NOSSAS REDES

Saúde Pública

Governo vai instalar grupo de trabalho para encontrar saída jurídica ao problema do Pró-saúde

Contilnet, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Após manifestação dos contratados pelo pró-saúde em frente à Casa Civil, na tarde desta segunda-feira (18), governo do Estado e representantes da categoria acordaram, em reunião no gabinete, a formação de um grupo de trabalho (GT) com o objetivo de estudarem uma saída jurídica para o imbróglio que envolve os servidores que temem serem demitidos.

“São promessas desde o governo passado, de regularizar a nossa situação. Mas acreditamos que o governador Gladson Cameli tem a intenção de resolver o problema e entendemos que o tempo é curto, mas a gente precisa avançar nas negociações”, disse Gean Marcos, representante da categoria.

O GT envolve o Procurador Geral do Estado, João Paulo Setti Aguiar, que deve designar procuradores para, junto com advogados do pró-saúde estudarem propostas a serem apresentadas ao Ministério Público do Trabalho, no sentido de sensibilizar o órgão quanto à possibilidade de prorrogar o prazo para encerramento dos contratos considerados ilegais.

“A determinação da Justiça é de extinguir o pró-saúde, mas é uma atividade que envolve vários profissionais de saúde que atuam nas unidades. Se demitidos agora haverá um colapso na rede. Mas temos outros cargos que não são da atividade fim, mas da atividade meio que a gente vai avaliar a partir dessa Ação Civil Pública”, explicou o secretário de Estado de Saúde, Alysson Bestene.

A garantia do governo, a priori, é de que se não houver um entendimento, ou que não seja encontrada uma saída jurídica, a secretaria irá proceder a demissão somente dos contratados pelo pró-saude que atuam em áreas meio, os chamados GSTs (gestor de suporte técnico). Dos 83 contratos existentes nesta modalidade, 77 ainda permanecem.

“Desde a transição a gente vem avaliando a folha do pró-saúde e verificamos que tem cargos comissionados com o nome de GST que varia em torno de R$ 3 mil a R$ 20 mil, dependendo do cargo, que leva a folha de pagamento mensal ao valor de R$ 6 milhões de reais”, explicou o secretário.

Alysson Bestene finalizou lembrando que, tendo em vista o decreto de calamidade pública na saúde, publicado na última sexta-feira (15), o governo trabalha na definição dos contratos emergenciais para suprir demanda das unidades e planeja um processo simplificado para contratar 340 profissionais, entre médicos, biomédicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e técnicos em Saúde pelo período de um ano.

ACRE

Dois meses após 1ª morte por Covid-19, Acre contabiliza 201 óbitos e 7.525 casos da doença

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Nas últimas 24 horas, houve um aumento de 241 casos novos da doença. Estado contabiliza ainda 3.616 pessoas curadas.

Em dois meses, as mortes por Covid-19 no Acre saíram de 1 para 201, segundo aponta o boletim da Secretaria de Saúde do estado (Sesacre). De acordo com os dados deste sábado (6), o Acre também registrou 241 casos novos da doença, fazendo o número saltar de 7.284 para 7.525. Nas últimas 24 horas, o estado também atestou a morte de mais onze pessoas.

Há ainda 471 exame, aguardando o resultado no Lacen e Marieux. Já são 3.616 curados da doença em todo o estado. O estado está em contaminação comunitária desde o dia 9 de abril.

A primeira morte pela doença no estado foi confirmada em 6 de abril. Antônia Holanda, de 79 anos, morreu na UPA do Segundo Distrito três dias depois de ter sido internada. No dia da primeira morte, o Acre ainda contabilizava menos de 50 casos da doença.

A taxa de contaminação no estado vem em um ascendente subida com índice de 853,2 casos para cada 100 mil habitantes. O primeiro caso do município de Jordão foi confirmado na quarta-feira (3), assim, todas as 22 cidades do Acre registram casos da doença.

Os leitos de UTI específicos para Covid-19 estão concentrados em Rio Branco e Cruzeiro do Sul. São, ao todo, 48 leitos para atender pacientes graves no estado. Neste sábado (6), 42 deles estavam ocupados, uma taxa de ocupação de 87,5%.

Números

A maioria das mortes ocorre no sexo masculino. Das 201 mortes, 123 (61%) foram de homens e 78 (39%) de mulheres. Além disso, das vítimas, 70% apresentavam algum tipo de comorbidade, segundo a Saúde. Além disso, 135 vítimas, sendo 62% do total, tinham mais de 60 anos.

Até este sábado, o Acre já fez 17.486 exames, sendo que 9.490 foram descartados, 7.525 confirmados e mais 471 seguem em análise.

