NOSSAS REDES

BRASIL

Com piora da economia , economistas já reduzem previsão para o PIB de 2020

G1, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A piora das projeções para a economia não está limitada a este ano. Com a fraqueza mostrada pelos indicadores de atividade, bancos e consultorias já começam a reduzir as previsões para o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) de 2020. Por ora, a maior parte das estimativas apontam para um crescimento próximo de 2%, embora já existam inferiores a esse patamar.

A expectativa de uma economia fraca no ano que vem fica evidente toda semana com a divulgação do relatório Focus, do Banco Central, que colhe a previsão de diversos analistas para vários indicadores da economia. A última projeção para o PIB de 2020 está em 2,2%. No melhor momento, no início de março, as previsões estavam em 2,8%.

Há uma série de fatores que explicam a piora nas projeções para o ano que vem:

O baixo crescimento deste ano deixa uma herança estatística fraca para 2020;Com a escalada da guerra comercial, a economia mundial deve ter um desempenho modesto, afetando o Brasil;A crise derrubou o PIB potencial brasileiro, ou seja, a capacidade que a economia tem de crescer sem gerar desequilíbrios como o aumento da inflação;Sem recursos em caixa, o governo não tem margem de manobra para estimular a economia.

PIB para baixo

Previsões para a atividade econômica em 2020 estão piorando; dados em %

Nas contas da consultoria Tendências, com o baixo crescimento previsto para este ano – de apenas 0,9% – a herança estatística para 2020 será de 0,6%, o que quer dizer que, se a economia brasileira ficar estável em todos os trimestres do próximo ano, há um avanço contratado do Produto Interno Bruto (PIB) de apenas 0,6%.

“O desempenho da atividade deixa a desejar”, afirma a economista e sócia da consultoria Tendências, Alessandra Ribeiro. “Nesse ritmo, a economia só vai retomar o patamar de 2014 (antes do início da recessão) em 2021”, diz. Para a Tendências, o Brasil deve crescer 2% no ano que vem. A consultoria chegou a estimar alta de 2,6%.

Ao longo de 2019, a economia brasileira tem decepcionado. Entre janeiro e março, o PIB encolheu 0,2%, e os primeiros indicadores do segundo trimestre seguem mostrando uma fraqueza da atividade – o crescimento esperado por bancos e consultorias para o período de maio a junho está entre 0,3% e 0,4%.

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat