NOSSAS REDES

ACRE

Rio Branco tem atividades e ações de prevenção e combate à hanseníase

PUBLICADO

em

A Saúde de Rio Branco e o Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan) estão com algumas atividades e ações de combate e prevenção à doença durante o mês de junho.

Nessa segunda-feira (6), foi dado início à Semana Municipal de Combate à Hanseníase, com atendimentos para esses pacientes na Urap Bacurau, que fica na Vila Albert Sampaio, na capital acreana.

São oferecidas consultas médicas, testes rápidos, análise da lâmina para leishmaniose e malária, entrega de medicamentos e outros serviços.

Nesta quarta-feira (8), equipes do Morhan vão estar na Urap Bacurau atendendo pacientes com Hanseníase e pessoas em busca de diagnóstico.

“Vamos estender a ação até o final do mês com visitas domiciliares, palestras, rodas de conversa e outros movimentos. Vamos fazer nessa unidade específica e depois mais visitas domiciliares”, destacou o coordenador do Morhan, Elson Dias.

Dias explicou que no Acre há mais de 5 mil pacientes com hanseníase. Entre 2020 e até o mês de maio, o estado acreano registrou 234 novos casos da doença. Destes, segundo o coordenador, 91 foram detectados na capital acreana.

“Esta semana, que é uma reivindicação do Morhan também, é para o Poder Público estar mobilizando com ações de prevenção à Hanseníase. Chamamos eles para fazer essa ação para levar a conscientização para a população porque durante a pandemia, não apenas só no Acre, no Brasil e no mundo em geral, 50% das pessoas que têm hanseníase não foram assistidas por conta do coronavírus”, lamentou.

Ele destacou ainda que os novos casos foram detectados após as pessoas buscarem o centro de referência e fizeram o atendimento. Dentro desses 91 registrados na capital, cinco são em menores de 15 anos.

“Nossa preocupação quando há crianças menores de 15 anos, sendo diagnosticadas é sinal de que há fonte próxima transmitindo. Então, por isso queremos intensificar as ações com a Secretaria de Saúde porque são eles que têm como fazer o diagnóstico, a medicação é dispensada por eles”, frisou.

Com informações de G1Acre

Junte-se a 42.981 outros assinantes

MAIS LIDAS