As cidades com a maior taxa de contaminação são:

  • Cruzeiro do Sul – 1.111,2;
  • Rio Branco – 1.101,3
  • Acrelândia – 1.081,5
  • Plácido de Castro – 1037,4
  • Tarauacá – 866,9

Casos de Covid-19 por cidades

CIDADENº DE CASOS NO TOTALNOVOS CASOS
Acrelândia1650
Assis Brasil593
Brasileia11521
Bujari723
Capixaba643
Cruzeiro do Sul982102
Epitaciolândia900
Feijó352
Jordão43
Mâncio Lima678
Manoel Urbano191
Marechal Thaumaturgo1036
Plácido de Castro2054
Porto Acre1214
Rio Branco4.48638
Rodrigues Alves367
Santa Rosa do Purus461
Sena Madureira2513
Senador Guiomard1501
Porto Walter20
Tarauacá36923
Xapuri848
TOTAL7.525241
 

Continue lendo

ACRE

Em Tarauacá, fumante e diabético, idoso de 91 anos se cura da Covid-19 e ganha bolo de profissionais de saúde

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Apesar da idade avançada e de ter diabetes, idoso não ficou internado. “Felicidade muito grande”, diz enfermeiro que acompanhou o idoso.

Foto: Idoso ganhou bolo dos profissionais de saúde que o acompanharam durante o tratamento — Foto: Arquivo pessoal.

Rubens Felipe Martins, de 91 anos, está curado da Covid-19. Morador de Tarauacá, no interior do Acre, ele chegou a ficar em observação no hospital, mas foi liberado para continuar o tratamento em casa. Foram 15 dias, até que na última terça-feira (2), recebeu a notícia de que não tem mais o vírus. Para celebrar, profissionais de saúde levaram um bolo pra ele.

No topo do bolo: 101 anos. A família explica a confusão. “Nos documentos está com 101, mas ele tem 91 anos. Aumentaram dez anos, está errado. As pessoas falam que o que vale é o que está no documento, que diz que ele nasceu em 1919. Mas, nasceu em 1929”, explicou ao G1 a filha do seu Rubens, Maria dos Santos Silva.

Por erro na certidão, idoso aparece com 101 anos — Foto: Arquivo pessoal

Por erro na certidão, idoso aparece com 101 anos — Foto: Arquivo pessoal.

Seu Rubens foi diagnosticado com a Covid-19 no dia 16 de maio. Além da idade avançada, ele é diabético e fuma desde a adolescência, mas não precisou ficar internado para tratar a doença.

“Ele teve febre por três dias, uma gripe muito forte, e quando ele fica assim sempre levamos para o hospital porque fica muito fraco e tem o pulmão muito fraquinho. Meu irmão levou, mesmo a gente não querendo, com medo dele ficar internado, e conversamos com a médica”, explicou a filha.

Além dela, moram na casa com o idoso a irmã e a mãe, de 84 anos, mas ninguém apresentou sintomas da doença até o momento.

A cidade de Tarauacá tem 302 casos de Covid-19 confirmados até esta quarta-feira (3). Três pessoas já morreram vítima da doença no município e outras 166 tiveram altas médicas.

“Foi uma felicidade muito grande porque Tarauacá já chegou a mais de 300 casos, três mortes, então, a gente ver um idoso curado é de grande valia e importância”, disse o coordenador da Saúde Básica do município, enfermeiro Iago Correia.

Teste rápido

O diagnóstico de Covid-19 veio por um teste rápido feito no hospital da cidade. Seu Rubens passou algumas horas em observação na unidade e foi liberado para continuar o tratamento em casa.

“Ficamos em casa, mas o médico pediu para gente não sair por 14 dias, minha irmã e eu que estávamos cuidando dele. Ainda estamos com ele”, contou Maria.

A filha disse que o pai não apresentou nenhum sintoma grave, mas ficou confuso durante alguns dias.

“Não apresentou mais nenhuma dor. Ficou confuso, perguntava onde estava, um médico particular chegou a visitar, mas está bem graças a Deus”, reafirmou.

Bolo

Para a surpresa preparada para o idoso, a equipe de saúde levou um bolo com plaquinhas com mensagem de esperança, felicidade e saúde.

Porém, devido a diabetes, o idoso não pode comer o doce. “Fomos na casa do seu Rubens, eu, o secretário de Saúde, algumas pessoas da UBS que acompanham ele. Foi um gesto de carinho e estamos agradecidos por ele estar vivo, mesmo tendo comorbidades, é fumante”, disse o enfermeiro Iago Correia.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias