NOSSAS REDES

ACRE

Ex-servidores da Santa Casa acusam José Alex de destruir prédio penhorado pela justiça

PUBLICADO

em

Um boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Polícia Civil de Cruzeiro do Sul no último dia 03 de março acusa o ex-deputado federal e atual presidente da Santa Casa de Misericórdia José Aleksandro da Silva de contratar pessoas para retirar maquinas de lavanderia e outros objetos que estavam dentro de um prédio. Para retirar os produtos, os trabalhadores, que segundo o denunciante, o servidor público Jason de Oliveira Gomes, e como comprovam fotografias enviadas à nossa redação, quebraram uma parede e usaram um guincho para levar três máquinas de lavanderia e camas.

O problema é que o prédio, encontra-se penhorado pela Justiça Federal do Trabalho para o pagamento de dívidas trabalhistas com mais de 40 ex-servidores da Santa Casa de Misericórdia de Cruzeiro do Sul.

Entenda a história

Em 2015, a Santa Casa de Misericórdia fechou as portas em Cruzeiro do Sul e todos os servidores foram dispensados. A antiga gestão passou a direção para José Aleksandro. Os ex-funcionários saíram de mãos abanando e não receberam nenhum direito trabalhista. Procuraram a justiça que resolveu penhorar, para garantia de pagamento, o prédio e o terreno de aproximadamente 11,2 mil metros quadrados, avaliado em mais de 5 milhões de reais.

No último dia 2 de março, os ex-servidores foram surpreendidos por trabalhadores que destruíram uma parede lateral do prédio para retirar os equipamentos. Confrontados, o responsável pelo serviço Ângelo Andres da Rocha Corrêa, afirmou ter sido contratado por José Alex. No primeiro boletim, inclusive, além da acusação de dano ao patrimônio público, havia a acusação de furto. Orientado pelos advogados, Jason de Oliveira, procurou a delegacia para retificar o boletim. “Nossos advogados explicaram que apenas o prédio está penhorado pela justiça. Então, eles não poderiam vir aqui e quebrar esse patrimônio que vai ser usado para pagar os direitos trabalhistas de 46 ex-servidores que foram mandados embora sem receber nenhum direito trabalhista”, afirma Jason.

O prédio está em adjudicação, que é o ato judicial mediante o qual se declara e se estabelece que a propriedade de uma coisa se transfere de seu primitivo dono para o credor, que então assume sobre ela todos os direitos de domínio e posse inerentes a toda e qualquer alienação.

Procurado pela nossa reportagem, José Aleksandro da Silva explicou o ocorrido. Disse que mandou retirar os equipamentos, já que o prédio sofreu furtos e que até portas e janelas já foram levadas do local. “A explicação é muito simples. O que está penhorado é apenas o prédio. Os equipamentos são caros e corriam o risco de serem roubados. Por uma questão de tamanho dos equipamentos, fomos obrigados a quebrar a parede, mas hoje mesmo já estamos mandando consertar”.

José Alex apresentou dois boletins de ocorrência que comprovam que o prédio da Santa Casa já tinha sido furtado, o que justificaria a retirada dos equipamentos.

Comentários

Comente aqui

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

REDES SOCIAIS

MAIS LIDAS

WhatsApp chat