NOSSAS REDES

ACRE

Acusado de atropelar e matar dois amigos em rodovia no AC é condenado a mais de 3 anos em regime aberto

PUBLICADO

em

O motorista Diego Felipe Moraes, de 30 anos, que conduzia a caminhonete que atropelou e matou os amigos Gilson Teixeira Rodrigues e Israel Ériston Filgueira, em maio de 2018, foi condenado a três anos e seis meses em regime aberto. A decisão é da juíza Louise Kristina Santana da 2ª Vara Criminal da Comarca de Rio Branco.

Conforme a decisão, Moraes deve ainda pagar uma indenização de R$ 8 mil aos filhos das vítimas e teve a carteira de habilitação suspensa por oito meses. No último dia 26 de agosto, ele passou por uma audiência de instrução e julgamento e a sentença foi publicada no dia 29 de setembro.

Moraes mora em Santa Catarina, onde cumpriu as medidas cautelares, como suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e comparecimento mensal em juízo até maio deste ano quando a Justiça suspendeu as medidas. O g1 não conseguiu contato com a defesa de Moraes.

O motorista conduzia a caminhonete que atropelou e matou os amigos. À polícia, na época do crime, ele disse que não conhecia o trecho da estrada porque morava fora do estado. Moraes ainda informou que tinha ingerido bebida alcoólica no dia anterior e no dia do acidente ele se negou a fazer o teste do bafômetro, segundo o processo.

Depois do acidente, Moraes foi autorizado a se mudar para Joinville, em Santa Catarina, onde cumpriu as medidas cautelares.

Dois morrem ao bater motocicleta de frente com caminhonete em rodovia do Acre — Foto: Divulgação/PRF-AC

Dois morrem ao bater motocicleta de frente com caminhonete em rodovia do Acre — Foto: Divulgação/PRF-AC

O acidente

No dia do acidente, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que a caminhonete estava na contramão e acabou atingindo a moto dos jovens frontalmente.

Moraes chegou a fugir a pé do local, mas foi achado e levado para a Delegacia de Flagrantes, onde foi indiciado por homicídio culposo. Ele se negou a fazer o teste de bafômetro e foi solto na audiência de custódia no dia seguinte.

Familiares, amigos e conhecidos fizeram um ato no dia do aniversário das vítimas, para pedir Justiça e paz no trânsito. Com balões, blusas e faixas as famílias caminharam pelas ruas de Rio Branco e choraram pela falta dos jovens.

Com informações de G1Acre

Área do Leitor

Receba as publicações diárias por e-mail

REDES SOCIAIS

MAIS LIDAS