NOSSAS REDES

ACRE

Carro de funerária do AC é parado por familiares de vítima de Covid-19 e corpo resgatado para sepultamento no AM

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Vítima morreu em Cruzeiro do Sul, mas era moradora da cidade de Guajará, no Amazonas.

CAPA: Carro de funerária foi abordado por parentes de homem que morreu com Covid-19 em Cruzeiro do Sul — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre.

Um carro de uma funerária de Cruzeiro do Sul, interior do Acre, foi parado por familiares de um homem que morreu no Hospital de Campanha com Covid-19. Eles resgataram o corpo para fazer o sepultamento na cidade vizinha de Guajará, no Amazonas. A vítima era moradora da cidade amazonense.

A situação ocorreu na noite de segunda-feira (20), quando o funcionário da Funerária Caminho de Luz levava o corpo do Hospital de Campanha para o sepultamento na cidade acreana. As medidas de segurança determinam que em casos de mortes por Covid-19, as vítimas devem ser sepultadas em um cemitério do município onde ocorreu o óbito.

Inconformados com a situação, os familiares do homem abordaram o veículo a caminho do sepultamento, impediram a saída do motorista e levaram o corpo. Em entrevista à Rede Amazônica Acre, o funcionário da funerária, Platini Ferreira, explicou que os homens mandaram ele encostar o carro e retiraram o caixão.

“No meio da caminhada, eles me interceptaram com um saveiro branco, que fechou minha frente e mandou eu encostar na descida da ladeira. Chegaram dois caras, um ficou de um lado da porta e outro da outra, e não permitiram eu sair do carro e falaram que iam levar o corpo do pai deles. Não agiram com violência, mas pegaram o corpo, colocaram em uma viatura particular e levaram para Guajará”, relembrou.

Funcionário da funerária registrou um boletim de ocorrência após corpo ser levado sem permissão  — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Funcionário da funerária registrou um boletim de ocorrência após corpo ser levado sem permissão — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre.

Apesar de não ter agressões, o funcionário da funerária contou que o susto foi grande. Após a situação, Ferreira ligou para o Centro Integrado de Operação em Segurança (Ciosp) e avisou à polícia.

“Espero que isso não venha mais acontecer porque queira ou não é constrangedor para nós também. Temos família e sabemos da dor de perder um ente querido e não é dessa forma que podemos lidar com essa situação. Sabemos que isso não é culpa da minha funerária e nem de nenhuma outra, mas de um procedimento”, lamentou.

Ainda segundo ele, representantes do Ministério Público Estadual (MP-AC) foram à funerária, nesta terça-feira (21), para ouvir o gerente que pretende registrar um boletim de ocorrência.

“O secretário de Saúde, Braz de Melo, lá de Guajará, como o pessoal do MP, já esteve aqui pegando alguns dados. Vou na delegacia registrar um boletim”, concluiu.

O Hospital de Campanha de Cruzeiro do Sul recebe pacientes com sintomas graves de outros nove municípios, entre eles Guajará e Ipixuna, do estado do Amazonas. Entre segunda-feira (20) e terça (21), foram registradas na UTI Covid do hospital três mortes, sendo que dois eram de Guajará.

Colaborou o repórter Glédisson Albano, da Rede Amazônica Acre.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat