NOSSAS REDES

DENÚNCIA

Após intervenção de Roberto Duarte, Energisa se compromete em concluir rede elétrica da Escola João Ribeiro de Tarauacá

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Veja o vídeo:

 

Empresa confirmou aos deputados Roberto Duarte e Luiz Gonzaga que diligenciará nesta quarta-feira (15) a instalação da rede elétrica necessária à climatização da escola estadual João Ribeiro.

Nesta terça-feira, 14, os deputados estaduais Roberto Duarte e Luiz Gonzaga visitaram a empresa Energisa, onde participaram de uma reunião para tratar de problemas na rede elétrica das escolas públicas de Tarauacá, município do interior do Acre.

O problema na rede elétrica das escolas inviabiliza a climatização das salas de aula, que já contam com ares-condicionados novos e devidamente instalados desde janeiro de 2019.

O Portal Acre.com.br apurou que, desde janeiro deste ano, o Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Educação instalou ares-condicionados na escola pública João Ribeiro. Ocorre, entretanto, que até a presente data, a climatização das salas de aula está pendente em decorrência da falta de um transformador de energia a ser instalado na rede elétrica da Avenida Antônio Frota, centro do município.

Hoje estive na Energisa, e a partir desta quarta-feira (15), a empresa fará a ligação da rede elétrica na escola João Ribeiro, necessária à climatização da escola“, afirmou Duarte.

O compromisso firmado pela Energiza é uma ótima notícia. Mais uma conquista nossa em prol da população de Tarauacá. Nesse caso, é uma conquista para os servidores, professores e alunos”, destacou Duarte.

Roberto Duarte afirmou também que lutará pelas demais escolas públicas de Tarauacá. “Agora, vamos atrás de ligar a energia nas outras escolas“, frisou Roberto.

REIVINDICAÇÃO DOS VEREADORES

No dia 08, quarta-feira, Roberto Duarte visitou a escola, e na ocasião contatou por telefone o gabinete do Secretário Estadual de Educação, para informar do problema e reivindicar a solução.

 

Os vereadores Valdor do Ó, Carlos Tadeu e Janaina Furtado também visitaram a escola João Ribeiro, reivindicando a solução do problema.

REIVINDICAÇÃO DOS ALUNOS

No dia posterior a visita, na quinta-feira, 09, os estudantes promoveram um protesto público na frente da sede local da Energisa, reivindicando a instalação elétrica necessária ao funcionamento dos ares-condicionados.

CIDADES

Polícia ainda não conseguiu prender filho de deputado que está foragido em Rondônia

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O empresário Cristian Silva, filho do deputado Manoel Moraes (PSB) ainda não foi encontrado pela  Polícia Civil. A justiça decretou a sua prisão e de mais seis pessoas na Operação Mitocôndria.

De acordo com Manoel Moraes, Cristian está participando de uma pescaria previamente agendada. “Eu cheguei no apartamento e soube que ele tinha ido a uma pescaria já programado a muito tempo. Estou mandando nosso pessoal ir atrás dele pra se apresentar”, disse.

A prisão de Cristian chegou a ser divulgada por ac24horas, mas a polícia informou que ele ainda não foi preso e que está a procura do empresário.

De acordo com os investigadores, Cristian é considerado foragido e estaria no Estado de Rondônia.

De acordo com os advogados de Cristian, ele deverá se apresentar as autoridades no período da tarde. O apartamento aonde reside foi alvo de busca e apreensão.

Como o ac24horas adiantou em duas reportagens publicadas nesta semana, um esquema pode ter movimentado mais de R$ 20 milhões no desvio de recursos públicos destinado a merenda escolar no Acre.

A justiça atendeu a representação da Polícia Civil e bloqueou, preliminarmente, R$ 5 milhões das contas dos investigados, além de tornar, temporariamente, indisponíveis bens móveis, imóveis e semoventes dos envolvidos.

