NOSSAS REDES

ACRE

Governo manda apagar frase na caixa d’água na 6 de Agosto

PUBLICADO

em

O governo do estado mandou apagar a afirmação escrita na caixa d’água da 6 de agosto de que o local teria sido palco de batalha durante a Revolução Acreana.

O assunto se transformou em uma polêmica após o historiador Marcos Vinicius Neves, conhecido como um dos principais estudiosos da história do Acre, confrontar a afirmação ao dizer que a 6 de agosto nunca foi palco de batalha durante a Revolução Acreana. O texto, “Bairro 6 de Agosto, palco de batalha da Revolução Acreana. O Bairro 6 de Agosto nos orgulha com sua história”, escrito na caixa d’água foi apagado na manhã deste domingo, 6.

“Nunca teve batalha na seis de agosto. As duas batalhas que tiveram em Rio Branco foram lá perto da Gameleira. Tentar justificar o mal feito, da pintura de azul da caixa d’agua, com uma mentira histórica, só torna ainda mais grave o erro”, diz o historiador.

Marcos Vinicius conta ainda sobre os combates que aconteceram em Rio Branco.

“O primeiro combate aconteceu onde hoje é o Instituto Imaculada Conceição. Os soldados bolivianos emboscaram os brasileiros e venceram o combate. Plácido de Castro e os soldados que sobreviveram fugiram e pegaram o varadouro que ia para o Seringal Liberdade, onde iriam se reagrupar. Esse varadouro era o varadouro chamado de Catuaba, que viria ser a rua 6 de agosto, mas não houve batalha no local. Depois de se reagrupar e convocar novos homens, Plácido de Castro atacou os bolivianos no mesmo local, próximo a Gameleira, onde fica hoje o Instituto São José. Depois de 10 dias de batalha, do dia 5 de outubro até 15 de outubro de 1902, os brasileiros venceram o combate. Ou seja, nunca houve batalha nenhuma na 6 de agosto. Aliás, a rua nem existia, era apenas um varadouro. O pessoal tem que parar de inventar história. História, a gente pesquisa e conta”, finaliza o historiador.

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

REDES SOCIAIS

MAIS LIDAS

WhatsApp chat