NOSSAS REDES

ACRE

Hospital particular de Rio Branco tem 4 pessoas na fila de espera por vaga em UTI Covid

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O Hospital Santa Juliana, em Rio Branco, que atende a rede privada de saúde, tem quatro pacientes na fila de espera por uma vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), na manhã deste sábado (27). A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação do hospital.

Na sexta-feira (26), o hospital tinha cinco pessoas à espera de um leito. Além das UTIs, o hospital também tem 10 pessoas esperando por vaga na ala Covid, de acordo com a assessoria.

Além do hospital Santa Juliana, que atua no limite, outras unidades da rede privada da capital acreana já dotaram medidas de suspensão de atendimentos devido ao número elevado dos casos.

No dia 14 de fevereiro, a Unimed Rio Branco anunciou a suspensão das cirurgias eletivas. A medida foi adotada por um período de 30 dias para garantir que não faltem leitos e oxigênio aos pacientes em tratamento contra a Covid-19.

Já no dia 17, a Pronto Clínica suspendeu os atendimentos de urgência e emergência por tempo indeterminado em Rio Branco. O hospital informou que a medida precisou ser tomada, uma vez que está operando no limite de sua capacidade de recursos, principalmente com relação à oferta de oxigênio.

Hospitais do SUS também estão sem vagas de UTIs — Foto: Junior Aguiar/Secom-AC

Hospitais do SUS também estão sem vagas de UTIs — Foto: Junior Aguiar/Secom-AC

Situação dos leitos na rede pública

O aumento do casos de Covid-19 no estado tem levado os hospitais de todo Acre a trabalharem no limite dos leitos de UTI. O G1 não conseguiu resposta da Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre), na manhã deste sábado (27).

Porém, o Sindicato dos Médicos (Sindmed) informou que não há mais vagas no Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), no Hospital de Campanha de Cruzeiro do Sul. O G1 não conseguiu confirmar os dados com a direção das unidades.

Ao G1 a direção do pronto socorro informou que havia uma vaga de UTI Covid disponível para Central de Regulação. E informou ainda que acontece uma reunião para definir novas medidas para abertura de mais leitos.

Com a lotação dos hospitais, no início desta semana, o governador Gladson Cameli disse que não descartava a transferência de pacientes do Acre para outros estados para evitar o colapso no sistema de saúde do estado. Além da pandemia do coronavírus, o Acre ainda enfrenta surto de dengue, crise humanitária na fronteira com o Peru e cheia de rios que atinge 10 das 22 cidades do estado.

Já no final desta semana, o governo anunciou a reforma de mais um espaço para ampliar as vagas de enfermarias. E deve abrir pelo menos mais 20 leitos no antigo prédio do Batalhão de Operações Especiais (Bope), em Rio Branco. O prédio fica ao lado do Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC) e vai funcionar como anexo.

Com a situação de superlotação, no início da semana, o Acre registrou 56.731 casos de Covid-19, até a sexta (26), segundo o boletim da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) desta sexta-feira (26). O total de mortes foi é de 986.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!
WhatsApp chat