NOSSAS REDES

ACRE

Promotora de Justiça participa de abertura da programação de campanha contra a violência à mulher

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Na manhã desta segunda-feira (26), no auditório da Prefeitura de Rio Branco, teve início a edição 2018 da campanha 16 Dias De Ativismo Pelo Fim Da Violência Contra Mulher. A promotora de Justiça Dulce Helena de Freitas, titular da 13ª Promotoria de Justiça Criminal Especializada no Combate à Violência Doméstica e Familiar Contra Mulher, do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), esteve presente no evento.

A campanha 16 dias de ativismo é uma campanha de mobilização e sensibilização entre sociedade e governos feita através de debates, palestras e passeatas, realizada anualmente no período de 25 de novembro até 10 de dezembro, em mais de 160 países.

O objetivo é denunciar e erradicar as várias formas de violência contra as mulheres, além de informar e orientar sobre os Direitos Humanos das Mulheres. No Brasil, a campanha ganhou cinco dias extras: começa no Dia Nacional da Consciência Negra (20/11) e se estende até o Dia Internacional dos Direitos Humanos (10/12).

Em Rio Branco, a programação inclui rodas de conversa, palestras, caminhada, e outras ações de divulgação com distribuição de material informativo. “Reunimos a Rede de Atenção e Proteção à Mulher para dar início a esses 16 dias de ativismo, que significa o enfrentamento à violência contra a mulher. Isso é algo que deve ser extinto na nossa sociedade e todos nós devemos nos mobilizar com relação a isso”, destacou a prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, na abertura do evento.

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), por meio da Comissão de Defesa dos Direitos Fundamentais, apoia a campanha. Em atenção também à recomendação do CNMP, o MPAC participou, no dia 25 de novembro, do Dia Laranja Pelo Fim da Violência contra as Mulheres e Meninas, que alerta para a importância da prevenção e da resposta à violência de gênero.

Violência Psicológica

Nesta edição, o MPAC promoverá, como parte das ações, o Fórum Violência Psicológica Contra a Mulher: Reconhecimento e Visibilidade. O evento será realizado no dia 05 de dezembro, a partir das 13h, no auditório do MPAC.

A promotora de Justiça Dulce Helena destacou a importância do tema. “Participo diariamente de audiências e vejo que as pessoas reconhecem unicamente a violência física. É importante alertar também para a violência psicológica, que normalmente não é reconhecida, mas vai minando o campo das vítimas e é um trabalho muito árduo, muito difícil de se materializar essa violência nas vítimas e muito difícil de ser reconhecida”, explicou.

Ela destacou o esforço da 13ª Promotoria de Justiça Criminal para tipificar o delito de violência psicológica. “Fizemos uma recomendação, a princípio para os órgãos de Segurança Pública, para que se pudesse materializar essa violência, e o Acre foi um dos poucos estados que reconheceu essa materialidade do delito. Já fizemos três denúncias e estamos esperando o julgamento”, salientou.

A promotora de Justiça convidou os participantes da Rede de Proteção e a população em geral a participarem do Fórum. “É muito importante que todos participem, para que assim possam ajudar as vítimas a romperem esse silêncio”, finalizou. MPAC.

ACRE

Erosão faz asfalto ceder e abre buraco com cerca de 2 m em calçadão no Centro de Rio Branco

G1AC, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Um buraco se abriu após o asfalto ceder em um trecho do centro comercial do Calçadão Benjamim Constant, em Rio Branco, nesta quinta-feira (18). Segundo comerciantes, por volta das 8h, uma mulher passava pelo local quando o buraco se formou.

A rachadura, de quase 2 metros, é decorrente de uma erosão no local. O presidente do Sindicato dos Camelos, José Carlos Juruna, informou que tinha conhecimento de que o asfalto estava cedendo.

De acordo com ele, o local, onde passam cerca de 30 mil pessoas por dia, já havia tinha sido reparado.

“Nós tínhamos conhecimento, só que não esperávamos que fosse abrir assim, abriu mais de dois metros. Não sei se passa uma tubulação aqui. A gente já comunicou à Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Seinfra) para vir aqui e eles ficaram de encaminhar uns engenheiros. A gente isolou a área para garantir a segurança”, disse Juruna.

O G1 entrou em contato com o secretário Marcos Venicio, para saber sobre as providências que devem ser tomadas, mas até a publicação desta reportagem não obteve resposta. Nem o Corpo de Bombeiros, nem a Defesa Civil Estadual foram acionados para atender a ocorrência.

A vendedora Meres de Goes trabalha bem em frente de onde ocorreu o desabamento. Comerciante no calçadão há cerca de 20 anos, ela disse que já havia percebido que o local estava cedendo e isso tem preocupado os comerciantes do local.

“Já vem descendo devagar há uns dias. Ontem [quarta,17] o presidente do sindicato foi informado, mas não deu tempo de resolver antes de cair de uma vez. Fico com medo de desabar tudo aqui e a gente ficar enterrado ou engolir a banca e aí acaba com tudo. É um local onde passa muitas pessoas. A moça ia passando bem na hora que arriou de vez, aí ela pulou. Graças a Deus ela não se machucou, foi só o susto”, contou.

Continue lendo

ACRE

Para voltar a ter visitas, presos da Penal entregam 32 armas aos agentes penitenciários

Folha do Acre, via Acrenoticias.com - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Por volta das 15h30 desta quarta-feira, 17, os detentos do Pavilhão H do Complexo Penitenciário de Rio Branco entregaram cerca de 32 armas artesanais à guarnição que realizava a guarda daquele local.

Segundo o diretor da Unidade, Fagner Souza, o ato se deu após o anúncio de que as visitas só voltariam ao normal depois que fosse certificado que não teria mais nenhum tipo de armamento artesanal no presídio.

“Eles escondiam as armas dentro da cela e, tentando impressionar a guarnição, começaram a jogá-las no corredor, como forma de se renderem para que as visitas voltem ao normal”, explicou.

Ainda de acordo com Fagner, mesmo após o ato onde os presos entregavam “voluntariamente” as armas, outras cinco foram encontradas, totalizando 37 “estoques”.

“Até não encontrarmos mais riscos aos visitantes e servidores, eles continuarão sem visitações por tempo indeterminado”, finalizou.

Continue lendo

Super Promoções

ACRE.COM.BR ©2017-2019 - Todos os direitos reservados. Diretora Geral: Fernanda da Silva Alfaia

WhatsApp OLÁ INTERNAUTA! : )