NOSSAS REDES

CAPA

Médica fará Suicídio Assistido

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Na foto, Letícia Franco, de 36 anos, voltou a se despedir de amigos e familiares.

Já está na Suíça, a médica com doença rara que decidiu realizar o procedimento do ‘suicídio assistido’, aceito na Suíça, na Europa. Na última postagem, em sua página no Facebook, e já inclusive apagada pela família, a médica cuiabana Letícia Franco, de 36 anos, voltou a se despedir de amigos e familiares, confidenciando que já estaria chegando sua data de viagem à Suíça, onde realizará o procedimento, legalizado naquele país, do ‘suicídio assistido’.

A médica oftalmologista sofre de uma doença rara, a  dermatomiosite, também conhecida como dermatopolimiosite. Uma doença crônica que se caracteriza por acometimento inflamatório da pele e dos músculos.  Neste final de semana todos os seus perfis nas redes sociais já foram bloqueados.

Uma amiga da oftalmologista – Raiane Leal -, chegou a revelar que muitas pessoas tentaram convencê-la, mas que a médica não conseguia mais lidar com a dor da doença e decidiu pelo procedimento.  A médica vinha dizendo que o proceddimento iria deixá-la, enfim, livre da ‘dor e do medo’.

Letícia postou – durante este período que optou em revelar sua decisão por meio de sua rede social -, fotos no hospital, com seu gato que amava profundamente. ED fez um a espécie de mea culpa com a família, pedindo que a família entendesse que ela queria ter um final digno. 

Na Suíça, a assistência ao suicídio é permitida desde 2001, no entanto, o critério é que o pedido de assistência seja sério e repetido durante algum tempo e sempre para um paciente que tenha uma doença incurável, com morte previsível.

No dia do procedimento proporciona-se uma solução com 10 gramas de pentabarbital de sódio misturada com um suco que o paciente deve, necessariamente, ser capaz de ingerir com suas próprias forças. Se não fosse assim, se trataria de uma eutanásia e não de suicídio assistido.

A eutanásia é quando uma pessoa mata diretamente outra. Ou seja, por exemplo, quando um médico dá uma injecção letal a um paciente. Já o termo suicídio assistido é usadoa quando uma pessoa ajuda outra a matar-se, mas em todo o procrddimento é a pessoa quem – com suas mãos – ingere, por exemplo, o veneno. 

Raianne contou que desde que a conhece a médica, ela sempre sentiu muitas dores. “Ela tem desde muito nova, só que ela vai piorando com o passar do tempo. Faz a pessoa sentir muitas dores, dores fortes. É uma doença rara, poucas pessoas sofrem como ela. Ela já foi até pra fora do Brasil para tentar tratamento”.

A amiga contou que já há algum tempo não estava próxima a Letícia, já que mudou de cidade, mas que a médica era uma pessoa com coração bom. “Ela era sozinha, morava sozinha. Sempre foi muito triste e depressiva. Quando eu mudei de Cuiabá nos afastamos, mas antes saíamos muito. Ela era uma pessoa maravilhosa, coração bom, ajudava todo mundo. Mas é a vida, ainda tenho esperança de Deus operar um milagre, só ele”.

Dermatopolimiosite

A dermatomiosite, também conhecida como dermatopolimiosite, é uma doença crônica que se caracteriza por acometimento inflamatório da pele e dos músculos. O desenvolvimento da doença está relacionado a um distúrbio imunológico e associado a uma predisposição genética, que resultam em um processo denominado vasculite (inflamação dos vasos sangüíneos), de caráter crônico. Infecções por vírus ou bactérias podem preceder o aparecimento dos sintomas. No entanto, o papel destes agentes no desencadeamento da doença ainda é motivo de pesquisa. Por Cárceres Notícias. 

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Proibição de canudos plásticos e despoluição de mananciais é tema de evento na OAB/AC

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A Comissão de Direito Ambiental e Agrário da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Acre (OAB/AC), realiza no dia 3 de dezembro a palestra “Desafios e Perspectivas da Lei nº 3.541/19”, no auditório da Ordem, às 19h. A atividade será gratuita, com certificado de 3h. As inscrições podem ser realizadas no site da instituição: www.oabac.org.br (aba Cursos e Palestras).
O projeto de lei nº 3.451/19 foi apresentado pelo deputado Jenilson Leite (PSB) à Assembleia Legislativa no dia 5 de junho e sancionado pelo governador Gladson Cameli, em vigor desde o dia 7 de novembro. A lei determina a proibição da distribuição e venda de canudos plásticos em estabelecimentos no Acre, com o objetivo de reduzir danos ao meio ambiente.
Esse será o primeiro evento promovido pela comissão. Segundo a presidente do grupo, Ana Caroliny Cabral, a lei precisa ser entendida pela população que será diretamente beneficiada. “Os canudos de plástico são responsáveis por uma grande parte da mortalidade de animais aquáticos, além de poluírem recursos hídricos e florestais”, disse a advogada.
Os palestrantes serão o autor da lei, deputado Jenilson Leite e o geógrafo e professor na Universidade Federal do Acre (Ufac), Claudemir Mesquita. Na ocasião também será assinado o Termo de Cooperação da Agenda Ambiental na Administração Pública, pela Prefeitura Municipal e Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia).

Continue lendo

CAPA

Sindifisco publica nota sobre os direcionamentos político-partidário relacionado a previdência

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

As associações e sindicatos que subscrevem esta errata informam que buscam garantir o direito dos servidores, repudiando qualquer direcionamento político-partidário na discussão relacionado a previdência. As negociações foram abertas devido a reivindicação das entidades trabalhistas por garantias de seus direitos.

Apenas as associações e sindicatos estão a frente do movimento. Infelizmente existem pessoas que tentam se aproveitar do momento, mas o ato é parte da busca pela negociação entre o Estado e os representantes dos servidores.

O debate deve ser técnico e realizado por pessoas comprometidas com a causa social e os reflexos econômicos que o projeto de lei poderá causar em cada uma das famílias que podem ser prejudicadas com a retirada de direitos, incluindo crianças e viúvas.

Entidades que subscrevem a errata:

1- SINDIFISCO Acre

2′- SINTEGESP

3 – AudTCE

4- Sindetran- Acre

5- SINDMED-AC

6- SINTESAC

7- SINTAG-AC

8- SINPROACRE

9- SINTAE

10 – SISCONTAS

11 – SPATE

12- SINFAC

13 – SINDECAF

14- SINDIFAC

15- SINTEAC

16- SINDOJUS

17-SINSPJAC

18- SEE/AC

19-SINODONTO

Continue lendo

+30 mil seguidores

TOP MAIS LIDAS

Advogados Online