NOSSAS REDES

CIDADES

Grupo de Trabalho vai inspecionar todas as etapas da cadeia produtiva do açaí em Rio Branco

Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Por indicação do vereador Artêmio Costa, a Câmara Municipal de Rio Branco realizou nesta segunda-feira, 11, Audiência Pública para tratar da contaminação do açaí e os impactos na saúde da população e na cadeia produtiva. A plenária contou com a presença de comerciantes, titulares e representantes de órgãos de saúde, pesquisa e fiscalização do produto.

O secretário de Saúde de Rio Branco, Oteniel Almeida, respondeu às perguntas e fez um relato de todos os passos dados pelo poder público municipal, desde a descoberta de fezes do barbeiro no açaí comercializado na região central da capital acreana, à realização de exames e expectativa da divulgação dos resultados, no próximo dia 20.

O representante do Ministério da Agricultura (MAPA), Jorge Hessel, elogiou a atuação da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA), que “fez bem seu papel de fiscalizador. O bem maior é o produto com qualidade e a segurança da população”. Ele ressaltou que o MAPA só atua na indústria e que a SEMSA atua junto ao comércio.
Um dos mais antigos comerciantes de açaí de Rio Branco, Genival Rebouças, explicou que todos os batedores e comerciantes do produto vão buscar a adequação total às normas vigentes. Ele agradeceu pela Audiência “porque fomos ouvidos e também pudemos ouvir várias explicações das autoridades. Queremos trabalhar direitinho e vender nosso produto de acordo com as leis”.
Dos 17 vereadores, 14 participaram da audiência, mas vários convidados não compareceram. O propositor do evento, vereador, Artêmio Costa, cita que por causa do curto período entre a decisão de realizar a audiência e a expedição dos convites, houve pouco tempo, por isso, muitos dos convidados não compareceram. Será necessário um novo encontro na quarta-feira, dia 13. Ele acredita que na próxima reunião haverá maior participação dos órgãos que fazem parte da cadeia produtiva do açaí, bem como os órgãos fiscalizadores. “Todos terão a oportunidade de se manifestar sobre o tema”, explica.
Os vereadores Emerson Jarude, Rodrigo Forneck e Eduardo Farias, elogiaram as medidas adotadas pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, de divulgar o caso, fazer o chamamento para os exames e prestar os esclarecimentos na audiência.
Criação do Grupo de Trabalho
Depois de mais de três horas de perguntas, respostas e entendimentos, ficou decidida a criação de um Grupo de Trabalho – GT, formado por todos os envolvidos na cadeia produtiva do açaí nas três esferas: municipal, estadual e federal; a criação de uma cartilha com todos os passos das boas práticas em toda a cadeia; atualização do Código Sanitário e a criação de um Selo, que comprove a boa procedência e qualidade do açaí. Todas essas medidas serão detalhadas na reunião da próxima quarta-feira, 13, às 15 horas na Câmara.
O secretário de Saúde, Oteniel Almeida, explica que o Grupo de Trabalho vai atuar de forma que todas as etapas, desde a extração até a comercialização do açaí, tenham acompanhamento adequado. “Vamos dividir as responsabilidades e tomar decisões que beneficiem os produtores, mas que levem em conta, principalmente, a saúde da população, que tem o direito de consumir um produto de qualidade e sem nenhum risco à sua saúde”, destaca Oteniel, esclarecendo que a venda do açaí não está proibida em Rio Branco, e quem tiver o Alvará Sanitário pode vender o produto sem problema. “Nosso papel não é interromper a cadeia produtiva do açaí, e sim, garantir que o produto chegue à mesa do consumidor sem risco de morte, como fazemos desde 2016, e só agora encontramos problema em um dos pontos de venda”.
O caso
No dia 1º de fevereiro, a Prefeitura de Rio Branco, por meio das secretarias de Saúde e Agricultura, divulgou os resultados da análise do açaí comercializado em Rio Branco feitos em amostras coletadas nos mercados do Conjunto Manoel Julião, Ceasa, Quinze e Mercado Elias Mansour. O resultado de uma das amostras apresentou fragmentos de DNA de Trypanosoma cruzi, protozoário causador da doença de Chagas. A coleta das amostras foi feita durante os meses de novembro e dezembro de 2018, e de janeiro de 2019. 
Diante do resultado, a Prefeitura iniciou os procedimentos de Vigilância em Saúde com ações de prevenção e orientação aos comerciantes.
As primeiras medidas foram a retirada do mercado do açaí de procedência desconhecida e o chamamento público para exames de prevenção no Centro de Apoio ao Diagnóstico (CAD), localizado ao lado do LACEM. Até agora, 2.173 pessoas já foram ao CAD para fazer exame. O atendimento prossegue até o dia 18. O resultado de todos exames será divulgado no próximo dia 20 pela secretaria Municipal de Saúde.
Com o objetivo de orientar produtores e comerciantes, a Vigilância Sanitária do Município preparou uma cartilha com informações sobre preparo, armazenagem da polpa de açaí de forma adequada, higiênica e segura.
Doença de chagas
O mal de Chagas é uma doença infecciosa causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi, que pode ser adquirida por meio do contato com as fezes do barbeiro, seja pela pele, seja via oral. Entre os principais sintomas estão febre, inchaço e problemas cardíacos. É uma doença, que se não for tratada, pode levar à morte.

Comentários

Comente aqui

DESCASO

Em Tarauacá, Direção do Hospital Sansão Gomes omite prestação de socorro por falta de técnicos

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Ambulâncias do SAMU não atendem população por falta de técnicos, afirma Boletim de Ocorrência registrado na delegacia de polícia civil. Servidores do hospital reivindicam a exoneração da atual direção. 

As vítimas Roberlândio Nascimento Barros e seu pai  João Alves Barros registraram boletim de ocorrência (2019052000224735805) na delegacia local pelo suposto crime de omissão de socorro contra a administração do Hospital Dr. Sansão Gomes.

O Portal Acre.com.br apurou com exclusividade a situação, tendo acesso ao boletim de ocorrência registrado na delegacia de polícia civil do município de Taraucá, interior do Acre.

Recentemente o Governo do Estado disponibilizou duas ambulâncias usadas para o atendimento do SAMU, entretanto, o SAMU atende apenas durante nove dias em decorrência da falta de técnicos no hospital local.

Segundo o registro, subscrito pelos policiais militares que atenderam a ocorrência, a equipe de militares foi acionada via CIOSP, por volta da meia noite do dia 20 de maio de 2019.

A guarnição se deslocou à Rua Rio Tarauacá, Bairro Senador Pompeu, a fim de atender uma ocorrência de prestação de socorro. Chegando ao local os militares se depararam o solicitante João Alves de Barros que relatou que seu filho Roberlândio estaria sentido fortes dores abdominais e que não estava conseguindo nem se locomover.

Na ocasião, foi perguntado ao senhor João Alves se o mesmo tinha entrado em contato com a SAMU do hospital local, tendo em vista que a viatura de policia não dispõe de equipamentos necessários para condução de pacientes, e João respondeu que sim, mais segundo o atendente a SAMU não poderia atender o chamado devido não haver
técnicos.

Nenhuma descrição de foto disponível.

Diante das informações o SGT PM MOURA PINTO ligou para 192 (hospital local) onde a pessoa que lhe atendeu se identificou como Laézio Marques Borges, e confirmou que não havia técnico apenas o motorista Ranaldi de Lima Gomes e por isso não tinha como fazer a prestação de socorro.

Sem saída, a guarnição de militares conduziu o paciente Roberlândio Nascimento Barros ao hospital local, onde foi entregue aos cuidados do médico plantonista, em seguida a equipe de militares e a família do paciente se dirigiram à delegacia local e registraram um B.O. para averiguação do possível crime de omissão de socorro e demais procedimentos cabíveis.

SAMU ATENDE APENAS NOVE DIAS POR MÊS

A redação do Acre.com.br visitou o hospital local e conversou com alguns servidores, os quais confirmaram que está faltando técnicos que acompanhem os atendimentos do SAMU.

Na foto acima (escala de plantões), em cor verde são os plantões do SAMU nos quais não tem profissional para acompanhar os atendimentos realizados nas ambulâncias. Com as ambulâncias do SAMU paradas, motoristas apenas cumprem internamente carga horária de trabalho. 

Os profissionais e a população reclamam que apenas nove plantões durante o mês possuem cobertura por técnicos, os demais 21 dias ficam sem técnicos e, portanto, o SAMU não atende no município.

Chegaram as ambulâncias do SAMU, usadas, mas ajudou pouco, porque no hospital Dr Sansão Gomes não há técnicos suficientes para atender todos os dias do mês. Seriam necessários cinco técnicos para atender a demanda da população“, denunciou um servidor que trabalha na unidade.

A Gerência da unidade hospitalar está sem planejamento, sem estratégia, e não tem o apoio da nossa classe“, desabafou o servidor, que não quis se identificar.

Por Acre.com.br

Continue lendo

CRIME

HOMEM ATROPELA MULHER E FOGE SEM PRESTAR SOCORRO EM FEIJÓ

Acrenoticias.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A Polícia Militar de Feijó tenta localizar o motorista de um quadrículo, que atropelou na manhã deste domingo, 26, por volta das 8h30min, uma mulher na rua Castelo Branco, próximo ao mangueira clube. O homem desapareceu do local em alta velocidade, após atingir a vítima.

Câmeras de segurança serão analisadas pela a polícia para identificar o motorista irresponsável.

Feijó 24Horas

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

Fale Conosco