NOSSAS REDES

ACRE

Após 10 dias, polícia ainda continua buscas por corpo de homem decapitado em vídeo no AC

PUBLICADO

em

Após dez dias do desaparecimento de Raimundo Lacerda do Nascimento, que aparece sendo decapitado em um vídeo nas redes sociais, em Rio Branco, a Polícia Civil continua com as investigações, mas ainda não conseguiu achar o corpo da vítima.

De acordo com a polícia, Nascimento foi visto pela última vez na quarta-feira (15), quando conversava por meio de áudio com Adriana Silveira, suspeita de atrair ele ao local onde foi executado. A família fez o boletim de ocorrência na sexta-feira (17).

De acordo com o delegado Cristiano Bastos, que comanda as investigações sobre o caso, as buscas feitas pelo Corpo de Bombeiros foram suspensas na última sexta-feira (24), mas a polícia tenta localizar por meio das investigações.

“Nós tentamos, por meio das investigações, colher informações das pessoas que moram ali nas proximidades”, disse o delegado.

Segundo Bastos, dois adolescentes foram apreendidos e três pessoas presas, suspeitas de participar do crime e gravar vídeo de uma decapitação, divulgado nas redes sociais.

Após a apreensão do menor, a polícia também localizou o celular e o capacete de Raimundo Lacerda do Nascimento.

“Continuamos com a prisão das três pessoas e internação de menor e a localização dos objetos. Os bombeiros fizeram buscas até sexta-feira (24). Hoje, [segunda-feira 25] não teve buscas e estamos aguardando o relatório do Corpo de Bombeiros”, disse o delegado.

Além disso, o delegado informou que a equipe de investigação continua com as diligências e continua ouvindo as pessoas para tentar localizar a vítima.

“As diligências continuam, agora, para tentar localizar o corpo. São dez dias apenas, e ainda temos um prazo para encerrar e tudo que for relevante, nós vamos correr atrás”, explicou o delegado.

Ainda conforme a polícia, Lacerda foi mantido em cárcere privado e em seguida torturado psicológica e fisicamente até confessar ser de uma facção criminosa rival a dos autores do crime.

Área do Leitor

Receba as publicações diárias por e-mail

REDES SOCIAIS

MAIS LIDAS

WhatsApp chat