NOSSAS REDES

ACRE

Levantamento vê avanço das queimadas em florestas do Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Foto: Sérgio Vale/ac24horas

O WWF fez um levantamento pelo qual afirma que desde o início do ano até o dia 18 de novembro, o Acre teve 9.151 focos de queimadas detectados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Com esse número, diz a ONG, apesar de corresponder a apenas 3,2% do território da Amazônia Legal, o Acre foi responsável por 9,4% dos 96.996 focos de queimadas detectados nos nove estados da região em 2020. O aumento das queimadas no estado foi de 35% em relação ao mesmo período de 2019, quando foram detectados 6.770 focos.

Em 2020, o Acre bateu o recorde da década em área queimada, segundo o WWF, que se baseia também em informações do Projeto Acre Queimadas, da Ufac. Foram, de acordo com esses dados, 265 mil hectares queimados entre janeiro e a primeira semana de novembro. O número é quase 40% maior do que o registrado no mesmo período de 2019 (190 mil hectares) e supera em mais de 15% o recorde dos últimos 10 anos, em 2020, quando foram incendiados 230 mil hectares.

“Metade dos focos de queimadas no Acre ocorreu em municípios que ainda detêm extensas áreas de florestas preservadas, incluindo alguns sem acesso rodoviário e que até pouco tempo atrás não eram motivo de grande preocupação. Os municípios de Jordão e Marechal Thaumaturgo, por exemplo, tiveram em 2020 aumento de 20% e 94%, respectivamente, no número de queimadas em comparação ao mesmo período de 2019”, sustenta o WWF.

“Isso”, diz, “marca uma mudança na dinâmica do processo de devastação no estado, com o fogo se expandindo de regiões já bastante pressionadas pela agropecuária para as mais conservadas, causando danos irreparáveis à fauna e à flora”.

Nesse contexto, o Vale do Juruá, que concentra boa parte das unidades de conservação e terras indígenas e possui uma das mais ricas biodiversidades do mundo, é uma das áreas mais afetadas.

Entre as UCs federais do Acre com mais queimadas, a Reserva Extrativista do Alto Juruá foi a segunda colocada em 2020, com 139 focos. Já no Parque Nacional da Serra do Divisor chama a atenção o aumento de mais de 70% no número de queimadas este ano: foram 110 focos em 2020 e 64 no mesmo período de 2019. O município de Cruzeiro do Sul teve 448 focos em 2020, um aumento de quase 60% em relação ao mesmo período de 2019.

Com WWF

Comentários

Comente aqui

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat