NOSSAS REDES

ACRE

Declarações antiambientalistas de Gladson e Bolsonaro aceleram desmatamento, diz estudo

Folha de São Paulo, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Presidente Jair Bolsonaro, ministros e o governador do Acre criticaram órgãos de fiscalização.

Foto de capa: Fogo destrói área da floresta amazônica.

Um estudo do ISA (Instituto Socioambiental) vincula declarações antiambientalistas do governo Bolsonaro e do governador do Acre, Gladson Cameli (PP), a aumentos na taxa de desmatamento nas áreas mencionadas por eles. 

O levantamento, baseado nos dados dos sistemas Prodes e Deter-B, ambos do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), também aponta novas fronteiras do desmatamento ao longo de rodovias no Pará, no Amazonas e no Acre. 

Ônibus trafega pela Rodovia Transamazônica

Ônibus trafega pela Rodovia Transamazônica

Toras de madeira extraída ilegalmente empilhadas

Toras de madeira extraída ilegalmente empilhadas

Entre as declarações analisadas está a do presidente Jair Bolsonaro criticando uma operação do Ibama contra o roubo de madeira na Flona (Floresta Nacional) do Jamari, em Cujubim (RO), em 12 de abril.  

Em vídeo gravado via celular, ele condenou a queima de equipamento dos infratores —prática que tem respaldo legal— e prometeu abrir um processo administrativo contra os fiscais responsáveis.

Segundo o Deter-B, houve 2.354 alertas de desmatamento no município de Cujubim entre abril e maio deste ano, praticamente o dobro do mesmo período de 2018, quando houve 1.186 alertas.

No mês passado, uma equipe de fiscalização do ICMBio foi cercada e hostilizada dentro da Flona Jamari, como mostra vídeo gravado pelos próprios madeireiros. Ninguém saiu ferido.

Agentes do Ibama chegam a área destruída da floresta amazônica

Agentes do Ibama chegam a área destruída da floresta amazônica.

 

 

 

 

 

 

Gado em meio a queimada em Apuí

Gado em meio a queimada em Apuí

Floresta queimada em Apuí

Floresta queimada em Apuí

Outro caso analisado foi um discurso de Cameli na cidade de Sena Madureira (AC), em 31 de maio. Em evento com produtores rurais, o governador os orientou a não pagar multa emitida pelo Imac (Instituto do Meio Ambiente do Acre) “porque quem está mandando agora sou eu”. 

Nessa cidade, houve 2.574 alertas nos meses de junho e julho, 225% a mais do que os mesmos meses de 2018. Os números também são do Deter-B, menos preciso do que o Prodes e usado principalmente para orientar a fiscalização dos órgãos ambientais e apontar tendências de desmatamento

Os outros casos que sugerem causalidade entre declarações e picos de desmatamento são Espigão d’Oeste (RO), após visita do ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente), e Novo Progresso (PA), onde o governo federal anunciou que faria operações de fiscalização, o que não é a praxe para ações desse tipo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

NOVOS MUNICÍPIOS

O estudo também aponta o aumento da devastação em áreas acima do chamado Arco do Desmatamento, uma imensa faixa de supressão da floresta entre o oeste do Maranhão e o Acre. 

Neste ano, são 22 municípios com altas taxas de desmatamento que não aparecem na lista dos 256 municípios que conformam o Arco do Desmatamento. Essas novas frentes estão distribuídas entre Acre, Amazonas, Pará e Roraima.

O que não mudou é a influência das rodovias no avanço contra a floresta. No Acre, os municípios de Sena Madureira, Tarauacá e Feijó, ambos cortados pela BR-364, se tornaram focos grandes de desmatamento. 

No Pará, são seis municípios fora do Arco, entre os quais Rurópolis e Anapu (PA), este último palco de violento conflito agrário, às margens da Transamazônica (BR-230). Nessa região, também contribuem para o desmatamento a usina Belo Monte e a perspectiva de construção da Ferrogrão, para levar soja de Mato Grosso aos portos fluviais paraenses.

“O Arco do Desmatamento veio do sul do Mato Grosso, foi avançando, ilhando áreas protegidas, como o Parque do Xingu, e hoje já se encontrou com a Transamazônica”, afirma o agrônomo Antonio Oviedo, um dos autores do estudo do ISA.

