NOSSAS REDES

CRIME

Após quase 4 anos, suspeito de matar candidato a vereador no Acre é pronunciado a júri popular

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Jocir de Freitas é um dos suspeitos de matar Elivaldo Santana dos Santos em julho de 2016, na zona rural de Porto Acre, interior do estado.

Após quase 4 anos, suspeito de matar candidato a vereador no interior do AC é pronunciado a júri popular — Foto: Quésia Melo/Rede Amazônica Acre.

Após quase quatro anos, o camelô Jocir Bezerra de Freitas foi pronunciado a júri popular pela morte do candidato do PSDB a vereador Elivaldo Santana dos Santos, morto a tiros em agosto de 2016 na zona rural de Porto Acre, interior do estado.

A decisão de pronunciar o suspeito a júri popular é da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Rio Branco e ainda cabe recurso. A Justiça decidiu não pronunciar Valdir Valério do Nascimento, apontado na época como o mandante do crime.

O candidato foi morto enquanto saía de casa, no Ramal do Açaí, na Vila do V, zona rural de Porto Acre. Na época, a polícia informou que dois homens em uma moto abordaram o candidato e, após confirmarem o nome, dispararam contra ele. Elivaldo dos Santos chegou a ser socorrido por populares e levado para Rio Branco, mas não resistiu e morreu antes de chegar ao hospital.

As investigações apontaram que Santos foi assassinado em um acerto de contas.

“O júri ia ser em Porto Acre, mas os jurados se sentiram intimidados e foi para Rio Branco e caiu na Vara do Júri”, explicou a juíza Luana Campos, responsável pela 1ª Vara do Tribunal do Júri.

A juíza acrescentou que algumas testemunhas não reconheceram os suspeitos como autores do crime.

“Todas as testemunhas não reconhecerem, o que foi a júri a prova ainda é frágil, mas nesse caso quem vai decidir é o próprio jurado. Não tem como pronunciar o suposto mandante”, reforçou.

A magistrada destacou que vai aguardar os prazos de recursos do Ministério Público do Acre (MP-AC) e da defesa para a decisão da pronúncia transitar em julgado.

“Aí a gente já marca o júri dele. Cabe recurso de ambas as partes”, concluiu.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat