NOSSAS REDES

ACRE

Mulher que ficou presa a fios de alta tensão após ser atingida por poste ganha R$ 15 mil na Justiça: ‘não dirijo mais’

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A agente de endemias Alcione de Souza Silva ganhou na Justiça uma indenização de R$ 15 mil após ficar presa em fios de alta tensão de um poste que caiu em cima dela em janeiro de 2017. A mulher passava de motocicleta na Estrada Dias Martins, em Rio Branco, quando foi atingida pelo poste.

A Eletrobras Distribuição Acre foi responsabilizada pelo acidente e deve pagar a indenização por danos morais à motociclista. A decisão é 1ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco e foi publicada no Tribunal de Justiça esta semana. O G1 entrou em contato com a Distribuidora, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

Mulher ficou presa em fios de alta tensão após poste cair em Rio Branco (Foto: Reprodução)

Mulher ficou presa em fios de alta tensão após poste cair em Rio Branco (Foto: Reprodução)

Traumas após o acidente

Mais de um ano após o acidente, Alcione ainda tem muitos traumas. Ela conta que não sai mais de casa sozinha e não dirige mais. Ela diz que só dorme com ajuda de remédios.

“Dependendo de psiquiátricos. Não saio de casa só, meu esposo me deixa e busca nos locais. Não dirijo mais, vendi até minha moto. Eles [Eletrobras] estão dando assistência de psicólogos, psiquiatras”, detalhou.

Ela contou à reportagem que ainda não foi informada da decisão pelo advogado dela, mas esse não foi o valor pedido na ação. A mulher disse que já foi oferecido esse valor e ela não aceitou.

“Já tinham oferecido R$ 15 mil, mas não aceitei. Estou sabendo agora, meu advogado não me ligou ainda. Estou prejudicada até hoje. Faço tratamento porque tenho crises de pânico, depressão e tomo remédios controlados”, comentou.

Acidente

Um ano após o acidente, Alcione disse que lembra vários detalhes do dia. A agente relembrou que viu o poste desabando sobre ela logo que saiu da rotatória. No dia, um sargento do Corpo de Bombeiros, que estava de folga, passava pelo local e fez os primeiros atendimento à mulher.

“A única coisa que falei foi ‘meu Deus’ e apaguei. Quando tornei só vi as pessoas dizendo que estava pegando fogo, que eu estava morta. Pensei que estava morta, tinha um cheiro de gasolina e pensei que estava morrendo queimada. Foi quando virei, vi sangue na minha boca e percebi que não estava morta”, lamentou.

Fonte: G1 – ACRE

REDES SOCIAIS

Área do assinante

Receba publicações exclusivas.

MAIS VISUALIZADAS

WhatsApp chat