Outro foco de interiorização do desmate é Roraima, com quatro municípios com forte desmatamento: Cantá, Caracaraí, Iracema e Mucajaí, todos sob a influência da BR-174, rodovia que liga o estado a Manaus. No sul do Amazonas, a promessa de pavimentação da BR-319 tem incentivado o desmate em Humaitá e Canutama.  

“Há uma expansão grande a oeste, pro lado do Acre, e principalmente a partir das BRs 319 e 163, que seriam a flecha desse Arco, entrando para o interior de floresta”, afirma Oviedo.

Com informações de Fabiano Maisonnave

ACRE

Vídeo mostra helicóptero do Governo que causa grave acidente em via pública

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O helicóptero Hárpia 1, do Governo do Estado do Acre, popular “Estrelão”, colidiu com uma caminhão em via pública, próximo ao Posto Correntão, no segundo Distrito de Rio Branco, capital, na manhã deste sábado, 18. Segundo testemunhas, as informações indicam que a aeronave tentava decolar quando o motorista do veículo manobrava.

Segundo relatos, a hélice da aeronave e o motor foram danificados, e uma pessoa ficou ferida na perna. A parte traseira do caminhão foi totalmente danificada. 

Tripulantes de helicóptero ficaram feridos após acidente em Rio Branco; aeronave tem seguro.

Duas pessoas ficaram feridas após o acidente entre o helicóptero Harpia 1, do governo do Acre, e um caminhão tipo “baú”, que aconteceu na manhã deste sábado, 18, na frente do Auto Posto Correntão, na BR-364, em Rio Branco.

O coordenador do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Nayck Souza, informou que a aeronave estava auxiliando nas ações de Segurança Pública fazendo patrulhamento aéreo e pousou na rotatória, mas durante a decolagem, o caminhão passou próximo da hélice e ocorreu o acidente.

“Existe uma barreira policial no local, onde havia sido feito um ponto base. Foi feito o pouso nesse local e, após o acionamento para outro patrulhamento, veio um caminhão baú e acertou uma das partes do helicóptero. Dois tripulantes da aeronave tiveram ferimentos leves e foram levados ao pronto-socorro”, disse Souza.

A Polícia Militar e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) isolaram a área até a chegada de peritos das polícias Civil e Federal, que realizaram os procedimentos de análise do veículo e do helicóptero.

O caminhão envolvido no ocorrido transportava resíduos hospitalares e teve o baú destruído. A hélice e o motor do helicóptero também ficaram danificados. O valor total dos prejuízos ainda não foi divulgado.

Ainda segundo o coordenador do Ciopaer, o helicóptero tem seguro e já foi realizado contato para a manutenção das partes que foram danificadas. O acidente deve ser apurado pelo Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA). Informações de Ithamar Souza.

Vídeo: Com o seguro atrasado, helicóptero do governo pousa no meio da rua, e sem sinalização, caminhão colide contra a aeronave.

O tenente Roger, chefe de manutenção do helicóptero, disse que ainda não tem como detalhar o ocorrido e nem falar em prejuízos.

Um acidente nada comum aconteceu na BR-364, precisamente em frente a rotatória do Correntão, na chegada de Rio Branco, mas não trata-se de transportes pequenos, trata-se do helicóptero João Donato de propriedade do Governo do Estado do Acre que atingiu um caminhão ao tentar decolar na manhã deste sábado (18).

A via estava sem sinalização e ao tentar decolar a aeronave atingiu um caminhão que teve parte do baú arrancado. Já o helicóptero ficou com as hélices quebradas e uma parte da lateral arrancada.

Apesar do susto e do prejuízo ninguém ficou ferido, mas vale destacar que não se sabe até o momento o motivo que teria levado o helicóptero a pousar naquele local e muito menos sem sinalizar o perímetro, tendo em vista que o local é onde se concentra um grande tráfego de caminhões e veículos de grande porte. 

A informação que se tem é de que a aeronave em questão não tinha motivo para está no local, o que se sabe é que não está havendo nenhuma operação policial naquela região.

Para piorar mais ainda a situação, um militar que não quis se identificar, informou que o governador Gladson Cameli não tem mantido em dias o seguro da aeronave que está atrasado por falta de pagamento. Por Alemão Monteiro. 

 

Veja o vídeo:

Continue lendo

ACRE

Homem é achado morto em igarapé no interior do Acre

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

No AC, bombeiros registraram 33 mortes por afogamento em 2019 — Foto: Gledisson Albano/Rede Amazônica Acre

Continue lendo

+30 mil seguidores

TOP MAIS LIDAS

Advogados Online