A operação policial já conta com 2 meses de investigação com foco em desvio de recursos públicos relacionados a merenda escolar sendo apuradas diversas práticas como: entrega de produtos e itens com qualidade inferior ao contratado ou em quantidade menor, além falsificado de documento público, falsidade ideológica e associação criminosa entre outros crimes e irregularidades previstas na Lei de Licitações e Contratos Públicos.

Esquema da merenda contabilizou “consumo” de 60 toneladas de açúcar em 10 dias.

Durante a coletiva de imprensa, a Polícia Civil detalhou um pouco de como funcionava o esquema de desvio de recursos públicos destinados à merenda escola.

A frase “tirar comida da boca de criança”, nunca fez tanto sentido.

A organização criminosa que virou o conluio entre empresários e servidores públicos fazia com que estudantes consumissem produtos de qualidade abaixo do que era pago.

A matemática é simples. O empresário recebia por determinado produto especificado na licitação como diz as especificações do processo licitatório. Na hora da entrega, o empresário entregava um material bem abaixo na qualidade e, consequentemente, de valor bem menor. Com isso, enquanto os estudantes consumiam produtos de qualidade duvidosa, o empresário ganhava mais dinheiro, pagava o servidor que fazia vista grossa ao esquema.

Isso quando o produto era entregue, já que as investigações apontam que muitos produtos, mesmo não sendo entregues foram pagos normalmente.

Uma outra faceta do golpe era a entrega parcial dos produtos. O empresário entregava uma quantidade, mas nos documentos era lançado uma quantidade superfaturada e fraudulenta.

Era comum no esquema aparecer nas notas grandes quantias de produtos que deveriam durar diversos meses e como a quantidade real entregue era bem menor, os produtos acabavam rapidamente.

Outro esquema revelado era com a distribuição de carne. No contrato que se previa entrega de carne de primeira, os alunos se alimentavam de carne de segunda, com qualidade bem inferior.

O delegado Alcino Júnior confirmou algumas das descobertas da investigação. “Ainda é prematuro falar em número porque ainda estamos em investigação. Mas, podemos dizer, por exemplo, claramente que entregas foram feitas e por essas entregas os alunos teriam que ter consumido mais 60 mil quilos de açúcar em 10 dias”, diz.

Essas empresas, além de investigadas, vão passar por um procedimento administrativo e devem ficar proibidas de firmar contrato com o poder público.

 

Continue lendo

ACRE

Principal alvo da operação, filho do deputado Manoel Moraes é preso pela polícia

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O empresário Cristian Silva Salves, filho do deputado estadual Manoel Moraes (PSB), foi um dos 7 presos durante a operação Mitocôndria, desencadeada pela Polícia Civil, através da Delegacia de Combate à corrupção – DECOR e Departamento de Inteligência – DI, na manhã desta quinta-feira, 9.

As autoridades cumprem ainda 20 mandados de busca e apreensão as sedes de 4 empresas em Rio Branco, Tarauacá e Xapuri, além dos armazéns de merenda escolar da SEE, em Rio Branco, Tarauacá, Sena Madureira e Cruzeiro do Sul.

Outro preso seria o cunhado do deputado, conhecido por Manoel Tarauacá, que teria sido detido em Rio Branco. Todas as empresas ligadas a família do parlamentar foram visitadas pela polícia. Em um dos armazéns os agentes da PC encontraram armas.

Como o ac24horas adiantou em duas reportagens publicadas nesta semana, um esquema pode ter movimentado mais de R$ 20 milhões no desvio de recursos públicos destinado a merenda escolar no Acre.

A justiça atendeu a representação da Polícia Civil e bloqueou, preliminarmente, R$ 5 milhões das contas dos investigados, além de tornar, temporariamente, indisponíveis bens móveis, imóveis e semoventes dos envolvidos.

A operação policial já conta com 2 meses de investigação com foco em desvio de recursos públicos relacionados a merenda escolar sendo apuradas diversas práticas como: entrega de produtos e itens com qualidade inferior ao contratado ou em quantidade menor, além falsificado de documento público, falsidade ideológica e associação criminosa entre outros crimes e irregularidades previstas na Lei de Licitações e Contratos Públicos.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

Grupos de notícias