NOSSAS REDES

ACRE

Tragédia com o barco em Cruzeiro do Sul poderia ter tido proporções bem maiores, diz delegado 

PUBLICADO

em

Um coordenador da Agência Nacional do petróleo (ANP), Leônidas Vilhena, está em Cruzeiro do Sul desde a última quarta-feira (12) para investigar o abastecimento de embarcações e transporte de combustíveis pelo rio Juruá. No último final de semana, um barco em que seriam transportados gasolina, junto com passageiros, explodiu e deixou 18 pessoas feridas, das quais duas morreram e as demais seguem internadas em estado grave e as informações da ANP dão conta de que a tragédia poderia ter sido muito maior.

É que a embarcação que explodiu deveria transportar pelo menos cinco mil litros de gasolina junto com passageiros de Cruzeiro do Sul até os municípios de Marechal Thaumaturgo e Porto Walter. A explosão ocorreu quando os primeiros lotes do combustível foram embarcados.

“Se a carga estivesse completa a tragédia teria sido muito maior”, admitiu o delegado de Polícia Civil Lindomar Ventura, que apura o caso. Ele tem 30 dias para concluir o inquérito com o laudo com as causas do acidente. Apesar disso, de acordo com o delegado, as primeiras investigações apontam que o incêndio seguido de explosão foi causado por uma centelha que partiu do motor de partida da embarcação. A ANP já apurou que o transporte de combustível na região por esses municípios apontados como isolados é feita de forma precária entre pessoas e embarcações inadequada. Pelo menos seis pessoas já foram ouvidas pela polícia sobre a explosão

Área do Leitor

Receba as publicações diárias por e-mail

REDES SOCIAIS

MAIS LIDAS

WhatsApp chat