30 mil reais”, afirma o piscicultor.
 
Os clientes aproveitam a oportunidade de encontrar peixes com ou sem escamas, com ou sem espinha, inteiros ou já tratados. Quarenta e cinco tratadores ofertam o serviço de limpeza do peixe aos consumidores. A funcionária pública Maria Nogueira, levou para casa o tambaqui já tratado, sem espinhas e filetado. “Aqui podemos escolher à vontade e levar o produto no ponto de pôr na panela. Ainda levo as verduras”.
 
Considerada um sucesso pela gestão municipal e cidadãos da capital, a Feira do Peixe já recebeu mais de 600 mil visitantes, chegando a comercializar 1.830 toneladas de produtos hortigranjeiros e 609 toneladas de pescado, o que permitiu alcançar uma movimentação financeira de 12,3 milhões de reais ao longo dos últimos anos.
 
A ex-deputada federal Perpétua Almeida, o deputado estadual Lourival Marques e os vereadores Mamed Dankar e Eduardo Farias também estiveram na abertura da Feira do Peixe com o prefeito Marcus Alexandre nesta terça-feira na CEASA.
 
A 8ª Feira do Peixe da Semana Santa e Agricultura Familiar é uma realização da Prefeitura Rio Branco, em parceria com o Governo do Estado e a Central das Cooperativas e Empreendimentos Solidários (UNISOL), e acontece de 27 a 30 de março, na Central de Abastecimento de Rio Branco (CEASA); nos mercados Elias Mansour, da Estação Experimental, do Bosque, da Seis de Agosto e da Cidade do Povo; nas peixarias da Avenida Amadeo Barbosa; na região do Panorama e no Conjunto Universitário.
 
Fotos Assis Lima/DECOM

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat