NOSSAS REDES

Brasileia

Polícia Civil prende dupla que assaltou empresário e levaram pick-up para a Bolívia

O Alto Acre, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O crime aconteceu em meados de junho passado, mas, deixou um rastro de terror e preocupação após o incidente. Alair de Amorim Figueira Filho (23), juntamente com Francisco Gustavo de Souza Santos (18), resolveram que deveriam praticar um roubo a mão armada na cidade de Brasiléia, no Bairro Eldorado.

A vítima estava em casa dormido, quando foi acordado por um barulho da porta que foi arrombada pelos dois que estavam armados. O alvo foi o veículo pick-up, modelo Toyota/Hilux, placas PHH 4030, que foi levada por volta das 23h00.

A ação foi rápida após renderem a vítima que ficou deitada no chão. A dupla só queria que dissesse onde estava a chave, para em seguida fugir, onde se acredita que tenham ido para o lado boliviano. Até hoje o veículo não foi encontrado.

Veículo levado pela dupla ainda não foi localizada.

O trabalho de investigação da Polícia Civil de Brasiléia entrou em campo após o registro da queixa crime, que conseguiu identificar e então, ficaram aguardando a decisão da Justiça, para liberar o mandado de prisão da dupla, que irão esperar o resultado final sobre o caso.

A decisão do juizado da Comarca que percebeu dois Artigos do Código Penal praticado pela dupla, preferiu pela aplicação da Lei penal e coibir que ambos pudesse praticar outros crimes. Os dois foram conduzidos para a delegacia de Brasiléia, podendo ser transferidos para a Capital a qualquer momento.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

Brasileia

Ministério Público intima Prefeita Fernanda Hassem à cumprir Decreto Estadual contra Coronavírus

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

MPAC recomendou ao Município de Brasiléia a adoção imediata das medidas contidas no Decreto Estadual n.º 5.496/2020.

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por meio da Promotoria Cível de Brasiléia, expediu recomendação na quarta-feira, 25, para que o Município de Brasiléia adote imediatamente as providências necessárias ao cumprimento do Decreto Estadual n.º 5. 496/2020, que estabeleceu novas medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do COVID-19.

O governo do Estado o Acre determinou, em todo o Estado, a suspensão, pelo prazo de 15 (quinze) dias, de atividades comerciais, feiras, cinemas, clubes de recreação, academias, entre outros, incluindo agrupamento de pessoas em locais públicos.

A promotora de Justiça Luana Diniz Lírio Maciel destaca que a principal medida preventiva no combate ao contágio do vírus é justamente o isolamento social e quarentena de pessoas e que tal medida já está sendo tomada por vários setores da administração pública em todo País.

O Município de Brasiléia tem o prazo de 72 horas para informar quanto ao atendimento ou não da recomendação, podendo ensejar a adoção de medidas administrativas e judiciais em caso de descumprimento. Com informações da Agência de Notícias do MPAC.

Continue lendo

Brasileia

Energisa é condenada a pagar mais de R$ 50 mil por morte de frangos durante queda de luz

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Na sentença é estipulado que tanto a produtora rural que estava realizando a engorda das aves, quanto a cooperativa que comercializa o produto deve ser indenizada.

Concessionária de energia elétrica é condenada a ressarcir prejuízos causados a empresa que comercializa frangos e produtora rural, por queda de luz que ocasionou a morte de 7.157 aves, em agosto de 2014. Dessa forma, o Juízo da Vara Cível da Comarca de Brasiléia sentenciou a ré a pagar R$ 13.394,10 para a agricultora e R$ 43.919,15 para a cooperativa.

Nos autos, a produtora contou que tem contrato comercial e a indústria fornece os pintos e ração para que ela realize a engorda das aves. Mas, quando estava perto do abate dos frangos, houve queda de eletricidade, que interrompeu a ventilação nos locais da criação e os animais morreram. Por isso, procurou a Justiça.

Então, após analisar os laudos e documentos apresentados no processo, o caso foi julgado procedente pelo juiz de Direito Gustavo Sirena, titular da unidade judiciária e a sentença está publicada na edição n°6.551 do Diário da Justiça Eletrônico, da quarta-feira, 11.

O magistrado explicou que o ordenamento jurídico aponta a responsabilidade objetiva de entes públicos e privados sobre os serviços prestados. Isso é chamado de risco administrativo e esses entes são isentos da responsabilidade se provarem que o dano foi provocado por culpa da vítima ou terceiro. Mas, nesse processo houve comprovações demonstrando o dano por falha no serviço da empresa reclamada.

“Frisa-se que a concessionária de energia elétrica é obrigada a fornecer o serviço de caráter essencial, sob pena de responder pelos danos causados aos usuários, na forma do art. 22 do CDC, tendo ela o dever de ressarcir os danos a que deu causa ou deveria evitar”, escreveu o juiz de Direito.

Continue lendo

+30 mil seguidores

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias