NOSSAS REDES

CIDADES

Operação em cidades no AC prende 13 suspeitos de cadastrar novos integrantes em facção

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Megaoperação ocorre 15 unidades da federação. No Acre, operação se concentrou na região de Tarauacá-Envira.

Foto: Operação em cidades no AC prende 13 suspeitos de cadastrar novos integrantes em facção — Foto: Divulgação/MP-AC.

Através do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), o Ministério Público do Acre (MP-AC) deu início a Operação Blackout em três cidades do estado na manhã desta terça-feira (4).

A ação se deu após três meses de investigação e desarticulou um grupo ligado ao Primeiro Comando da Capital (PCC) responsável pela cooptação e cadastro de novos integrantes da facção.

O Gaeco informou que o grupo cooptava e interiorizava o grupo criminoso, principalmente na região de Tarauacá/Envira, no interior do Acre.

Ao todo foram expedidos dezenove mandados de prisão e dois de busca e apreensão nas cidades de Tarauacá, Sena Madureira e Rio Branco, além do estado de Roraima. Destes, até a manhã desta terça, foram presas 13 pessoas, sendo nove em Tarauacá, quatro em Sena Madureira e um em Boa Vista (RR). Os dois mandados de busca também foram cumpridos.

Segundo o MP-AC, o grupo era responsável por cadastrar novos e antigos membros da facção, além de distribuir, entre os quadros, as informações relativas a mudança de codinomes e de responsabilidades.

A Operação foi coordenada pelo promotor Bernardo Albano, coordenador-adjunto do Gaeco, e contou com o apoio do Gaeco de Roraima do MP de Roraima e da Polícia Civil do Acre.

“Essa célula foi identificada durante a operação anterior, a Xeque-Mate, quando através de documentos apreendidos na operação nós conseguimos fazer a identificação dessa célula que era responsável, resumidamente, pela manutenção de cadastros dos seus integrantes, além de manter registrados os dados referentes a responsabilidades de faccionados dentro dos grupos criminosos e de possíveis dívidas que esses faccionados possuíam”, explica o promotor.

O promotor destacou ainda que em Roraima, foi identificado um chefe de facção com influência nacional. Tácita Muniz e Jefson Dourado, G1 AC.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat