NOSSAS REDES

ACRE

“Papudinha” é fechada e presos são transferidos; veja

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Após criação da Polícia Penal, UP4 é fechada no AC e presos são transferidos.

Transferências começaram há duas semanas e devem ser encerradas nesta quinta-feira (16).

Foto: Após criação da Polícia Penal, presídio é fechado no AC e presos são transferidos — Foto: Reprodução Rede Amazônica.

Com a criação da Polícia Penal, a Unidade Prisional 4 (UP4), conhecida como “Papudinha”, deve ser fechada, em Rio Branco, segundo informou o Instituto de Administração Penitenciária do Acre (IAPEN).

De acordo com o presidente do Iapen, Lucas Gomes, na unidade tinha pelo menos 160 presos. Destes, nove vão ser transferidos para o presídio de Senador Guiomard e os outros para o presídio Francisco D’Oliveira Conde (FOC), na capital Rio Branco. As transferências começaram há duas semanas e devem ser encerradas nesta quinta-feira (16).

Com aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC), a direção e segurança dos presídios passam a ser exclusivamente da Polícia Penal, que antes eram os agentes penitenciários.

Depois de quatro anos, os policiais militares, que foram convocados para reforçar a segurança nos presídios durante uma onda de ataques e conflitos entre facções criminosas no Acre, começaram a deixar os presídios do estado.

Gomes informou ao G1 que os presos levados para o interior são os que possuem nível superior, policiais, e quem está preso por pensão alimentícia.

“Somente esses nove tinham direito à prisão especial. O restante, são presos que foram pra lá circunstância de trabalho. Eles tinham comportamento melhor”, explica.

Gomes acrescenta que em Senador Guiomard há vagas sobrando. E no FOC há dois prédios que estavam desativados e é pra onde os outros estão sendo levados.

“A gente não tinha servidores para poder ativar esses prédios, mas com ida desses servidores lá da UP4, a gente consegue ativar os prédios novos que têm capacidade para quase 450 vagas”, disse.

Ainda conforme Gomes, trata-se de uma medida administrativa racionalizar o uso da força de trabalho que tem hoje.

“Temos o advento de ter sido aprovado a polícia penal e torna-se um trabalho exclusivo dela a segurança dos presídios, e também impede contratação provisória”, informa. Por Alcinete Gadelha, G1 AC.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat